Rosa, Goethe e Milton: prolegômenos a diálogos poético-bíblicos

  • Luiz Fernando Ferreira Sá Universidade Federal de Minas Gerais
  • Miriam Piedade Mansur Andrade Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Grande sertão: veredas, Fausto, Paradise Lost

Resumo

A proposta deste artigo é analisar os traços dos textos de João Guimarães Rosa, Johann Wolfgang von Goethe e John Milton, a saber, Grande sertão: veredas, Fausto e Paradise Lost, respectivamente, que compõem diálogos poético-bíblicos, cantos paralelos ou transcriações. Este artigo também investigará o modo como o romance brasileiro dialoga com a peça trágica alemã na elaboração e recriação do mito do Diabo e em seus desdobramentos, elementos esses que também estão presentes no diálogo entre os textos em alemão e em inglês. A noção de diálogo aqui trabalhada é a estudada por Mikhail Bakhtin, o qual sugere a ideia de dialogismo como constitutivo da intertextualidade, com o texto passando a ser visto como uma absorção de e uma resposta a um outro texto. Nesse movimento de absorção de elementos e resposta a outros textos, a lógica do suplemento de Jacques Derrida promove a noção de diálogo com o termo funcionando como a escrita de proliferação de significados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Ferreira Sá, Universidade Federal de Minas Gerais

Professor Associado de Literaturas em inglês e Literatura Comparada na Faculdade de Letras da UFMG e Pesquisador 2 do CNPq

Miriam Piedade Mansur Andrade, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorado em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil(2013)
Professor Adjunto A, Classe A, Nivel 1 da Universidade Federal de Minas Gerais , Brasil

Referências

AMARAL, Roberto Antônio Penêdo do. A questão do mal em Grande sertão: veredas – um diálogo entre Tomás de Aquino e o jagunço Riobaldo. Em Tese, Belo Horizonte, v. 22, n. 1, jan.-abr. 2016, pp. 21-30.

BAKHTIN, M. Problems of Dostoevsky’s Poetics. Trad. R. W. Rotsel. Ann Arbor: Ardis, 1973.

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2002.

BAUDELAIRE, C. L’art romantique. Paris: Garnier-Flammarion, 1968.

Bíblia DE JERUSALÉM. São Paulo: Edições Paulinas, 1973.

BONOMO, D. A biblioteca alemã de João Guimarães Rosa. In: Pandaemonium Germanicum [on-line], São Paulo, n. 16, 2010, [s.p.].

BUENO, R. I. Urutu-branco e o leproso: corpo e culpa em uma vereda do Grande sertão. Revista Letras, Curitiba, n. 49, 1998, pp. 35-51.

CANDIDO, Antonio. [Entrevista em que fala sobre Guimarães Rosa e Grande sertão: veredas. 2014. YouTube. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=nn9YMb6S7VQ&t=86s>. Acesso em: 10 jan. 2018.

CALLOWAY, K. Beyond Parody: Satan as Aeneas in Paradise Lost. Milton Quarterly, v. 39, n. 2, 2005, pp. 82-92.

COSTA, D. P. Duas epopeias das Américas: Moby Dick e Grande sertão: veredas, ou, O problema do mal. Porto: Lello & Irmão, 1974.

COUSTÉ, A. Biografia do diabo: o diabo como a sombra de Deus na história. Trad. Luca Albuquerque. Rio de Janeiro: Record/Rosa dos Tempos, 1996.

DAVID-DE PALACIO, M. F. Errer et devenir: le parcours Faustien de Job, de Goethe à Giran. Revue de Littérature Comparée, n. 350, v. 2, 2014/2, pp. 155-170.

DERRIDA, J. Gramatologia. Trad. Miriam Schnaiderman e Renato Janine. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2008.

DERRIDA, J. Papel máquina. Trad. Evando Nascimento. São Paulo: Estação Liberdade, 2004.

FORSYTH, N. The Old Enemy: Satan & the Combat Myth. Princeton: Princeton University Press, 1991.

GOETHE, J. W. Fausto. Trad. António Feliciano de Castilho. Londres: W. M. Jackson Inc. Editores, 1956.

