Um robô simulacro: David

Autores

  • Milene Baldo Centro de Pesquisa sobre Utopia

DOI:

https://doi.org/10.20396/remate.v32i2.8635894

Palavras-chave:

Robôs. Ficção-científica. Simulacro.

Resumo

A partir do conceito de simulacro de Platão, apresentado em sua obra A República, e de outros estudos como o de Jean Baudrillard, Simulacros e Simulações, pretende-se analisar a figura dos autômatos, especialmente a do protagonista, David, em três contos do inglês Brian Aldiss – Superbrinquedos duram o verão todo, Superbrinquedos quando vem o inverno e Superbrinquedos em outras estações – como simulacros dos seres humanos. O principal intuito será compreender a novidade que esta obra traz para o campo da temática das criaturas autômatas na literatura, referenciando-se em clássicos influentes como as lendas do Golem ou Frankenstein. Para tal, far-se-á uma investigação das representações dos seres humanos e das máquinas nestes contos, bem como a maneira pela qual se apresenta a relação entre homens e máquinas e entre máquinas e máquinas. Tudo isso relacionado ao simulacro platônico de modo a compreender a implicação de tais concepções para a própria concepção (utópica?) do humano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milene Baldo, Centro de Pesquisa sobre Utopia

Membro do U_TOPOS – Centro de Estudos sobre Utopia da UNICAMP e bolsista do CNPq. Atualmente trabalha na tradução para o português e no estudo crítico da utopia inglesa The Description of New World Called The Blazing World (1666), da duquesa Margaret Cavendish.

Referências

ALDISS, Brian. Superbrinquedos duram o verão todo: e outros contos de um tempo futuro. Tradução de Beth Vieira. São Paulo: Companhia das Letras, 2001. 270p.

BAUDILLARD, Jean. Simulacros e Simulações. Tradução de Maria João da Costa Pereira. Lisboa: Relógio D’Água, 1991. 201 p.

CHAUÍ, Marilena. A teoria do conhecimento na República. In: CHAUÍ, Marilena. Introdução à história da filosofia: dos pré-socráticos e Aristóteles. Vol. 1, 2. ed., revista e ampliada, São Paulo, Companhia das Letras, 2002, 249-256 p.

COLLING, Michael R. Brian Aldiss. [S.l]: Borgo P, 1986.

COLLODI, Carlo. As aventuras de Pinóquio. Tradução e ilustrações de Gabriella Rinaldi. São Paulo: Iluminuras, 2002, 156 p.

DELEUZE, Gilles. Platão e o simulacro. In: DELEUZE, Gilles. Lógica do sentido. 4ed. São Paulo: Perspectiva, 2000. p.259-271 (Estudos)

GOLDSSCHMIDT, Victor. Os Diálogos de Platão: Estrutura e Método dialético. Tradução de Dion Davi Macedo. São Paulo: Edições Loyola, 2002. 356 p.

NAZÁRIO, Luiz. Da natureza dos Monstros. São Paulo: Arte & Ciência, 1998. 304 p.

PLATÃO. A República. Tradução de Enrico Corvisieri. São Paulo: Nova Cultural, 2004. 352 p. (Coleção Os Pensadores).

PLATÃO. Diálogos: O banquete, Fédon, Sofista, Político. Tradução de José Cavalcante de Souza, Jorge Paleikat e João Cruz Costa. 4 ed. São Paulo: Nova Cultural, 1987. 266 p. (Coleção Os Pensadores)

SHELLEY, Mary. Frankestein ou o Moderno Prometeu. Tradução de Éverton Ralph. São Paulo: Publifolha, 1998. 224 p. (Biblioteca Folha - Clássicos da Literatura Universal).

Downloads

Publicado

2012-12-19

Como Citar

BALDO, M. Um robô simulacro: David. Remate de Males, Campinas, SP, v. 32, n. 2, p. 383–400, 2012. DOI: 10.20396/remate.v32i2.8635894. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8635894. Acesso em: 2 out. 2022.