João Cabral em dois autos

algumas indagações acerca de "Morte e vida severina" e "Auto do frade"

Palavras-chave: João Cabral de Melo Neto, Poesia moderna, Ditadura civil-militar brasileira

Resumo

Esse artigo propõe uma breve análise de Morte e vida severina em contraposição ao Auto do frade, ambos poemas de João Cabral de Melo Neto. Se, na década de 1960, o auto de natal pernambucano alcançou grande êxito no meio teatral, é curioso constatar que a peça da década de 1980, centrada na figura histórica de frei Caneca, não obteve o mesmo sucesso. Tendo isso em vista, o artigo pretende refletir sobre os motivos que justificam a distância entre as peças, atravessada por duas décadas de ditadura civil-militar no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renan Nuernberger, Universidade de São Paulo

Doutorando no Programa de Pós-graduação em Teoria Literária e Literatura Comparada da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH-USP)

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? In: O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Trad. Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos, 2009, pp. 25-54.

ATHAYDE, Félix de. Ideias fixas de João Cabral de Melo Neto. Rio de Janeiro: Nova Fronteira/Fundação Biblioteca Nacional, 1998.

BENJAMIN, Walter. O que é o teatro épico? Um estudo sobre Brecht (primeira versão). In: Ensaios sobre Brecht. Trad. Claudia Abeling. São Paulo: Boitempo, 2017, pp. 11-21.

BOSI, Alfredo. O Auto do frade: as vozes e a geometria. In: Céu, inferno: ensaios de crítica literária e ideológica. 2. ed. São Paulo: Duas Cidades/Ed. 34, 2003, pp. 145-154.

BRITTO, Paulo Henriques. O natural e o artificial: algumas reflexões sobre o verso livre. eLyra, n. 3, 2014, pp. 27-41. Disponível em: <https://www.elyra.org/index.php/elyra/article/view/40>.

CADERNOS de literatura brasileira: João Cabral de Melo Neto. São Paulo/Rio de Janeiro: Instituto Moreira Salles, 1996.

CAMPOS, Haroldo de. O geômetra engajado. In: Metalinguagem e outras metas. São Paulo: Perspectiva: 2006[1963], pp. 77-88.

ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de arte e cultura brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <https://enciclopedia.itaucultural.org.br/>.

FREITAS FILHO, Armando. O caso da casa de farinha. In: MELO NETO, João Cabral de. Notas sobre uma possível A casa de farinha. Org. Inez Cabral. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013, pp. 7-13.

MELO NETO, João Cabral de. Duas águas: poemas reunidos. Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.

MELO NETO, João Cabral de. Morte e vida severina e outros poemas em voz alta. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1966.

MELO NETO, João Cabral de. Auto do frade. Rio de Janeiro: José Olympio, 1984.

MELO NETO, João Cabral de. Da função moderna da poesia. In: Obra completa. Org. Marly de Oliveira. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2006[1954], pp. 767-770.

MELO NETO, João Cabral de. Notas sobre uma possível A casa de farinha. Org. Inez Cabral. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013.

MELLO, Evaldo Cabral de. Frei caneca ou a outra independência. In: Frei Joaquim do Amor Divino Caneca. Org. Evaldo Cabral de Mello. São Paulo: Ed. 34, 2001, pp. 11-48.

MORAIS, Clodomir Santos de. História das Ligas Camponesas do Brasil (1969). In: STEDILE, João Pedro. (Org.). A questão agrária no Brasil: história e natureza das Ligas Camponesas – 1954-1964. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2012, pp. 21-76.

MOTA, Carlos Guilherme. Ideologia da cultura brasileira (1933-1974): pontos de partida para uma revisão histórica. 4. ed. São Paulo: Ed. 34, 2014.

NUNES, Benedito. João Cabral de Melo Neto. Petrópolis: Vozes, 1971.

OLIVEIRA, Francisco de. Celso Furtado e o pensamento econômico brasileiro. In: A navegação venturosa: ensaios sobre Celso Furtado. São Paulo: Boitempo, 2003, pp. 39-54.

OLIVEIRA, Marly de. João Cabral de Melo Neto: breve introdução a uma leitura de sua obra. In: MELO NETO, João Cabral de. Obra completa. Org. Marly de Oliveira. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2006, pp. 15-24.

OLIVEIRA, Waltencir Alves de. O gosto dos extremos: tensão e dualidade na poesia de João Cabral de Melo Neto, de Pedra do sono a Andando Sevilha. São Paulo: Edusp, Fapesp, 2012.

ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Brasiliense, 2012.

SALLUM JR, Brasilio. Notas sobre a (re)democratização. In: ALONSO, Angela; DOLHNIKOFF, Miriam (Orgs.). 1964: do golpe à democracia. São Paulo: Hedra, 2015, pp. 233-246.

SANT’ANNA, Afonso Romano de. Música popular e moderna poesia brasileira. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1986.

SARAIVA, Arnaldo. Dar a ver e a se ver no extremo: o poeta e a poesia de João Cabral de Melo Neto. Porto: CITCEM/ FLUP/ Ed. Afrontamento, 2014.

SCHWARZ, Roberto. Cultura e política, 1964-1969. In: O pai de família e outros estudos. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992, pp. 61-92.

SECHIN, Antonio Carlos. João Cabral: uma fala só lâmina. São Paulo: Cosac Naify, 2014.

SIMPÓSIO O golpe de 1964 e a cultura brasileira. Mesa sobre poesia, composta por Beatriz Moraes Vieira e Iumna Maria Simon. FFLCH-USP, set. 2014. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=K5_a-5jD08o>.

VILLAÇA, Alcides. Expansão e limite da poesia de João Cabral. In: BOSI, Alfredo (Org.). Leitura de poesia. São Paulo: Ática, 1996, pp. 143-169.

Publicado
2020-05-29
Como Citar
Nuernberger, R. (2020). João Cabral em dois autos. Remate De Males, 40(1), 183-204. https://doi.org/10.20396/remate.v40i1.8657713