Viagem e formação

notas sobre o self no romance brasileiro pós-1945, numa leitura de o ventre e o encontro marcado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/remate.v41i2.8664895

Palavras-chave:

Bildungsroman brasileiro da década de 1950, Espaço literário, Teoria do self

Resumo

O artigo discute a relação entre o deslocamento espacial e a formação do self nas trajetórias dos protagonistas de O encontro marcado, de Fernando Sabino, e O ventre, de Carlos Heitor Cony, tomados como representantes do Bildungsroman brasileiro dos anos 1950. Busca-se entender como aquela relação manifestava uma nova imagem do self no nosso romance, em personagens inadaptados aos seus meios de origem e impelidos a processos conflitivos de afirmação existencial. Analisa-se a viagem como tópica que dava fisicalidade a tais processos, dramatizando a busca de modos de acomodação na sociedade a serem descobertos na própria experiência do mundo. Para descrever aquela tópica, usa-se o conceito de “mapa” (KOCKELMAN, 2012) para analisar a influência de valores na construção de sujeitos e mundos sociais: especificamente, observa-se como a função existencial da viagem ecoava valores inicialmente formulados no primeiro romantismo. Para explicar porque esses valores adquiriram relevância no Brasil dos anos 1950 e assim evidenciar a importância que o Bildungsroman então assumiu em nossa literatura, argumenta-se que o gênero dava expressão a angústias de uma juventude presa na transição entre modelos de vida fundados na obediência a instituições tradicionais e a plena legitimação da construção dos próprios modos de vida, que seria estabelecida apenas em gerações posteriores. Ao final, faz-se uma breve digressão sobre a relação entre o corpus analisado e versões posteriores do self no romance brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Dolabela Chagas, Universidade Federal do Paraná

Doutorado em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professor Adjunto de Literatura Brasileira e Teoria Literária da Universidade Federal do Paraná.

Luiz Guilherme Oliveira, Universidade Federal do Paraná

Mestrando em Estudos Literários no Programa de Pós-graduação em Letras pela Universidade Federal do Paraná.

Referências

BERLIN, Isaiah. As raízes do Romantismo. São Paulo: Três Estrelas, 2015.

BOOKER, Christopher. The Seven Basic Plots: Why we Tell Stories. 19. ed. [Kindle]. New York: Continuum, 2010.

CONY, Carlos Heitor. O ventre. 8. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

EHRENBERG, Alain. The Weariness of the Self Diagnosing the History of Depression in the Contemporary Age. Quebec City: McGill-Queen’s University Press, 2010.

FUREDI, Frank. New Forms of Alienation. In: KENNEDY, Angus; PANTON, James (Org.). From Self to Selfie. A Critique of Contemporary Forms of Alienation. Londres: Palgrave Macmillan, 2019a.

FUREDI, Frank. The Emergence of the Self in History. In: KENNEDY, Angus; PANTON, James (Orgs.). From Self to Selfie. A Critique of Contemporary Forms of Alienation. Londres: Palgrave Macmillan, 2019b, pp. 13-26.

GOETHE, Johann Wolfgang von. Os Anos de Aprendizado de Wilhelm Meister. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2009.

KOCKELMAN, Paul. Agent, Person, Subject, Self: A Theory of Ontology, Interaction, and Infrastructure. New York: Oxford University Press, 2012.

LUKÁCS, Georg. A Teoria do Romance. São Paulo: Editora 34, 2000.

MASSAUD, Moisés. Dicionário de termos literários. 12. ed. São Paulo: Cultrix, 2004.

MORETTI, Franco. Atlas do romance europeu: 1800-1900. São Paulo: Boitempo, 2003.

MORETTI, Franco. A alma e a harpia: reflexões sobre as metas e os métodos da Historiografia Literária. In: Signos e estilos da Modernidade: ensaios sobre a sociologia das formas literárias. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007, pp. 13-56.

SABINO, Fernando. O encontro marcado. 76. ed. São Paulo: Record. 2008.

SAFRANSKI, Rüdiger. Romantismo: uma questão alemã. São Paulo: Estação Liberdade, 2012.

SARTRE, Jean-Paul. O ser e o nada – ensaio de ontologia fenomenológica. 15. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

CHAGAS, P. D.; OLIVEIRA, L. G. . Viagem e formação: notas sobre o self no romance brasileiro pós-1945, numa leitura de o ventre e o encontro marcado. Remate de Males, Campinas, SP, v. 41, n. 2, p. 378–404, 2021. DOI: 10.20396/remate.v41i2.8664895. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8664895. Acesso em: 23 maio. 2022.