Banner Portal
A poesia brasileira nos 60 anos do golpe militar de 1964

No ano em que se completam 60 anos do golpe militar de 1964, a Remate de Males propõe a publicação de um dossiê temático dedicado aos debates sobre a produção poética brasileira, com ênfase nos vínculos que ela estabeleceu e estabelece com os chamados anos de chumbo. Nesse sentido, convidamos a comunidade acadêmica para a submissão de trabalhos que realizem uma (re)leitura de crítica de poetas, poéticas, poemas e movimentos dos anos 1960 a 1980, nos quais se observam, em diferentes níveis e de inúmeras formas, o impacto da vida no país sob um regime autoritário que censurou, perseguiu, torturou e assassinou vozes dissidentes. Estes olhares podem voltar-se para as vozes consagradas do período, expandido a fortuna crítica de autores e autoras mais conhecidos, com ênfase em suas articulações com o contexto histórico-político e as estratégias de posicionamento crítico numa sociedade marcada pelo medo e a violência. Igualmente são esperados resultados de pesquisas que visam recuperar vozes poéticas ignoradas nos círculos críticos hegemônicos após o processo de redemocratização, especialmente vozes mais identificadas com a militância contra o regime ou pertencentes a grupos sociais marginalizados. Os enormes desafios éticos e estéticos que atravessam a escrita em contexto de cárcere, clandestinidade, exílio e tortura constituem tema de enorme interesse nessa produção, bem como a sua relação com a tradição literária, o testemunho e os direitos humanos. Também são bem-vindos estudos sobre os ecos do passado ditatorial na produção poética mais recente, levando em conta as disputas em torno da memória intensificadas no país ao longo da última década, tanto pela tardia implementação de uma Comissão Nacional da Verdade – que contribuiu para o surgimento de diversas obras literárias sobre a ditadura –,  como pela investida reacionária que tomou o negacionismo, o revisionismo e o saudosismo da ditadura como arma política, com graves consequências para a democracia brasileira. Acreditamos que a produção poética do país constitui um acervo artístico relevante para tais discussões, ainda carente de estudos mais sistemáticos, seja pelo que ela oferece de singular enquanto linguagem, seja ainda em suas articulações complexas com outras manifestações culturais, como a música popular, a performance, o cinema e o teatro.

Organizadores: Marcelo Ferraz (UFG/CNPq), Nelson Martinelli Filho (IFES/CNPq) e Wilberth Salgueiro (UFES/CNPq)

Submissão de trabalhos até 15/08/2024