Banner Portal
História Oral e as festas do Rosário: memória, ancestralidade e identidade negra em Minas Gerais
PDF

Palavras-chave

História oral. Festa do Rosário. Identidade negra.

Como Citar

MONTEIRO, Lívia Nascimento. História Oral e as festas do Rosário: memória, ancestralidade e identidade negra em Minas Gerais. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 22, n. 1, p. 31–40, 2014. DOI: 10.20396/resgate.v22i27.8645765. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8645765. Acesso em: 13 abr. 2024.

Resumo

O artigo procura reconstituir aspectos da festa da Congada e Moçambique de Piedade do Rio Grande – Minas Gerais, a partir das entrevistas orais realizadas com membros de diferentes gerações de congadeiros e moçambiqueiros. Reconhecida como festa do povo negro em devoção a Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora das Mercêse São Benedito, a festa do Rosário de Piedade do Rio Grande rememora a escravidão e a Abolição, em seus cantos, ritmos e rituais, desde a década de 1920 até o tempo presente. A abordagem histórica desse artigo procurará demonstrar os atores políticos coletivos envolvidos na festa, a relação com a ancestralidade negra, a memória de antepassados escravos e a valorização da identidade negra em Minas Gerais.
https://doi.org/10.20396/resgate.v22i27.8645765
PDF

Referências

ABREU, M. C. 2007. Cultura imaterial e patrimônio histórico nacional. In: ABREU, M. C. SOIHET, R. (org.), Cultura política e leituras do passado. Historiografia e ensino de História. Rio de Janeiro: Nova Fronteira/Faperj. p. 25-48.

ABREU, M. C. 2011. Remanescentes das comunidades dos Quilombos: memória do cativeiro, patrimônio cultural e direito à reparação. In: Simpósio Nacional de História – ANPUH, XXVI, São Paulo, 2011. Anais do

XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH. 1-17.

ALBERTI, V.. 2007. Ouvir Contar. Textos em História Oral. Rio de Janeiro, FGV Editora, 196p.

BÉDARIDA, F. 2008. Tempo presente e presença da história. In: AMADO, J. e FERREIRA, M. M. (org.), Usos e abusos da história oral. 8 ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 219-299.

BRASILEIRO, J. 2010. Cultura afro-brasileira na escola: o congado na sala de aula. São Paulo: Ícone, 98p.

COOPER, F. HOLT, T. C., SCOTT, R. 2005. Além da escravidão: investigações sobre raça, trabalho e cidadania em sociedades pós-emancipação. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005. 346p.

COSTA, P. T. M. 2006. As raízes da Congada: a renovação do presente pelos filhos do rosário. Brasília, DF. Tese de doutorado. Universidade de Brasília. Brasília, 241p.

CUNHA, O. G. GOMES, F. S. (org.). 2007. Quase-cidadãos: histórias e antropologias da pós-emancipação no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 452p.

FERREIRA, M. M. e AMADO, J. (org.). 2006. Usos e abusos da história oral. 8 ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 304p.

FERREIRA, M. M. História oral: velhas questões, novos desafios. In: CARDOSO, C. F. e VAINFAS, R. (org.). 2011. Novos Domínios da História. Rio de Janeiro: Objetiva, 546p.

GILROY, P. 2001. O Atlântico Negro. Modernidade e dupla consciência. São Paulo, Rio de Janeiro, 34/ Universidade Cândido Mendes – Centro de Estudos Afro-Asiáticos, 345p.

HALBWACHS, M. 2004. A memória coletiva. São Paulo: Ed. Centauro, 322p.

KIDDY, E. 2005. blacks of the Rosary: memory and history in Minas Gerais, Brazil. PennsylvanisState: University Press, 2005. 456p.

MARTINS, L. M. 1997. Afrografias da Memória: o reinado do Rosário no Jatobá. São Paulo: Perspectiva; Belo Horizonte: Mazza Edições, 223p.

MATTOS, H. 2013. Das cores do silêncio: os significados da liberdade no sudeste escravista (Brasil, século XIX). 3 ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 381p.

POLLACK, M. 1989. “Memória, esquecimento e silêncio”. Estudos Históricos, vol. 2, n.3, 1989. p. 3-15.

POLLACK, M. 1992. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, n. 10.

RIOS, A. L. 2004. O pós-abolição como problema histórico: balanços e perspectivas. Topoi (Rio de Janeiro), Rio de Janeiro, v. 5, n. 8, p. 170-198.

RIOS, A. L. MATTOS, H. 2005. Memórias do cativeiro: família, trabalho e cidadania no pós-abolição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 301p.

SLENES, R. W. 2007. “Eu venho de muito longe, eu venho cavando”: jongueiros cumba na senzala centro-africana. In: LARA, S. H. e PACHECO, G. (org.). Memória do Jongo. As gravações históricas de Stanley Stein, Vassouras, 1949. Rio de Janeiro: Folha Seca/Campinas: Cecult.

SIRINELLI. J. 2006. A geração. In: AMADO, J. e FERREIRA, M. M. (org.), Usos e abusos da história oral. 8 ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 131-137.

SOUZA, M. M. 2001. Reis negros no Brasil escravista: história da festa de coroação do rei congo. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 234p.

O periódico Resgate utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.