Banner Portal
Literatura como antropofagia em Silviano Santiago: anotações sobre um percurso ficcional até o romance Machado
PDF

Palavras-chave

Antropofagia. Apropriação. Alteridade.

Como Citar

DIAS, Ângela Maria. Literatura como antropofagia em Silviano Santiago: anotações sobre um percurso ficcional até o romance Machado. Remate de Males, Campinas, SP, v. 38, n. 1, p. 398–413, 2018. DOI: 10.20396/remate.v38i1.8651097. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8651097. Acesso em: 29 maio. 2024.

Resumo

O presente texto pretende desenvolver uma reflexão sobre o romance mais recente de Silviano Santiago: Machado (2016b). Já estudado por suas incursões pela ficcionalização de Graciliano Ramos depois do cárcere, no Em liberdade (1981), e da viagem de Antonin Artaud ao México, no Viagem ao México (1995), o escritor agora aventura-se na celebração do universo de Machado de Assis. A narrativa de 2016, ao perfazer uma mistura entre romance, ensaio, biografia e crítica de costumes, dedica-se a retomar os últimos anos do mais aclamado romancista da literatura brasileira, em seu ocaso de melancólica viuvez e crises nervosas. A abordagem se propõe a enlaçar a perspectiva da assinatura como identidade móvel e em constante processo de mutação com o legado da antropofagia, em que a apropriação criativa da contribuição do outro celebra um horizonte compartilhado como ponto de fuga.
https://doi.org/10.20396/remate.v38i1.8651097
PDF

Referências

ABREU, Caio Fernando. Transe perfeito. Veja, São Paulo, 23 set. 1981, pp. 113-114.

BARTHES, Roland. A preparação do romance II: a obra como vontade: notas do curso no Collège de France 1979-1980. Texto estabelecido e anotado por Nathalie Léger; trad. Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2005 (Coleção Roland Barthes)

BENJAMIN, Walter. Origem do drama barroco alemão. Trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1984.

BORGES, Jorge Luis. Discussão. Trad. Cláudio Fornari. São Paulo: Difel, 1986.

CALABRESE, Omar. A idade neo-barroca. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

DERRIDA, Jacques. Espectros de Marx: o estado da dívida, o trabalho do luto e a nova Internacional. Trad. Anamaria Skinner. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Nosso amplo presente: o tempo e a cultura contemporânea. Trad. Ana Isabel Soares. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

HARVEY, David. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 25. ed. Trad. Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

HAUSER, Arnold. Historia social de la literatura y el arte. V II. Trad. A. Tovar e F. P. Varas-Reyes. Madrid: Ediciones Guadarrama, 1969.

HELENA, Lúcia. Uma literatura antropofágica. 2. ed. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 1983.

HERKENHOFF, Paulo. Catálogo da XXIV Bienal de São Paulo. In: Núcleo Histórico: antropofagia e histórias da civilização. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1998, [s.p.].

HOUAISS. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

LYOTARD, Jean-François. O pós-moderno explicado às crianças. Trad. Tereza Coelho. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1987.

LUKÁCS, Georg. A alma e as formas. Trad. Rainer Patriota. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

NUNES, Benedito. Oswald canibal. São Paulo: Perspectiva, 1979. (Coleção Elos)

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Mutações da literatura no século XXI. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

ROCHA, João Cezar de Castro. Machado de Assis: por uma poética da emulação. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2013.

ROCHA, João Cezar de Castro. Uma poética da emulação: uma leitura de Machado de Assis. In: JOBIM, José Luís; MELLO, Maria Elizabeth Chaves de; KLEIMAN, Olinda (Orgs.). O diálogo Europa-Brasil na obra de Machado de Assis. Niterói: Eduff/Faperj/Sorbonne Nouvelle, 2015, pp. 23-48.

RIBEIRO, Roberto Carlos. Escrita do eu: crítica e ficção em Silviano Santiago. Darandina Revista Eletrônica, v. 2, n. 2, 2010, [s.p.]. Disponível em: http://www.ufjf.br/darandina/files/2010/02/artigo14a.pdf. Acesso em: 30 mar. 2018.

RUFFINELLI, Jorge; ROCHA, João Cezar de Castro (Orgs.). Antropofagia hoje? Oswald de Andrade em cena. São Paulo: É Realizações Editora, 2011.

SANTIAGO, Silviano. Em liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

SANTIAGO, Silviano. A política através da palavra escrita. [Entrevista a Lucia Helena]. Brasil/Brazil-Revista de literatura brasileira, Porto Alegre, n. 7, 1992, pp. 83-96.

SANTIAGO, Silviano. Viagem ao México. Rio de Janeiro: Rocco, 1995.

SANTIAGO, Silviano. Uma literatura nos trópicos. Ensaios sobre dependência cultural. 2. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

SANTIAGO, Silviano. Heranças. Rio de Janeiro: Rocco, 2008a.

SANTIAGO, Silviano. O começo do fim. Gragoatá, n. 24, 1º sem. 2008b, pp. 13-30.

SANTIAGO, Silviano. [Entrevista a Mauricio Meireles]. Folha de São Paulo, Ilustrada, 13 dez. 2016a, pp. 161-178.

SANTIAGO, Silviano. Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 2016b.

SARDUY, Severo. O barroco e o neobarroco. In: América latina em sua literatura. São Paulo: Perspectiva, 1979.

SCHOLLHAMMER, Karl Erik. Além do visível o olhar da literatura. 2. ed. Rio de Janeiro: 7Letras, 2016.

SILVA, Vivien Gonzaga e. O ensaio como zona de fronteira: o pensamento crítico de Silviano Santiago e Michel de Montaigne. Itinerários-Araraquara, v. 22, 2004, pp. 91-102. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/itinerarios. Acesso em: 30 mar. 2018.

VELOSO, Caetano. Verdade tropical. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

Licença Creative Commons
O periódico Remate de Males utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.