Memórias dançantes: a (re)invenção de uma tradição por grupos de Coco de mulheres no Cariri – CE

Autores

  • Camila Mota Farias Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v22i27.8645767

Palavras-chave:

Dança. Memória. Tradição. História oral.

Resumo

Este artigo possui o objetivo de analisar como grupos de mulheres no Cariri cearense se apropriam da dança do Coco, construindo uma tradição. Utilizando as metodologias da História Oral e do trabalho de campo, realizamos nove entrevistas, com mestras e dançadeiras, que são as fontes dessa reflexão com letras de músicas de suas autorias. Por meio das memórias das mulheres, percebemos que, ao se apropriarem da dançado Coco, ressignificam a manifestação, (re)inventando uma tradição, processo que incide sobre suas identidadese produz um Coco de diferença, constituído pelo passado/presente. Assim, o artigo está dividido em três momentos: inicialmente, uma discussão sobre Dança, História Oral e Memória; em seguida, uma apresentação da dança do Coco e dos grupos estudados; e, por fim, são tecidas reflexões sobre algumas movimentações possíveis de memórias dançantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Mota Farias, Universidade Estadual do Ceará

Mestra em História pelo Mestrado Acadêmico em História e Culturas da Universidade Estadual do Ceará - UECE (2016), Especialista em História do Brasil pela Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA (2016), graduada em História pela Universidade Estadual do Ceará - UECE (2013) e Integrante do Laboratório de Estudos e Pesquisas em História e Culturas - DÍCTIS. Tem experiência na área de História, desenvolvendo estudos sobre os seguintes temas: Culturas, Memória, História e Dança.

Referências

AMORIM, Maria Alice. 2007. No visgo do improviso ou a peleja virtual entre cibercultura e tradição. Comunicação e mídia digital nas poéticas de oralidade. São Paulo, SP. Dissertação de mestrado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 118p.

ANDRADE, Mário de. 2002. Os cocos. Belo Horizonte, Itatiaia, 512p.

ARAUJO, Ridalvo Felix de. 2013. Na batida do corpo, na pisada do cantá: inscrições poéticas no coco cearense e candombe mineiro. Belo Horizonte, MG. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Minas Gerais, 149p.

ARRAIS, Joubert de Albuquerque. 2013. Quando fazer é pensar e pesquisar: andanças epistemológicas. Dança, v.2, n.1: 58-72.

AYALA, Maria I.; AYALA, Marcos (orgs.). 2000. Cocos: alegria e devoção. Natal, EDUFRN, 304p.

BARROSO, Oswald. 1982. O coco de praia em Majorlândia. In: CARIRY, Rosemberg; BARROSO, Oswald (orgs.). Cultura insubmissa: estudos e reportagens. Fortaleza, Secretaria de Cultura e Desporto.

BATATEIRA, A gente do Coco da. Forró Balancear. In: Barra do Dia. Pindoretama Record’s, s/d. 1 CD. Faixa 4.

BLOCH, Marc. 2002. Apologia da História ou O Ofício de Historiador. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 160p.

BOSI, Ecléa. 1994. Memória e Sociedade: lembranças de velhos. 3. ed. São Paulo, Companhia das letras, 484p.

CAROZZI, María J. (coord.). 2011. Las palabras y lós passos: etnografias de la danza em la ciudad. Buenos Aires, Gorla, 263p.

CASCUDO, Câmara. 2012. Folclore do Brasil. 3. ed. Natal, FJA, 230p.

DELEUZE, Gilles. 2006. Diferença e repetição. 2. ed. Rio de Janeiro, Graal, 437p.

DORES, Maria das. Maria das Dores: entrevista [abr. 2014]. Entrevistadora: Camila Mota Farias. Juazeiro do Norte, CE: 2014. Arquivos de mp3.

FARIAS, Camila Mota. 2012. O coco vem de dentro da gente: ressignificações culturais da dança do coco em Balbino – CE (1997-2012) . Fortaleza, CE. Monografia de graduação. Universidade Estadual do Ceará, 108 p.

FENTRESS, James; WICKHAM, Chris. 1992. Recordar. In: FENTRESS, James; WICKHAM, Chris. Memória social: novas perspectivas sobre o passado. Lisboa, Teorema, p. 13-58.

GEERTZ, C. 1989. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 323p.

GREINER, Christine. 2012. O registro da dança como o pensamento que dança. Revista D’Art, v. 4: 38-43.

