Reflexões sobre o Uso de Documentos de Patentes em Cursos de Graduação

  • Maria Cristina Comunian Ferraz Universidade Federal de São Carlos
Palavras-chave: Patentes. Informação tecnológica. Informação para negócios. Recuperação da informação. Letramento em ciência e tecnologia.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo principal apresentar considerações sobre o uso da informação patentária por alunos de graduação. Apresenta, como exemplo de inclusão do tema no âmbito acadêmico, a Atividade Curricular de Integração entre Ensino, Pesquisa e Extensão desenvolvida na Universidade Federal de São Carlos, com foco na recuperação e uso da informação patentária no Brasil. O emprego de informações contidas em documentos de patentes nas diversas atividades dos cursos de graduação é recomendado como forma de incentivar a utilização dessa importante fonte de informação tecnológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina Comunian Ferraz, Universidade Federal de São Carlos
Departamento de Ciência da Informação – Universidade Federal de São Carlos.

Referências

Aguiar, A.C. “Informação e atividades de desenvolvimento científico, tecnológico e industrial: tipologia proposta com base em análise funcional”, Ciência da Informação, Brasília, v.20, n.1, p.7-15, jan./jun., 1991.

Antunes, A.M.S.; Giannini R.G.; Borschiver, S.; Pereira V.L.S.B. “Tendências tecnológicas de polietilenos e polipropileno através da prospecção em documentos de patente nos Estados Unidos e Europa – 1990/1997”, Polímeros: Ciência e Tecnologia, v.10, n.1, p.56-63, 2000.

Barbosa, A.L.F. Sobre a propriedade do trabalho intelectual: uma perspectiva crítica, Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1999.

Boccato, V.R.C.; Fujita, M.S.L. “Estudos de avaliação quantitativa e qualitativa de linguagens documentárias: uma síntese bibliográfica”, Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.11, n.2, p.267-281, maio/ago., 2006.

Brandão, W.C. “A Internet como fonte de informações para negócio: um ensaio sobre a realidade da Internet brasileira”, Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.9, n.1, p.88-99, jan./jun., 2003.

Branski, R.M. “Recuperação de informações na web”, Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.9, n.1, p.70-87, jan./jun., 2004.

Cunha, M.B. Para saber mais: fontes de informação em ciência e tecnologia, Brasília: Briquet de Lemos, 2001.

Cysne, F.P. “Transferência de tecnologia e desenvolvimento”, Ciência da Informação, Brasília, v.25, n.1, p.26-35, jan./abr., 1996.

Dias, M.M.K.; Ferraz, M.C.C. Marketing em Ciência e Tecnologia: conceitos e princípios básicos para ambientes informacionais acadêmicos e organizacionais, São Carlos: EdUFSCar, 2006.

Ferneda, E. “Recuperação da informação: análise sobre a contribuição da Ciência da Computação para a Ciência da Informação”, Tese apresentada para a obtenção do título de doutor em Ciências da Comunicação, São Paulo, USP, 2003.

Ferraz, M.C.C. Patentes: conceitos e princípios básicos para a recuperação da informação, São Carlos: EdUFSCar, 2006.

FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. “Pesquisa sobre propriedade industrial”, 2003. Disponível em http://www.fiesp.com.br/download/pesquisa/propriedade.pdf. Acesso em 26 de fevereiro de 2005.

França, R.O. “Patente como fonte de informação tecnológica”, Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.2, n.2, p.235-264, jul./dez., 1997.

Furnival, A.C. Os fundamentos da lógica aplicada à recuperação da informação, São Carlos: EdUFSCar, 2002.

Gracioso, L.S. “Avaliação da linguagem documentária DeCS na base de dados LILACS”, Revista de Iniciação Científica da F.F.C., Marília, v.3, n.1, p.45-66, 2000.

Haase, H.; Araújo, E.C.; Dias, J. “Inovações vistas pelas patentes: exigências frente às novas funções das universidades”, Revista Brasileira de Inovação, v.4, n.2, p.329-362, jul./dez., 2005.

INPI – Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Disponível em http://www.inpi.gov.br. Acesso em 18 de maio de 2007.

Kaback, S.M. “Online patent information: Who needs indexing? We do, naturally!”, World Patent Information, v.14, n.3, p.198-199, ago., 1992.

Le Coadic, Y.-F. A Ciência da Informação, Brasília: Briquet de Lemos, 1996.

Lopes, I.L. “Uso das linguagens controlada e natural em bases de dados: revisão da literatura”, Ciência da Informação, Brasília, v.31, n.1, p.41-52, jan./abr., 2002a.

Lopes, I.L. “Estratégia de busca na recuperação da informação: revisão da literatura”, Ciência da Informação, Brasília, v.31, n.2, p.60-71, maio/ago., 2002b.

Macedo, M.F.G.; Barbosa, A.L.F. Patentes, pesquisa desenvolvimento: um manual de propriedade intelectual, Rio de Janeiro: Fiocruz, 2000.

McGee, J.; Prusak, L. Gerenciamento estratégico da informação: aumente a competitividade e eficiência de sua empresa utilizando a informação como uma ferramenta estratégica, Rio de Janeiro: Elsevier, 1994.

Montalli, K.M.L.; Campello, B.S. “Fontes de informação sobre companhias e produtos industriais: uma revisão da literatura”, Ciência da Informação, Brasília, v.26, n.3, p.321-326, set./dez., 1997.

Pinho, F.A.; Basso, H.C.; Ferraz, M.C.C. “A participação de profissionais da informação em grupos de pesquisa”, in Furnival, A.C.; Costa, L.S.F. (orgs.), Informação e conhecimento: aproximando áreas do saber, São Carlos: EdUFSCar, 2005. Portal de Periódicos CAPES. Disponível em www.periodicos.capes.gov.br. Acesso em 20 de maio de 2007.

Prazeres, P.M. Dicionário de termos da qualidade, São Paulo: Atlas, 1996.

Rodrigues, A.O. “A nova lei de patentes, a indústria química e a universidade”, Química Nova, v.21, n.2, p.228-242, 1998.

Rowley, J. A biblioteca eletrônica, Brasília: Briquet de Lemos, 2002.

Santos, W.L.P. “Letramento em química, educação planetária e inclusão social”, Química Nova, v.29, n.3, p.611-620, 2006.

Santos, M.E.R.; Rossi, A.L. “Estímulo à criação e consolidação de núcleos de propriedade intelectual e transferência de tecnologia em instituições de ensino e pesquisa brasileiras: relatório final da etapa mapeamento das instituições”, 2002. Disponível em http://www.redetec.org.br/repict/documentos/Relatrio%20Final%20Projeto%20Ncleos%20Definitivo%201.pdf. Acesso em 16 de outubro de 2007.

Souza, R.F. “A classificação como interface da Internet”, DataGramaZero – Revista de Ciência da Informação, v.1, n.2, abr., 2000.

Strenger, I. Marcas e patentes: análise sucinta da lei n.9.279, de 14 de maio de 1996, Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1996.

UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Catálogo de atividades curriculares de integração entre ensino, pesquisa e extensão, 2004.

UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Atividades Curriculares de Integração entre Ensino, Pesquisa e Extensão, 2007.

Wandscheer, C.B. Patentes e conhecimento tradicional, Curitiba: Juruá, 2004.

Publicado
2009-08-19
Como Citar
Ferraz, M. C. C. (2009). Reflexões sobre o Uso de Documentos de Patentes em Cursos de Graduação. Revista Brasileira De Inovação, 7(2), 287-312. https://doi.org/10.20396/rbi.v7i2.8648966
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)