A política de compras da Petrobras: o caso da P-51

Autores

  • Cássio Garcia Ribeiro Universidade Estadual Paulista
  • André Tosi Furtado Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbi.v14i2.8649109

Palavras-chave:

Compras governamentais. Países em desenvolvimento. Aprendizagem tecnológica. Petrobras. P-51.

Resumo

A Petrobras é uma companhia cuja capacitação tecnológica é reconhecida internacionalmente. Por se tratar de uma empresa ligada ao governo brasileiro, o qual, há alguns anos, a tem impelido a praticar uma política de conteúdo local, salta aos olhos a importância de estudos que visem a investigar os resultados dessa política. O objetivo deste artigo é justamente esse, com base em um estudo detalhado acerca da plataforma P-51. A literatura sobre aprendizagem tecnológica é utilizada para a criação de uma tipologia sobre a política de compras governamentais, bem como de um quadro analítico para avaliar a aprendizagem tecnológica em projetos de plataformas petrolíferas. A análise da plataforma P-51 se baseia em informações coletadas a partir de entrevistas com a Petrobras e seus principais fornecedores. A pesquisa de campo sugere que os impactos da política de compras da Petrobras, em relação ao projeto da P-51, concentraram-se em aprendizagens básicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cássio Garcia Ribeiro, Universidade Estadual Paulista

Departamento de Educação, Ciências Sociais e Políticas Públicas (DECSPP)

André Tosi Furtado, Universidade Estadual de Campinas

Departamento de Política Científica e Tecnológica.

Referências

ALONSO, P. S. R. Estratégias corporativas aplicadas ao desenvolvimento do mercado de bens e serviços: uma nova abordagem para o caso da indústria de gás natural no Brasil. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

AUDET, D. The size of government procurement. OECD Journal on Budgeting. v. 1, n. 4, 2002. Disponível em: http://www.oecd.org/dataoecd/34/14/1845927.pdf. Acesso em: 22 dez. 2008.

BARLOW, J. Innovation and learning in complex offshore construction projects. Research Policy, n. 38, p. 937-989, 2000.

BELL, M. Learning and the accumulation of industrial technological capacity in developing countries. In: FRANSMAN, M.; KING, K. (Orgs.). Technological capability in the third world. London: Macmillan, 1984, p. 187-210.

BELL, M.; PAVITT, K. Technological aculumation and industrial growth: contrasts between developed and developing countries. Industrial and Corporate Change, v. 2, n. 2, p. 157-210, 1993.

DALPÉ, R. Effects of government procurement on industrial innovation. Technology in Society, v. 16, n. 1, p. 65-83, 1994.

DANTAS, A. T. Capacitação tecnológica de fornecedores em redes de firmas: o caso da indústria do petróleo offshore no Brasil. Tese (Doutorado em Economia) – Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

DOSI, G. The nature of the innovative process. In: DOSI, G.; FREEMAN, C.; NELSON, R.; SILVERBERG, G.; SOETE, L. (Orgs.). Technical change and economic theory. Londres: Pinter Publisher, 1988.

EDLER, J.; RUHLAND, S.; HAFNER, S.; RIGBY, J.; GEORGHIOU, L.; HOMMEN, L.; ROLFSTAM, M.; EDQUIST, C.; TSIPOURI, L.; PAPADAKOU, M. Innovation and public procurement. Review of issues at stake: study for European Commission n. ENTR/03/24. Final Report. Fraunhofer ISI, Karlsruhe, 2005.

EDLER, J.; GEORGHIOU, L. Public procurement and innovation – resurrecting the demand side. Research Policy, v. 36, n. 7, p. 949-963, 2007.

EDQUIST, C.; HOMMEN, L. Government technology procurement and innovation Theory. Sweden: Department of Technology and Social Change, Linköping University,1998.

EDQUIST, C.; HOMMEN, L. Public technology procurement and innovation theory. In: EDQUIST, C.; HOMMEN, L.; TSIPOURI, L. (Eds.). Public technology procurement and innovation. Economics of Science, Technology and Innovation, Kluwer Academic Publishers, 2000, v. 16, p. 5-70.

FRANSMAN, M. Technological capability in the Third World: an overview and introduction to some of the issues raised in this book. In: FRANSMAN, M.; KING, K. (Eds.). Technological capacity in Third World. London: Macmillan, 1984.

FIGUEIREDO, P. N. Does technological learning pay off? Inter-firm differences in technological capability-accumulation paths and operational performance improvement. Research Policy, n. 31, p. 73-94, 2002.

FIGUEIREDO, P. N. Aprendizagem tecnológica e inovação industrial em economias emergentes: uma breve contribuição para o desenho e implementação de estudos empíricos e estratégias no Brasil. Revista Brasileira de Inovação, v. 3, n. 2, p. 323-362, jul./dez. 2004.