GOETHE, J. W. Fausto. Tragédia. Trad. Agostinho d’Ornellas. Lisboa: Typogr. Franco- -portuguesa, 1867.

MILTON, John. John Milton – A Critical Edition of the Major Works. Editors S. Orgel;

J. Goldberg. Oxford: Oxford University Press, 1991. (Col. The Oxford Authors)

KRISTEVA, J. Introdução à semanálise. Trad. Lúcia H. F. Ferraz. São Paulo: Perspectiva, 1974.

MAGALHÃES, A. C. M.; BRANDÃO, E. O Diabo na arte e no imaginário ocidental. In: MAGALHÃES, ACM. et al. (orgs.). O demoníaco na literatura [on-line]. Campina Grande: Eduepb, 2012, pp. 277-290.

MASSON. D. The Three Devils: Luther’s, Milton’s and Goethe’s, with Other Essays. Londres: Macmillan, 1874.

MAZZARI, M. V. Figurações do “mal” e do “maligno” no Grande sertão: veredas. Estud. Av. [on-line]. v. 22, n. 64, 2008, pp. 273-290.

METZGER, L. The Eternal Process: Some Parallels Between Goethe’s Faust and Tennyson’s “In memoriam”. Victorian Poetry, v. 1, n. 3, jan. 1, 1963, pp. 189- 196.

OLIVEIRA, E. D. Deus e o diabo no Grande sertão: veredas: uma leitura antimaniqueísta. Millenium, 46-A. Número Especial temático sobre Literatura, nov. de 2014, pp. 138--152.

PARKER, F. Between Satan and Mephistopheles: Byron and the Devil. The Cambridge Quarterly, v. 35, n. 1, 2006, pp. 1-29.

PARKER, F. The Devil as Muse. Blake, Byron, and the adversary. Waco, Texas: Baylor University Press, 2011.

PESSOA, F. A hora do diabo. Lisboa: Assírio & Alvim, 2004.

REBELLO, I. F. Guimarães Rosa, colecionador de palavras – uma leitura da poética das listas, em Grande sertão: veredas. Signo, Santa Cruz do Sul, v. 42, n. 74, maio-ago. 2017, pp. 69-75.

RODRIGUES, H. E. Poesia bíblica e utopia em Haroldo de Campos. O Eixo e a Roda, Belo Horizonte, v. 24, n. 1, 2015, pp. 169-185.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. 20. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

ROSA, João Guimarães. [Entrevista a W. Höllerer]. 1962. YouTube. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=ndsNFE6SP68>. Acesso em: 10 jan. 2018.

RUSSELL, J. B. The Devil: Perceptions of Evil from Antiquity to Primitive Christianity. Ithaca, N. Y.: Cornell University Press, 1977.

RUSSELL, J. B. Satan: The Early Christian Tradition. Ithaca/Londres: Cornell University Press, 1981.

RUSSELL, J. B. Lucifer: The Devil in the Middle Ages. Ithaca/Londres: Cornell University Press, 1984.

RUSSELL, J. B. Mephistopheles: The Devil in the Modern World. Ithaca, N.Y./Londres: Cornell University Press, 1986.

SÁ, L. F. F. Intertextualidade e influência em “destinerrance”. In: PEREIRA, Maria Antonieta Pereira; SÁ, Luiz Fernando Ferreira (orgs.). Jacques Derrida: atos de leitura, literatura e democracia. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, Linha Ed. Tela e o Texto, 2009, pp. 119-125.

SPERBER, S. F. Rogando coisas de salvação urgente: em busca de Terra sem Mal. In: FANTINI, M. (org.). A poética migrante de Guimarães Rosa. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008, pp. 190-212.

VEJMELKA, M. A travessia perigosa: Grande sertão: veredas e Doutor Fausto em leitura dialógica. Estud. Av. [on-line], v. 23, n. 65, 2009, pp. 299-315.

Publicado
2019-06-13
Como Citar
Sá, L. F. F., & Andrade, M. P. M. (2019). Rosa, Goethe e Milton: prolegômenos a diálogos poético-bíblicos. Remate De Males, 39(1), 440-464. https://doi.org/10.20396/remate.v39i1.8654052