Só mais um

spoken words e uma democracia mal contada

  • Lígia Maria Winter Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Slam, Spoken word, Democracia

Resumo

O artigo propõe a leitura de alguns spoken words, na cena das competições brasileiras de Poetry Slam, de modo a pensar estratégias composicionais que denunciam duas “técnicas de errar a conta” na democracia contemporânea brasileira: a técnica da confusão e a do embaraço. Tais técnicas são compreendidas a partir da imagem do povo como “classe do dano”, objeto de um “erro” na contagem das partes, que rejeita as “pessoas de nada”, na leitura que Rancière faz de Platão e Aristóteles a respeito da divisão da pólis grega. A ausência de propriedade e o lugar enunciativo daqueles que foram rejeitados ao silêncio ou ao “barulho animal”, nos termos de Rancière, reencenaria outra imagem platônica, a de khôra. A hipótese interpretativa é a de que o lugar enunciativo e as estratégias de volteio dos spoken words, ao exporem tais técnicas, teriam um potencial político de reencenar o problema subtraído pelo pensamento filosófico, na nomeação desse dano e na projeção de um lugar próprio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lígia Maria Winter, Universidade Estadual de Campinas

Doutorado em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas, Brasil, 2012.
Professor da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação, Brasil.

Referências

CHICO, Igor. É a democracia morrendo sem ter sido apresentada pra quebrada. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=9iSRMYoMarQ>. Acesso em: 1/2019.

D’ALVA, Roberta Estrela. Um microfone na mão e uma ideia na cabeça: o Poetry Slam entra em cena. Synergies Brésil, n. 9, 2011, pp. 119-126.

D’ALVA, Roberta Estrela. Teatro hip-hop: a performance poética do ator-MC. São Paulo: Perspectiva, 2014.

ÁGORA DO agóra. Direção de Del Chaves et al. Documentário (32 min.). Youtube. Programa VAI2, Secretaria de Cultura Municipal de São Paulo. São Paulo, 2018. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=9xvcLSj-ICo>. Acesso em: 1/2019.

DERRIDA, Jacques. Enlouquecer o subjétil. Jacques Derrida e Lena Bergstein. Trad. Geraldo Gerson de Souza. São Paulo: Ateliê Editorial/Editora Unesp/Imprensa Oficial, 1998.

DERRIDA, Jacques. Khôra: o ensaio sobre o nome. Campinas: Papirus, 1995.

JESUS, Wesley (WJ). Slam Século XXI. Produção de Fernando Salinas. Vídeo. Edição: 18/09/2017. Praça Mauá, Rio de Janeiro. Slam Resistência/Slam Grito Filmes. . Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=68yppqmqZVE>. Acesso em janeiro de 2018.

LEFORT, Claude. A invenção democrática: os limites da dominação totalitária. São Paulo: Brasiliense, 1983.

MARIA, Victória (Maria Preta). Slam Era só mais um Silva. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=0aisYRI5fSs>. Acesso em: 1/2018.

NEVES, Cynthia Agra de Brito. Slams – letramentos literários de reexistência ao/no mundo contemporâneo. Linha D’Água (On-line), São Paulo, v. 30, n. 2, out. 2017, pp. 92-112

PLATÃO. Timeu-Crítias. Trad. Rodolfo Lopes. Coimbra: Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos, 2011.

ROCHA, A. Introdução – dialética e democracia. In: LEFORT, Claude. A invenção democrática: os limites da dominação totalitária. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011, pp. 43-55.

RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento – política e filosofia. São Paulo: Ed 34, 1996.

YAGUELLO, Marina. Introdução. In: BAKHTIN, Mikail. Marxismo e filosofia da linguagem. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 1981, pp. 11-19.

Publicado
2020-05-29
Como Citar
Winter, L. M. (2020). Só mais um. Remate De Males, 40(1), 86-104. https://doi.org/10.20396/remate.v40i1.8657717