FIGUEIREDO, P. N. Capacidade tecnológica e inovação em organizações de serviços intensivos em conhecimento: evidências de institutos de pesquisa em Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) no Brasil. Revista Brasileira de Inovação, v. 5, n. 2, p. 403-454, jul./dez. 2006.

GEORGHIOU, L.; AMANATIDOU, E.; BELITZ, H.; CRUZ, L.; EDLER, J.; EDQUIST, C.; GRANSTRAND, O.; GUINET, J.; LEPRINCE, E.; ORSENIGO, L.; RIGBY, J.; ROMANEINEN, J.; STAMPFER, M.; VAN DEN BIESEN, J. Raising EU R&D intensity: improving the effectiveness of public support mechanisms for private sector research and development: direct measures. EUR 20716, 2003.

GEROSKI, P. A. Procurement policy as a tool of industrial policy. International Review of Applied Economics, v. 4, n. 2, p. 182-198, 1990.

GREGERSEN, B. The public sector as a pacer in National Systems of Innovation. In: LUNDVALL, B. (Org.). National System of Innovation: toward a theory of innovation and interactive learning. London: Pinter, 1992, p. 129-144.

HOEKMAN, B.; MAVROIDIS, P. The WTO’s agreement od government procurement. Pocessed. Washington D.C.: World Bank, 1995.

KATZ, J. Importación de tecnología e desarrollo dependiente. Serie de Lecturas, n. 38, v. 2, p. 193-213, 1981.

KATZ, J. Importación de tecnología, aprendizaje local y industrialización dependiente. México: Fondo de Cultura Econónima, 1974.

LALL, S. Transnationals, domestic enterprises, and industrial structure in host LDCs: a survey. Oxford Economic Papers, v. 30, n. 2, p. 217-248, jul. 1978.

LALL, S. Developing country as exporter of technology. Research Policy, v. 9, n. 1, p. 24–52, 1980.

LALL, S. Technological learning in the Third World: some implications of technology export. In: STWART, F.; JAMES, F. (Orgs.). The economics of new technology in developing countries. 1 ed. London: Frances Printer, 1982, p. 157-179.

LALL, S. Technological capabilities and industrialization. World Development, v. 20, n. 2, p. 165-182, 1992.

LALL, S. The East Asian miracle: does the bell toll for industrial strategy? World Development, v. 22, n. 4, Special Issue on “The East Asian Miracle”, 1994.

LLHERENA, P.; MATT, M.; TRENTI, S. Public technology procurement: the case of digital switching systems in France. In: EDQUIST, C.; HOMMEN, L.; TSIPOURI, L. (Eds.). Public technology procurement and innovation. Economics of Science, Technology and Innovation, Kluwer Academic Publishers, v. 16, 2000, p. 197-215.

MARQUES, F. S. Compras públicas no Brasil e EUA: análise da concorrência segundo o paradigma Estrutura-Conduta-Desempenho. Finanças públicas: X prêmio Tesouro Nacional: coletânea de monografias. Disponível em: http://www.stn.fazenda.gov.br/Premio_TN/XPremio/financas/3tefpXPTN/3pemio_tefp.pdf. Acesso em: 30 dez. 2008.

MORAIS, J. M. de. Petróleo em águas profundas: uma história tecnológica da Petrobras na exploração e produção offshore. Brasília-DF: Ipea, Petrobras, 2013.

NELSON, R. R.; WINTER, S. G. In search of a useful theory of innovations. Research Policy, v.6, n. 1, p. 36-76, 1977.

OLIVEIRA, A. de; ROCHA, F. Conclusões e recomendações de política. Estudo da competitividade da indústria brasileiras de bens e serviços do setor de P&G. Disponível em: http://www.prominp.com.br/paginadinamica.asp?grupo=245. Acesso em: 25 abr. 2009.

ROLFSTAM, M. Public technology procurement as a demand-side innovation policy instrument. Division of Innovation, Dpt of Design Sciences, Lund Institute, Lind University, 2005.

RUAS, J. A. G. Transformações na concorrência, estratégia da Petrobras e desempenho dos grandes fornecedores de equipamentos subsea no Brasil. Poder de compra da Petrobras: impactos econômicos nos seus fornecedores. Convênio Petrobras/Ipea, 2010.

VILLELA, A. V. Empresas do governo como instrumento de política econômica: os sistemas siderbrás, eletrobrás, Petrobrás e telebrás. Relatório de Pesquisa, n. 747. Ipea/Inpes, 1984

WEISS, L.; THURBON, E. The business of buing american: public procurement as trade strategy in the USA. Review of International Political Economy, v. 13, n. 5, p. 701-724, 2006.

Downloads

Publicado

2015-09-10

Como Citar

RIBEIRO, C. G.; FURTADO, A. T. A política de compras da Petrobras: o caso da P-51. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 14, n. 2, p. 289–312, 2015. DOI: 10.20396/rbi.v14i2.8649109. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8649109. Acesso em: 20 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos