Análise da Capacidade Dinâmica na Indústria de Máquinas para Madeira: estudos de caso

Autores

  • Victor Pelaez Universidade Federal do Paraná
  • Dayani Aquino Universidade Federal do Paraná
  • Ruth M. Hofmann Universidade Federal do Paraná
  • Marcelo F. Melo Tecnológica do Instituto de Tecnologia do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbi.v8i2.8648984

Palavras-chave:

Capacidade dinâmica. Inovação. Rotinas de busca. Máquinas para madeira.

Resumo

Este trabalho avalia a capacidade de empresas do ramo de máquinas para madeira de adaptar seus recursos produtivos às especificidades do ambiente concorrencial e tecnológico no qual estão inseridas. Adotou-se como método três estudos de caso de empresas consideradas representativas nos segmentos de mercado nos quais atuam. Foi dada ênfase aos procedimentos de busca de informações que proporcionam os fundamentos à tomada de decisão das empresas no desenvolvimento de novos produtos. Observou-se que tais empresas adotam rotinas de busca de informação vinculadas fundamentalmente às atividades de vendas e assistência técnica. Inexistem rotinas de monitoramento da evolução do mercado nacional e internacional, tanto de seus concorrentes quanto de seus clientes. Consequentemente, a qualidade das informações obtidas está vinculada às habilidades de funcionários cuja principal atividade é monitorar a demanda no curto prazo. As decisões são baseadas exclusivamente num padrão de comportamento reativo que não inclui atividades de planejamento nem a elaboração de cenários prováveis ou desejáveis pela firma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victor Pelaez, Universidade Federal do Paraná

Possui graduação em Engenharia de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas (1984), mestrado em Política Científica e Tecnológica pela Universidade Estadual de Campinas (1992) e doutorado em Ciências Econômicas - Université de Montpellier I (1995). Atualmente é professor associado da Universidade Federal do Paraná, vinculado ao Departamento de Economia e ao Programa de Mestrado e Doutorado em Políticas Públicas.

Dayani Aquino, Universidade Federal do Paraná

Graduada em Ciências Econômicas (2004) e mestre em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Federal do Paraná (2007). Atualmente é professora do Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná, ministra a disciplina de Economia Política e atua em pesquisas na área de Economia Política.

Ruth M. Hofmann, Universidade Federal do Paraná

Possui graduação em Ciências Econômicas, mestrado e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Paraná. Atualmente é professora do curso de graduação em Engenharia de Produção da UFPR.

Marcelo F. Melo, Tecnológica do Instituto de Tecnologia do Paraná

Divisão de Extensão Tecnológica do Instituto de Tecnologia do Paraná (TECPAR).

Referências

Barney, J. “Firm resources and sustained competitive advantage”, Journal of Management, v.17, n.1, p.99-120, 1991.

Barney, J. “Looking inside for competitive advantage?”, The Academy of Management Executive, v.9, p.49-61, 1995.

Chandler, A. Strategy and structure. Cambridge: MIT Press, 1962.

Henderson, B. “As origens da estratégia”, in Prahalad, C. et al., Estratégia. São Paulo: Campus, 1998.

Hofmann, R.; Pelaez, V.; Melo, M.; Aquino, D. “Perfil da indústria de máquinas para madeira no estado do Paraná”, Relatório parcial do Projeto de Análise da Capacitação Dinâmica de Empresas. Projeto FINEP n.0104105300, 2007.

Learned, E.; Christensen, C.; Andrews, K.; Gut, W. Business policy, text and cases. Homewood: Richard D. Irwin, 1965.

Montgomery, C.; Porter, M. “Introdução”, in Prahalad, C. et al., Estratégia. São Paulo: Campus, 1998.

Nelson, R.; Winter, S. Uma teoria evolucionária da mudança econômica. Campinas: Editora da UNICAMP, 2005.

Nicolau, I. O conceito de estratégia. Lisboa: ISCTE, nov., 2001. Disponível em http://213.13.125.90/portallizer/upload_ficheiros/01-01_Isabel_Nicolau.pdf. Acesso em 19 de março de 2007.

Pelaez, V. et al., “Fundamentos e microfundamentos da capacidade dinâmica da firma”, Revista Brasileira de Inovação, v.7, n.1, 2008.

Penrose, E. The theory of the growth of the firm. Londres: Blackwell, 1959.

Penrose, E. A teoria do crescimento da firma. Campinas: Editora da UNICAMP, 2006.

Pisano, G. “In search of dynamic capabilities”, in Dosi, G.; Nelson, R.; Winter, S. (eds.), The nature and dynamics of organizational capabilities. Oxford: Oxford University Press, 2002.

STCP. Estudo sobre a trajetória tecnológica das máquinas e equipamentos para madeira: tecnologia de fabricação e acabamento de painéis. Relatório final. Curitiba, 2007.

Teece, D. “Profiting from technological innovation”, Research Policy, 15(6), p.285-305, 1986.

Teece, D.; Pisano, G. “The dynamic capabilities of firms: an introduction”, Industrial and Corporate Change, 3(3), p.537-556, 1994.

Teece, D.; Pisano, G.; Shuen, A. “Dynamic capabilities and strategic management”, Strategic Management Journal, v.18(7), p.509-533, 1997.

Teece, D. “Dynamic capabilities and strategic management”, in Dosi, G. et al. (orgs.), The nature and dynamics of organizational capabilities. Oxford: Oxford University Press, p.334-362, 2002.

Wernerfelt, B. “A resource-based view of the firm”, Strategic Management Journal, v.5, p.171-180, abr.-jun., 1984.

Downloads

Publicado

2010-03-22

Como Citar

PELAEZ, V.; AQUINO, D.; HOFMANN, R. M.; MELO, M. F. Análise da Capacidade Dinâmica na Indústria de Máquinas para Madeira: estudos de caso. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 8, n. 2, p. 341–370, 2010. DOI: 10.20396/rbi.v8i2.8648984. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8648984. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos