Abelardo da Hora: Memórias de uma luta política pela profissionalização do artista plástico em Pernambuco

Autores

  • José Bezerra de Brito Neto Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Pernambuco.

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v22i27.8645763

Palavras-chave:

Arte. Memória. Profissionalização.

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar o processo de profissionalização dos artistas plásticos em Pernambuco, na segunda metade do século XX, em um período que enfeixa os debates políticos sobre o papel social do artista plástico na sociedade brasileira, gerando disputas simbólicas no campo artístico. Para tanto, irei problematizar parte da trajetória profissional do escultor pernambucano Abelardo Germano da Hora, a partir de suas memórias profissionais e políticas entre os anos de 1940 e 1970. Instrumento que traz, em suas narrativas, negociações políticas e estéticas, que ajudam a compor as diversas tramas e práticas profissionais desta categoria de intelectuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Bezerra de Brito Neto, Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Pernambuco.

Aluno do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Pernambuco.

Referências

ALAMBERT, Francisco; CANHÊTE, Polyana. Bienais de São Paulo: da era do museu à era dos curadores (1951-2001). São Paulo: Boitempo, 2004. 257 p.

AMARAL, Aracy A. Arte para quê? A preocupação social na arte brasileira 1930-1940. São Paulo: Studio Nobel, 2003. 435 p.

BAXANDALL, Michael. O olhar renascente: pintura e experiência social na Itália da Renascença. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991. 256 p.

BOURDIEU, Pierre. Razões Práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996. 112 p.

BOURDIEU, Pierre. A Economia das Trocas Simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1974. 220 p.

BUENO, Maria Lucia. Artes plásticas no século XX: modernidade e globalização. São Paulo: Editora da Unicamp, Imesp, Fapesp, 2001. 340 p.

DIMITROV, Eduardo. Regional como opção, regional como prisão: trajetórias artísticas no modernismo pernambucano. 2013. 331 p. Tese (Doutorado em Antropologia)–Universidade de São Paulo, São Paulo,

DUBAR, C. & TRIPIER, P. Sociologia das Profissões. Paris: Armand Colin, 1998. 235 p.

DURAND, José Carlos. Arte, privilégio e distinção: artes plásticas, arquitetura e classe dirigente no Brasil, 1855-1985. São Paulo: Perspectiva, 1989. 307 p.

GOODSON, Ivor F. Currículo: teoria e história. Petrópolis: Vozes, 1995. 175 p.

LUCA, Tania Regina de. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, C. B. (Org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2005. p. 40-55.

MONTAGNER, Miguel Ângelo. Trajetórias e biografias: notas para uma análise bourdiesiana. Sociologias, Porto Alegre, ano 9, n. 17, p. 240-264, jan./jun. 2007.

MONTENEGRO, Antônio Torres. História, metodologia, memória. São Paulo: Contexto, 2010. 143 p.

SANTOS, Taciana Mendonça. Alianças Políticas em Pernambuco: as frentes do Recife (1955- 1964). 165 p. Dissertação (Mestrado História) Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.

SIMIONI, Ana Paula Cavalcanti. Profissão Artista: Pintoras e Escultoras Brasileiras, 1884-1922. São Paulo: EDUSP/ FAPESP, 2008. 358 p.

SMITH, Richard Cándida. Circuitos de Subjetividade: História Oral, o Acervo e as artes. São Paulo: Letra e Voz, 2012. 236 p.

ULPIANO, T. Bezerra de Meneses. Fontes visuais, cultura visual, História visual: balanço provisório, propostas cautelares. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 23, n. 45, p. 11-36, 2003.

WACQUANT, Loic. Mapear o Campo Artístico. Sociologia, Problemas e Práticas, n. 48. p. 117-123, 2005.

Downloads

Publicado

2014-10-27

Como Citar

BRITO NETO, J. B. de. Abelardo da Hora: Memórias de uma luta política pela profissionalização do artista plástico em Pernambuco. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 22, n. 1, p. 5–14, 2014. DOI: 10.20396/resgate.v22i27.8645763. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8645763. Acesso em: 27 nov. 2021.