Literatura como antropofagia em Silviano Santiago: anotações sobre um percurso ficcional até o romance Machado

Autores

  • Ângela Maria Dias Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.20396/remate.v38i1.8651097

Palavras-chave:

Antropofagia. Apropriação. Alteridade.

Resumo

O presente texto pretende desenvolver uma reflexão sobre o romance mais recente de Silviano Santiago: Machado (2016b). Já estudado por suas incursões pela ficcionalização de Graciliano Ramos depois do cárcere, no Em liberdade (1981), e da viagem de Antonin Artaud ao México, no Viagem ao México (1995), o escritor agora aventura-se na celebração do universo de Machado de Assis. A narrativa de 2016, ao perfazer uma mistura entre romance, ensaio, biografia e crítica de costumes, dedica-se a retomar os últimos anos do mais aclamado romancista da literatura brasileira, em seu ocaso de melancólica viuvez e crises nervosas. A abordagem se propõe a enlaçar a perspectiva da assinatura como identidade móvel e em constante processo de mutação com o legado da antropofagia, em que a apropriação criativa da contribuição do outro celebra um horizonte compartilhado como ponto de fuga.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ângela Maria Dias, Universidade Federal Fluminense

Professora Titular de Literatura Brasileira e Literatura Comparada da UFF, ensaísta, crítica literária e pesquisadora do CNPq. Foi pesquisadora, com bolsa CAPES/FULBRIGHT, na Brown University (EUA, 2007), e professora visitante na Georgetown University (EUA, 2007-2008). Além de vários artigos em periódicos especializados, e da organização de três coletâneas de ensaios, com a professora Paula Glenadel ― Estéticas da crueldade (Atlântica, 2004), Valores do abjeto (EdUFF, 2008) e Cenas de arte e ficção: teatralidades contemporâneas (Confraria do Vento, 2015) ― publicou, nos últimos anos, Cruéis paisagens literatura brasileira e cultura contemporânea (EdUFF, 2013) A forma da emoção Nelson Rodrigues e o melodrama (Ed.7Letras,2013). Atualmente trabalha com “Ficções performáticas na Literatura e em outras artes”.

Referências

ABREU, Caio Fernando. Transe perfeito. Veja, São Paulo, 23 set. 1981, pp. 113-114.

BARTHES, Roland. A preparação do romance II: a obra como vontade: notas do curso no Collège de France 1979-1980. Texto estabelecido e anotado por Nathalie Léger; trad. Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2005 (Coleção Roland Barthes)

BENJAMIN, Walter. Origem do drama barroco alemão. Trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1984.

BORGES, Jorge Luis. Discussão. Trad. Cláudio Fornari. São Paulo: Difel, 1986.

CALABRESE, Omar. A idade neo-barroca. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

DERRIDA, Jacques. Espectros de Marx: o estado da dívida, o trabalho do luto e a nova Internacional. Trad. Anamaria Skinner. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Nosso amplo presente: o tempo e a cultura contemporânea. Trad. Ana Isabel Soares. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

HARVEY, David. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 25. ed. Trad. Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

HAUSER, Arnold. Historia social de la literatura y el arte. V II. Trad. A. Tovar e F. P. Varas-Reyes. Madrid: Ediciones Guadarrama, 1969.

HELENA, Lúcia. Uma literatura antropofágica. 2. ed. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 1983.

HERKENHOFF, Paulo. Catálogo da XXIV Bienal de São Paulo. In: Núcleo Histórico: antropofagia e histórias da civilização. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1998, [s.p.].

HOUAISS. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

LYOTARD, Jean-François. O pós-moderno explicado às crianças. Trad. Tereza Coelho. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1987.

LUKÁCS, Georg. A alma e as formas. Trad. Rainer Patriota. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

NUNES, Benedito. Oswald canibal. São Paulo: Perspectiva, 1979. (Coleção Elos)

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Mutações da literatura no século XXI. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

ROCHA, João Cezar de Castro. Machado de Assis: por uma poética da emulação. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2013.

ROCHA, João Cezar de Castro. Uma poética da emulação: uma leitura de Machado de Assis. In: JOBIM, José Luís; MELLO, Maria Elizabeth Chaves de; KLEIMAN, Olinda (Orgs.). O diálogo Europa-Brasil na obra de Machado de Assis. Niterói: Eduff/Faperj/Sorbonne Nouvelle, 2015, pp. 23-48.

RIBEIRO, Roberto Carlos. Escrita do eu: crítica e ficção em Silviano Santiago. Darandina Revista Eletrônica, v. 2, n. 2, 2010, [s.p.]. Disponível em: http://www.ufjf.br/darandina/files/2010/02/artigo14a.pdf. Acesso em: 30 mar. 2018.

RUFFINELLI, Jorge; ROCHA, João Cezar de Castro (Orgs.). Antropofagia hoje? Oswald de Andrade em cena. São Paulo: É Realizações Editora, 2011.

SANTIAGO, Silviano. Em liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

SANTIAGO, Silviano. A política através da palavra escrita. [Entrevista a Lucia Helena]. Brasil/Brazil-Revista de literatura brasileira, Porto Alegre, n. 7, 1992, pp. 83-96.

SANTIAGO, Silviano. Viagem ao México. Rio de Janeiro: Rocco, 1995.

SANTIAGO, Silviano. Uma literatura nos trópicos. Ensaios sobre dependência cultural. 2. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

SANTIAGO, Silviano. Heranças. Rio de Janeiro: Rocco, 2008a.

SANTIAGO, Silviano. O começo do fim. Gragoatá, n. 24, 1º sem. 2008b, pp. 13-30.

SANTIAGO, Silviano. [Entrevista a Mauricio Meireles]. Folha de São Paulo, Ilustrada, 13 dez. 2016a, pp. 161-178.

SANTIAGO, Silviano. Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 2016b.

SARDUY, Severo. O barroco e o neobarroco. In: América latina em sua literatura. São Paulo: Perspectiva, 1979.

SCHOLLHAMMER, Karl Erik. Além do visível o olhar da literatura. 2. ed. Rio de Janeiro: 7Letras, 2016.

SILVA, Vivien Gonzaga e. O ensaio como zona de fronteira: o pensamento crítico de Silviano Santiago e Michel de Montaigne. Itinerários-Araraquara, v. 22, 2004, pp. 91-102. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/itinerarios. Acesso em: 30 mar. 2018.

VELOSO, Caetano. Verdade tropical. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

Downloads

Publicado

2018-06-07

Como Citar

DIAS, Ângela M. Literatura como antropofagia em Silviano Santiago: anotações sobre um percurso ficcional até o romance Machado. Remate de Males, Campinas, SP, v. 38, n. 1, p. 398–413, 2018. DOI: 10.20396/remate.v38i1.8651097. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8651097. Acesso em: 1 out. 2022.