Entre a crítica, o público e o autor: construção de sentido e crítica social em Brave New World de Aldous Huxley

  • Rafael da Cunha Duarte Francisco Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Aldous Huxley. Distopia. Morte.

Resumo

Esse trabalho tem como principal objetivo discutir o projeto estético criado por Aldous Huxley em seus romances distópicos, especialmente em "Brave New World", primeiramente publicado em 1932. A partir da comparação com alguns outros romances distópicos do mesmo período, pretendemos demonstrar como  parece haver na obra de Huxley um projeto estético que se situa entre a crítica especializada, seu público e a representação de si mesmo como alguém apto a prognosticar o futuro por meio de seu romance. Ao abordarmos a questão da morte no interior da trama ficcional, pretendemos apresentar ao leitor como esse prognóstico tenta validar-se, com mais ou menos sucesso, diante de seu público como o futuro a ser encarado pelos homens e mulheres das próximas gerações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael da Cunha Duarte Francisco, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011) e mestrado em História Social da Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2014). Atualmente é bolsista CAPES em nível de doutorado ligado ao Programa de Pós-graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Professor de História em diversas escolas da rede particular na cidade do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Literária, Teoria da História e Ensino de História.

Referências

ARENDT, Hannah. A Vida do espírito: o pensar, o querer e o julgar. São Paulo: Civilização brasileira, 2008.

AUERBACH, Erich. Mimesis: a representação da realidade na literatura ocidental. São Paulo, Perspectiva, 2011.

BERLIN, Isaiah. Limites da utopia: capítulos da história das ideias. São Paulo, Companhia das Letras, 1991.

BERLIN, Isaiah. BLOOM, Harold. Introduction. In: William Shakespeare’s Hamlet. New York and Philadelphia: Chelsea house publishers, 1986.

CALDER, Jenni. Huxley and Orwell: Brave New World and Nineteen Eighty-Four. London, Edward Arnold, 1976.

FIRCHOW, Peter. Aldous Huxley: satirist and novelist. Minneapolis: University of Minessota Press, 1972.

FIRCHOW, Peter. Reluctant Modernists: Aldous Huxley and Some Contemporaries. Edited by Evelyn S. Firchow and Bernfried Nugel. Berlin, LIT VERLAG, 2002.

GINZBURG, Carlo. Nenhuma ilha é uma ilha: quatro visões da literatura inglesa. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

GRUSHOW, Ira. Brave New World and The Tempest. In: College English, Vol. 24, No. 1 (Oct, 1962), pp- 42-45. Disponível em: www.jstor.org/stable/373846

HABERMAS, Jürgen. A crise do estado de bem-estar social e o esgotamento das energias utópicas. In: Diagnósticos do tempo, seis ensaios. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 2005.

HUXLEY, Aldous. Brave New World. Essex: Longman Group & Chatto & Windus, 1991.

ISER, Wolfgang. O fictício e o imaginário. Trad. Johannes Kretschmer. Rio de Janeiro: EDUERJ.

KOSELLECK, Reinhart. Crítica e crise: uma contribuição à patogênese do mundo burguês. Rio de Janeiro, EDUERJ: contraponto, 1999.

KOSELLECK, Reinhart. Historias de conceptos. Estudios sobre semántica y pragmática del lenguaje político y social. Madrid: Editorial Trotta, 2012.

LIMA, Luiz Costa. Entre realismo y figuración: el realismo decentrado de Auerbach. In: revista Histoya y grafía, nº 32, 2009, pp. 109-129

MECKIER, Jerome. Aldous Huxley: Modern Satirical Novelist of Ideas. Edited by Peter E. Firchow and Bernfried Nugel. Berlin, LIT VERLAG, 2006.

PAVLOSKI, Evanir. Admirável Mundo Novo e a Ilha: entre o idílio e o pesadelo utópico. 362f Tese (Doutorado em Letras), Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Federal do Paraná. 2012.

WILLIAMS, Raymond. Utopia e ficção científica. In: Cultura e sociedade: de Coleridge a Orwell. São Paulo: Editora Vozes, 2011.

Publicado
2015-01-22
Como Citar
Francisco, R. da C. D. (2015). Entre a crítica, o público e o autor: construção de sentido e crítica social em Brave New World de Aldous Huxley. Resgate: Revista Interdisciplinar De Cultura, 22(2), 37-46. https://doi.org/10.20396/resgate.v22i28.8645777