Pela ‘Luz’ dos nossos olhos: uma interpretação do bairro paulistano

Autores

  • Maria Cristina da Silva Schicchi Pontifícia Universidade Católica de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v19i21.8645704

Palavras-chave:

Luz. Bairros paulistanos. Reabilitação. Usos. Urbanismo.

Resumo

São Paulo possui bairros típicos e tradicionais que já mereceram inúmeros trabalhos monográficos. São documentos que consolidam a memória da cidade paulistana, de seus habitantes, cuja história continua sendo escrita pelo cotidiano das pessoas que habitam estes territórios. Porém, o que ressalta quando percorremos as ruas dos bairros da cidade é a herança presente de certo caráter próprio, que ao mesmo tempo em que permite a identificação de seus limites, também reforça fronteiras em relação a outros bairros. Este texto trata da dificuldade de integração do bairro da Luz com o contexto do centro de São Paulo que lhe faz divisa. É a tentativa de interpretar alguns fatores que tornam complexa qualquer leitura sobre o bairro, e por extensão, de qualquer intervenção de reabilitação ou renovação, e uma reflexão sobre a reiteração de seu caráter de área periférica ao centro, decorrente de sucessivas intervenções e atividades ali localizadas historicamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina da Silva Schicchi, Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Programa de Pós-graduação em Urbanismo da PUC-Campinas.

Referências

ARANTES, Antonio Augusto. “A guerra dos Lugares. Sobre Fronteiras Simbólicas e Liminaridades no Espaço Urbano”. In: Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Rio de Janeiro: IPHAN, 1994.

ASSOCIAÇÃO VIVA O CENTRO (AVC). Mesa Redonda sobre intervenções na Quadra 27 e no Pólo Luz – Santa Ifigênia. São Paulo, 10/05/2006, 57p.

BRUNO, Ernani Silva. Memória da Cidade de São Paulo. Depoimentos de Moradores e Visitantes /1553-1958. Secretaria Municipal de Cultura/Prefeitura do Município de São Paulo. Série Registros 4. São Paulo: Departamento do Patrimônio Histó- rico, 1981.

CADERNOS CIDADE DE SÃO PAULO. Região Tiradentes. São Paulo: Instituto Cultural Itaú, 1994.

CAMPOS, Morgana. “O mapeamento do Quadrilátero do crack”. In Jornal da USP. Pesquisa, ESPECIAL/VIOLÊNCIA. DROGAS. São Paulo, 1999.

CARVALHO, Juliana Nahas Brasilino de, SCHICCHI, Maria Cristina da Silva. A “Área da Luz em São Paulo: Reabilitação de edifícios históricos versus Recuperação urbana”. In Os Urbanitas. Revista Eletrônica de Antropologia Urbana. Ano 4, Vol.4, nº5. São Paulo, fevereiro de 2007. Disponível em: http://www.aguaforte. com/osurbanitas5/Carvalho&Schicchi2007.html , Acesso em: 23/05/2011.

CESAR, Roberto de Cequeira, FRANCO, Luiz Roberto Carvalho, BRUNA, Paulo Valentino. Área da Luz. Renovação Urbana em São Paulo. São Paulo: Editora Perspectiva S.A., 1977. ESTADÃO.COM.BR/São Paulo. “Demolição de rodoviária começa a mudar a Luz”. 13/abril/2010. Disponível em: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100413/not_imp537573,0.php, acesso em: 25/05/2011.

FELDMAN, Sarah. São Paulo: “Qual Centro?” In SCHICCHI, Maria C.; BENFATTI, Dênio. Urbanismo: Dossiê São Paulo – Rio de Janeiro. Campinas: PUCCampinas/PROURB, 2003. Folha de S. Paulo. Folhaonline. “Prefeitura decide desapropriar ‘cracolândia’”. São Paulo, 09/09/2005. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u112888.shtml . Acesso em: 20/04/2011.

FRÚGOLI Jr., Heitor, SKLAIR, Jessica. “O bairro da Luz em São Paulo: questões antropológicas sobre o fenômeno da gentrification”. In Cadernos de Antropologia Social nº30, p.119-136. Buenos Aires: UBA, 2009. Disponível em: http:// redalyc.uaemex.mx/src/inicio/ArtPdfRed.jsp?iCve=180913916007 . Acesso em: 20/04/2011.

GRANJEIA, Julianna.“Justiça cassa liminar que suspendia projeto Nova Luz, em São Paulo”. Folha de S. Paulo. Folha.com. Caderno Cotidiano, 29/04/2011. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/909301-justica-de-sp-cassaliminar-que-suspendia-projeto-nova-luz.shtml Acesso em: 29/04/2011.

LACARRIEU, Mônica. La “insoportable levedad” de lo urbano. Revista EURE (Vol. XXXIII, nº99), pp.47-64. Santiago de Chile: Pontifícia Universidad Católica de Chile, agosto de 2007.

MEYER, Regina M. P., IZZO JR., Alcino. Pólo Luz. Sala São Paulo, Cultura e Urbanismo. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 1999.

MÜLLER, Nice Lecocq. A Área Central de São Paulo. In AZEVEDO, Aroldo. A cidade de São Paulo. Vol.III, São Paulo: Companhia Nacional, 1958.

TAMOTO, Rejane.“Mais R$ 3,6 mi para revitalização da Cracolândia”. Diário do Comércio. Caderno Cidades, 29/11/2006. Disponível em: http://www.viva-

Downloads

Publicado

2012-11-23

Como Citar

SCHICCHI, M. C. da S. Pela ‘Luz’ dos nossos olhos: uma interpretação do bairro paulistano. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 19, n. 1, p. 37–52, 2012. DOI: 10.20396/resgate.v19i21.8645704. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8645704. Acesso em: 29 nov. 2021.