A virada ontológica da antropologia e o futuro da literatura comparada

Palavras-chave: Virada ontológica, Literatura comparada, Mitologia, Viveiros de Castro, Kenneth Burke

Resumo

Neste artigo a virada ontológica da antropologia é discutida a partir de uma breve leitura de “Metafísicas canibais”, de Eduardo Viveiros de Castro. A ideia é que os problemas formulados pelas teorias pós-coloniais no âmbito da literatura comparada podem ser informados e reconfigurados a partir desse movimento recente da antropologia. Se Viveiros defende a autodeterminação dos povos e de seus campos mitopráticos, os estudos literários podem também tentar reconhecer a autodeterminação ontológica dos complexos figurais e a contingência histórica radical das máquinas míticas que eles compõem. Essa articulação é feita por meio de algumas ideias do crítico literário norte-americano Kenneth Burke.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vinicius Portella Castro, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutorado pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), em 2019.

Referências

AHMAD, Aijaz. Linhagens do presente. São Paulo: Editora Boitempo, 2013.

APPADURAI, Arjun. Grassroots globalization and the research imagination. Public Culture, v. 12, n. 1, 2000, pp. 1-19.

APPADURAI, Arjun. Globalization. In: KRISHNASWAMY, Revathi; HAWLEY, John C. (Eds.). The Postcolonial and the Global. Minnesota: University of Minnesota Press, 2008, pp. 37-53.

BURKE, Kenneth. Permanence & Change. An Anatomy of Purpose. Berkeley: University of California Press, 1987.

BURKE, Kenneth. Revolutionary Symbolism in America (Speech to the American Writer’s Congress, 1935). In: SIMONS, Herbert W.; MELIA, Trevor (Eds.). The Legacy of Kenneth Burke. Madison: University of Wisconsin Press, 1989, pp. 267-296.

CHAKRABARTY, Dipesh. Provincializing Europe. Princeton: Princeton University Press, 2000.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Cultura com aspas. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

HUI, Yuk. Cosmopolitics as Cosmotechnics. E-flux Journal, New York, n. 86, 2017, [s.p.].

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. A inconstância da alma selvagem. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Metafísicas canibais. N-1 edições. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

WAGNER, Roy. Symbols that Stand for Themselves. Chicago: University of Chicago Press, 1986.

Publicado
2020-05-29
Como Citar
Castro, V. P. (2020). A virada ontológica da antropologia e o futuro da literatura comparada. Remate De Males, 40(1), 346-362. https://doi.org/10.20396/remate.v40i1.8656229