As ações culturais do Departamento de Cultura da cidade de São Paulo através dos Parques Infantis

  • Lucas Garcia Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Parque infantil. Departamento de cultura. Mário de Andrade. Política cultural.

Resumo

O presente trabalho tem com objetivo a discussão da gestão dos Parques Infantis pelo Departamento de Cultura da cidade de São Paulo, na década de 1930. De certo, influenciados pelo movimento modernista, os gestores aplicaram novos métodos às atividades dos parques que atendiam crianças de 3 a 12 anos de idade, filhas de operários e trabalhadores de fábricas. Dirigido por Mário de Andrade, o departamento obteve em poucos anos ótimos resultados e se tornou referência em alguns países europeus, inaugurando assim as políticas culturais no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Garcia, Universidade Federal Fluminense

Graduado em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense e mestre em Cultura e Territorialidades pela mesma instituição. Investiga a disposição do deslocamento como forma de experiência entre os corpos, as cidades e as políticas culturais.

Referências

APOSTOLIDES, Jean Marie. Rei Máquina: o espetáculo e política no tempo de Luís XIV. Brasília, EduUNB, 1993.

ALVARENGA, Oneyda. Mário de Andrade, um pouco. Rio de Janeiro, J. Olympio; São Paulo, Conselho Estadual de Cultural, 1974.

ANDRADE, Mário. Macunaima. O Herói sem nenhum caráter. 16 ed. São Paulo, Martins Fontes, 1978.

ANDRADE, Mário. Padre Jesuíno do Monte Carmelo. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 2012.

ANDRADE, Mário. Paulicéia Desvairada in: Poesias Completas. 8 ed. São Paulo, Martins Fontes, 1980.

ANDRADE, Mário. O Turista Aprendiz. São Paulo, Duas Cidades, Secretaria da Cultura, Secretaria de Ciência e Tecnologia, 1976.

ANDRADE, Mário. Pequena História sobre a música brasileira. Belo Horizonte, Itatiaia, 1987.

BARBALHO, Alexandre. Políticas Culturais no Brasil. Salvador, EUFBA, 2007.

CASTRO, Moacyr Werneck. Mário de Andrade, exílio no Rio. Rio de Janeiro, Rocco, 1989.

CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas Híbridas. 5ed. São Paulo, EDUSP, 2013.

CUNHA, Euclides da. Caderneta de campo. Introd., notas e comentário por Olímpio de Souza Andrade. São Paulo, Cultrix; Brasília, INL, 1975.

DUARTE, Paulo. Mário de Andrade por ele mesmo. 2.ed. São Paulo, Secretaria Municipal de Cultural, 1985.

HALL, Stuart. A identidade cultura na pós-modernidade. Rio de Janeiro, 2001.

HOBSBAWM, Eric. A Era dos Extremos. São Paulo, Cia das Letras, 1999.

Mário de Andrade e os Parques Infantis. (in) Revista Itaú Cultural. São Paulo, Itaú Cultural, 2013.

SANDRONI, Carlos. Mário contra Macunaíma: cultura e política em Mário de Andrade. Rio de Janeiro, IUPRJ, 1988.

ORTIZ, Renato. Mundialização da cultura. São Paulo, 1997.

PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. Instituto Histórico e Geográfico da cidade de São Paulo.

Tabela de Estudos Demográficos. Apresenta levantamentos referentes ao senso de 1940 na cidade de São Paulo. Disponível em:<http://www.smdu.prefeitura.sp.gov.br/hitorico_demografico/tabela/

pop_brasil.php>.Acesso em: 19 ago. 2014.

WAINER, J. P. A mundialização da cultura. Bauru: Editora da Universidade Sagrado Coração, 2000.

Publicado
2015-01-22
Como Citar
Garcia, L. (2015). As ações culturais do Departamento de Cultura da cidade de São Paulo através dos Parques Infantis. Resgate: Revista Interdisciplinar De Cultura, 22(2), 55-62. https://doi.org/10.20396/resgate.v22i28.8645779