Imaginação e literatura: O caso de O paraíso perdido

  • Luiz Fernando Ferreira Sá Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Imaginação. Crítica. Pós-colonialismo. O paraíso perdido.

Resumo

N’O paraíso perdido de John Milton, criatividade poética e imaginação crítica estão intimamente associadas. Usando o circuito da teoria e da prática pós-colonial de Edward Said, este artigo encena uma leitura do texto de Milton em contraponto: o poema épico pode finalmente se livrar de seu conteúdo colonial e contribuir decisivamente para a reorganização do espaço entre a crítica e a criatividade. O paraíso de Milton é lido em termos de um mo(vi)mento de resistência contra e intervenção em uma suposta grande narrativa de poder com vistas a propor tanto uma conversação pós-colonial com este poema inglês do início da modernidade quanto uma cena contemporânea para este texto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Ferreira Sá, Universidade Federal de Minas Gerais
Professor Associado de Literaturas em inglês e Literatura Comparada na Faculdade de Letras da UFMG e Pesquisador 2 do CNPq

Referências

BEN-TOV, Sharona. The artificial paradise: science fiction and American reality. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 1995.

HASKIN, Dayton. Milton’s burden of interpretation. Filadélfia: University of Pennsylvania Press, 1994.

KIETZMAN, Mary Jo. The fall into conversation with Eve: discursive difference in Paradise Lost. Criticism. Michigan: Wayne State University Press, v. 39, n. 1, 1997.

MALTZAHN, Nicholas. The first reception of Paradise Lost (1667). The Review of English Studies. Oxford: Oxford University Press, v. 47, n. 188, 1996.

MILTON, John. John Milton: complete poems and major prose. HUGHES, Merrit Y. (Ed.). New York: Hackett Publishing, 1957.

MOUCHARD, Claude. Chateaubriand, Milton, l’épopée et la prose. Revue de Littérature Comparée. Paris: Édouard Champion, v.4, 1996.

RAJAN, Balachandra. The lofty rhyme. Coral Gables: University of Miami Press, 1970.

RAJAN, Balachandra. Milton and Eliot: a twentieth-century acknowledgement. Milton Studies. Pittsburgh: Duquesne University Press, v. 11, 1978.

RAJAN, Balachandra. Milton encompassed. Milton Quarterly. Nova York: Wiley, v. 32, n. 3, 1998.

RAPAPORT, Herman. Milton and the postmodern. Lincoln: University of Nebraska Press, 1983.

SAID, Edward. Representations of the intellectual. Londres: Vintage, 1994.

SCHWARTZ, Regina. Remembering and repeating biblical creation in Paradise Lost. Cambridge: Cambridge University Press, 1988.

SKEAT, Walter W. An etymological dictionary of the English language. Oxford: Clarendon Press, 1909.

SNIDER, Alvin. Origin and authority in 17th-century England: Bacon, Milton, Butler. Toronto: Toronto University Press, 1994.

STAVELY, Keith W. F. The world all before them: Milton and the rising glory of America. In: Studies in 18th-century Culture. East Lansing: Colleagues Press, 1990.

TREIP, Mindele Anne. Allegorical poetics and the epic: the renaissance tradition in Paradise Lost. Lexington: Kentucky University Press, 1994.

Publicado
2016-12-16
Como Citar
Sá, L. F. F. (2016). Imaginação e literatura: O caso de O paraíso perdido. Remate De Males, 36(2), 603-624. https://doi.org/10.20396/remate.v36i2.8647914

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)