Leitura paranoica e leitura reparadora, ou, você é tão paranoico que provavelmente pensa que este ensaio é sobre você

Palavras-chave: Leitura paranoica, Leitura reparadora, Hermenêutica da suspeita, Estudos queer

Resumo

Tradução do texto "Paranoid Reading and Reparative Reading, or, You’re So Paranoid, You Probably Think This Essay Is About You", de Eve Sedgwick Kosofsky.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eve Kosofsky Sedgwick, Duke University

Eve Kosofsky Sedgwick (1950-2009) foi uma teórica norte-americana de estudos do gênero, queer e teoria crítica. À época de publicação deste texto, ela era professora na Duke University, em Durham (EUA).

Mariana Ruggieri, Universidade Estadual de Campinas

Doutorado em Letras (Teoria Literária e Literatura Comparada) pela Universidade de São Paulo, Brasil, 2018.
Professor Colaborador da Universidade Estadual de Campinas, Brasil.

Camila Nogueira, Fundação Escola de Sociologia de São Paulo

Graduanda em Letras pela Universidade de São Paulo (USP) e Sociologia e Política pela Fundação Escola de Sociologia e Política (FESPSP). É pesquisadora na área de Literatura Comparada e Estudos Hispano-Americanos, com ênfase na obra de Roberto Bolaño e Mario Santiago Papasquiaro.

Luiza Romão, Universidade de São Paulo

Bacharel em Direção Teatral pela Universidade de São Paulo (ECA/USP) e formada na Escola de Arte Dramática (EAD/USP).

Fabio Saldanha, Universidade de São Paulo

Graduando em Letras pela Universidade de São Paulo (USP)

Marcos Natali, Universidade de São Paulo

Doutorado em Literatura Comparada pela Universidade de Chicago e é professor livre-docente de Teoria Literária e Literatura Comparada na USP.

Roger Melo, Universidade de São Paulo

Bacharel em Letras - Português e Alemão pela Universidade de São Paulo (2017). Atualmente, como parte de um projeto de pesquisa que pretende ser desenvolvido em nível de pós-graduação, estuda os hibridismos contemporâneos entre literatura e crítica, partindo inicialmente de um estudo do Manifesto Ciborgue de Donna Haraway.

Referências

ADAMS, James Eli. Dandies and Desert Saints: Styles of Victorian Manhood. Ithaca, NY: Cornell University Press, 1995.

BERSANI, Leo. The Culture of Redemption. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1990.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. Rio De Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

DICKINSON, Emily. Emily Dickinson: não sou ninguém. Trad. Augusto de Campos. Campinas: Ed. Unicamp, 2015.

HINSHELWOOD, R. D. A Dictionary of Kleinian Thought. 2. ed. Northvale, NJ: Aronson, 1991.

HOFSTADTER, Richard. The Paranoid Style in American Politics and Other Essays. New York: Knopf, 1965.

FREUD, Sigmund. Obras completas (Edição Standard). Volume XVII. Trad. José Octávio de Aguiar Abreu. Rio de Janeiro: Imago, 2013.

LAPLANCHE, Jean; PONTALIS, Jean-Betrand. The Language of Psycho-Analysis. Trans. Donald Nicholson-Smith. New York: Norton, 1973.

MILLER, D. A. The Novel and the Police. Berkeley: University of California Press, 1988.

PROUST, Marcel. Em busca do tempo perdido v. 7: o tempo redescoberto. Trad. Lúcia Miguel Pereira. São Paulo: Biblioteca Azul, 2013.

RICOUER, Paul. Freud and Philosophy: An Essay on Interpretation. Trans. Denis Savage. New Haven: Yale University Press, 1970.

SEDGWICK, Eve Kosofsky. The Coherence of Gothic Conventions. New York: Methuen, 1986.

SLOTERDIJK, Peter. Crítica da razão cínica. Trad. Marco Casanova, Paulo Soethe, Maurício M. Cardozo, Pedro C. Rago e Ricardo Hiendlmayer. São Paulo: Estação Liberdade, 2012.

TOMKINS, Silvan S. Affect Imagery Consciousness. Vol. 2. Nova York: Springer, 1963.

Publicado
2020-05-29
Como Citar
Sedgwick, E. K., Ruggieri, M., Nogueira, C., Romão, L., Saldanha, F., Natali, M., & Melo, R. (2020). Leitura paranoica e leitura reparadora, ou, você é tão paranoico que provavelmente pensa que este ensaio é sobre você. Remate De Males, 40(1), 389-421. https://doi.org/10.20396/remate.v40i1.8658630