“Vender alguma coisa, dar certo na vida.” A passagem do poema ao objeto na obra de Marcel Broodthaers.

  • Eduardo Jorge de Oliveira Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Poesia. Arte contemporânea. Espaço literário. Livro. Museu.

Resumo

O artigo apresenta uma análise de algumas obras do artista belga Marcel Broodthaers, mais precisamente no modo como ele estabeleceu a relação entre palavra e imagem no contexto de práticas literárias em suas exposições. Com um ponto de partida poético, Broodthaers é um nome importante para a discussão das materialidades da literatura nos museus depois dos anos 1950.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Jorge de Oliveira, Universidade Estadual de Campinas
Marcos Siscar concluiu graduação em Letras pela Unicamp (1987), mestrado em Teoria Literária pela Unicamp (1991), D.E.A. em Texte Imaginaire Société pela Université de Paris 8 (1992), doutorado em Littérature Française pela Université de Paris 8 (1995), com Pós-Doutorados na École des Hautes Etudes em Sciences Sociales (2003), Collège International de Philosophie (2008) e Université Sorbonne Nouvelle - Paris 3 (2015). É livre-docente em Teoria da Literatura pela Unesp ? São José do Rio Preto (2005), onde trabalhou de 1996 a 2009. Atualmente, é docente (MS 5-3) do Departamento de Teoria Literária da Unicamp e pesquisador PQ/CNPq (desde 1999). Foi coordenador (1999-2001) e vice-coordenador (2001-2007) de Pós-graduação na Unesp, e coordenador de Pós-graduação na Unicamp (2010-2014), tendo sido responsável por diversos convênios interinstitucionais (Minter, Dinter, Procad). Fez parte do comitê de avaliação da área de Letras da CAPES, de 2001 a 2004, e 2015. Coordena, desde 1999, o GRECC (Grupo de Estudos em Crítica Contemporânea). É assessor ad hoc das principais instituições de fomento à pesquisa no Brasil. Foi editor da Revista de Letras (Unesp) e da revista Inimigo Rumor. Faz parte do comitê editorial de revistas como Alea (UFRJ), Aletria (UFMG), Estudios Portugueses & Brasileños (Salamanca), Hispanisme(s) (Paris), Revista de Letras (Unesp), Revista Letras (UFPR), TextoPoético (GT Anpoll), Gragoatá (UFF), Boletim de Pesquisa NELIC (UFSC), além das coleções de poesia Ás de Colete (Cosac & Naify/7Letras) e Ciranda da Poesia (Eduerj). Foi conferencista convidado em eventos nacionais e internacionais. Vários de seus livros foram finalistas em prêmios nacionais de poesia e crítica literária. Tem também trabalhos publicados como tradutor e como poeta. Como poeta, foi escritor residente em La Rochelle, França, em 2005, e indicado pela Unesp, em 2008, para concorrer ao prêmio Conrad Wessel, na categoria Literatura.

Referências

AIRA, César. Sobre el arte contemporaneo. Madrid: Literatura Random House, 2016.

ALFERI, Pierre. Chercher une phrase. Paris: Christian Bourgois, 2007.

ANTOINE, Jean-Philippe. Marcel Broodthaers – moule, muse, méduse. Paris: Les Presses du Réel, 2006. (Collection L’espace littéraire)

BENJAMIN, Walter. L’œuvre d’art à l’époque de sa reproductibilité technique. Œuvres III. Paris: Folio, 2000, pp. 269-316.

BEZZOLA, Tobia & KURZMEYER, Roman (orgs.). Harald Szeemann with by Through because Towards Despite (Catalogue of all Exhibitions). Zürich: Voldemeer / New York: Springer Wien, 2007.

BLANCHOT, Maurice. La conquête de l’espace. In: BLANCHOT, Maurice. Écrits politiques (1953-1993). Paris: Gallimard, 2008, pp. 125-128.

BORJA-VILLEL, Manuel & CHERIX, Christophe. Marcel Broodthaers. A retrospective. New York: The Museum of Modern Art, 2016.

BROODTHAERS, Marcel. Pense-bête. 1964. 1 escultura com livros, papel, gesso e bolas de plástico em base de madeira, 30 x 84,5 x 43 cm.

BROODTHAERS, Marcel. Le corbeau et le renard. 1968. 1 serigrafia sobre tela, máquina de datilografar e três serigrafias, 112,5 x 82 x 41 cm. Coleção do Centre Georges Pompidou, Paris.

BROODTHAERS, Marcel. Un coup de dés jamais quand bien même. 1969. 1 pintura em tela, 165x122 cm.

BROODTHAERS, Marcel. Série en langue française (Série de neuf peintures sur um sujet littéraire). 1972. 9 painéis, 81 x 100 cm (cada).

BROODTHAERS, Marcel. Gedicht poem poème, change exchange wechsel. 1973. 2 telas em serigrafia, 97,8 cm x 68,1 cm (cada).

BROODTHAERS, Marcel. Monsieur Teste. 1975. 1 instalação contendo figura mecânica, cadeira de palha, revista e backdrop cênico, dimensões variadas.

BROODTHAERS, Marcel. Collected writings. Organizado por Gloria Moure. Barcelona: Poligrafa, 2012.

BUCHLOH, Benjamin. First and Last: Two Books by Marcel Broodthaers. In: BORJA-VILLEL, Manuel & CHERIX, Christophe. Marcel Broodthaers. A retrospective. New York: The Museum of Modern Art, 2016, pp. 40-49.

CADÔR, Amir Brito. O livro de artista e a enciclopédia visual. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2016.

DUCHAMP, Marcel. Rrose Sélavy. Oculisme de précision. New York/Paris: G.L.M, 1939.

ELIOT, T.S. Tradition and the Individual Talent. Perspecta, New York, v. 19, 1982, pp. 36-42.

CATÁLOGO Actualité d’un bilan. Paris: Yvon Lambert, 1972.

MACIEL, Maria Esther. Poéticas do inclassificável. Revista Aletria (Poslit-UFMG), v. 15, 2008, pp. 155-162.

MALLARMÉ, Stéphane. Variations sur un sujet. In: MALLARMÉ, Stéphane. Œuvres complètes. Paris: Gallimard, 1945, pp. 355-368.

MARX, William. L’adieu à la littérature. Histoire d’une dévalorisation XVIIe-XXe siècle. Paris: Les Éditions de Minuit, 2005.

O’DOERTY, Brian. No interior do cubo branco. Trad. Carlos Mendes Rosa. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

RANCIÈRE, Jacques. L’espace des mots: de Mallarmé à Broodthaers. Nantes: Musée des Beaux-Arts de Nantes, 2005.

VALÉRY, Paul. Monsieur Teste. Paris: Gallimard, 2014.

Publicado
2017-08-28
Como Citar
Oliveira, E. J. de. (2017). “Vender alguma coisa, dar certo na vida.” A passagem do poema ao objeto na obra de Marcel Broodthaers. Remate De Males, 37(1), 261-284. https://doi.org/10.20396/remate.v37i1.8648454
Seção
4. O organismo e suas fraturas