GUARATO, Rafael. 2010. História e dança: um olhar sobre a cultura popular urbana – Uberlândia 1990/2009. Uberlândia, MG. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Uberlândia, 226p.

HOBSBAWN, Eric; RANGER, Terence (orgs.). 1997. A invenção das Tradições. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 316p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo Agropecuário. Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: . Acesso em: 14 de maio de 2014.

JUCÁ, Gisafran Nazareno Mota. 2003. A oralidade dos velhos na polifonia urbana. Fortaleza, Premius, 129p.

MONTEIRO, Marianna. 2011. Dança Popular: Espetáculo e Devoção. São Paulo, Editora Terceiro Nome, 239p.

MORAES, Maria de Lourdes. Maria de Lourdes Moraes: entrevista [ago. 2013]. Entrevistadora: Camila Mota Farias. Crato, CE: 2013. Arquivos de mp3.

NANINHA, Ana: Ana Naninha: entrevista [4 ago. 2013]. Entrevistadora: Camila Mota Farias. Crato, CE: 2013. Arquivos de mp3.

NAPOLITANO. Marcos. 2005. História & Música. 3. ed. Belo Horizonte, Autêntica, 117p.

NASCIMENTO, Marinêz Pereira do. Aboio do vaqueiro. In: Coco. Projeto Mestres Navegantes, 2012. 1 CD. Faixa 9.

NASCIMENTO, Marinêz Pereira. Marinêz Pereira do Nascimento: entrevista [ago. 2013] Entrevistadora: Camila Mota Farias. Juazeiro do Norte, CE: 2013. Arquivos de mp3.

NEIDE, Maria. Maria Neide: entrevista [abr. 2014]. Entrevistadora: Camila Mota Farias. Crato, CE: 2014. Arquivos de mp3.

NOGUEIRA, Maria. Maria Nogueira: entrevista [abr. 2014]. Entrevistadora: Camila Mota Farias. Crato, CE: 2014. Arquivos de mp3.

NOGUEIRA, Maria. Maria Nogueira: entrevista [ago. 2013]. Entrevistadora: Camila Mota Farias. Crato, CE: 2014. Arquivos de mp3.

NOGUEIRA, Maria. Pra cantar não tem idade. In: Flor do Liro. Pindoretama Record’s, s/d. 1 CD. Faixa 8.

PERROT, Michelle. 1989. Práticas da memória feminina. Revista Brasileira de História, v.9, n. 18: 9-18.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. 2003. História & história cultural. Belo Horizonte, Autêntica, 130p.

PORTELLI, Alessandro. 1997. Tentando aprender um pouquinho. Algumas reflexões sobre a ética na história oral. Projeto História: Revista do programa de estudos pós-graduados em História e do Departamento de História da PUC-SP, n.15:13-49.

PORTELLI, Alessandro. 2013. A Morte de Luigi Trastulli e outros ensaios. Ética, memória e a acontecimento na História Oral. Lisboa, Unipop, 205p.

ROCHA, Thereza. 2012. Dança | Filosofia: verso e reverso de um dizer. Urdimento, n.19: 73-82.

SANTHIAGO, Ricardo. 2013. História oral e as artes: percursos, possibilidades e desafios. História Oral, v. 16, n. 1: 155-187.

SILVA, Djanilson Amorin. 2008. Os cocos no Ceará: dança, música e poesia oral em Balbino e Iguape. Fortaleza, CE. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Fortaleza, 93p.

SILVA, Edite Dias de Oliveira. Edite Dias de Oliveira Silva: entrevista [ago. 2013]. Entrevistadora: Camila Mota Farias. Crato, CE: 2013. Arquivos de mp3.

SILVA, Maria Alta da. Maria Alta da Silva: entrevista [abr. 2014]. Entrevistadora: Camila Mota Farias. Juazeiro do Norte, CE: 2014. Arquivos de mp3.

VILELA, Lilian Freitas. 2010. Uma vida em dança: movimentos e percursos de Denise Stutz. 150p. Campinas, SP. Tese de doutorado. Universidade Estadual de Campinas, 150p.

Downloads

Publicado

2014-10-27

Como Citar

FARIAS, C. M. Memórias dançantes: a (re)invenção de uma tradição por grupos de Coco de mulheres no Cariri – CE. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 22, n. 1, p. 51–60, 2014. DOI: 10.20396/resgate.v22i27.8645767. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8645767. Acesso em: 1 dez. 2021.