Polifonia de Vozes: o ‘multicultural planning’ como método de avaliação de políticas culturais produzidas no espaço urbano

  • João Luiz Pereira Domingues Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Políticas culturais. Insurgência. Território.

Resumo

O artigo se dedica à reflexão em torno da relação entre as políticas culturais, a esfera pública e seus desdobramentos territoriais, tendo como acento a discussão metodológica. O que o artigo propõe ressaltar é a possibilidade de que certos grupos e indivíduos sejam invisibilizados ou não tematizados pela aparência consensual das políticas culturais. Desta feita, tenta-se aqui traduzir um modelo metodológico de planejamento urbano para fins de diminuição do risco de atrofia de expressões culturais na cidade. Ao tematizar o universo cultural na teoria do planejamento, o Multicultural Planning rejeita a adoção dos modelos de racionalidade instrumental em favor de um modelo de reconhecimento de experiências que ressaltam diferentes leituras sobre a construção da realidade e das diversas possibilidades de organização de práticas coletivas de administração e planejamento urbano e cultural. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Luiz Pereira Domingues, Universidade Federal Fluminense

Doutor em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/IPPUR. Professor adjunto I do curso de graduação em Produção Cultural e do Programa de Pós- Graduação em Cultura e Territorialidades da Universidade Federal Fluminense (UFF). 

Referências

BARBALHO, Alexandre. O papel da política e da cultura nas cidades contemporâneas. In: Políticas Culturais em Revista, 2 (2), p. 1-3, 2009.

BARBALHO, Alexandre. Textos Nômades: Política, Cultura e Mídia. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 2008.

BOURDIEU, Pierre. A Distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Zouk, 2007.

CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Edusp, 2000.

CARRACEDO, José Rubio. Pluralismo, multiculturalismo y cidadanía compleja. In: O’FARRELL, Pablo Badillo. Pluralismo, tolerancia, multiculturalismo: reflexiones para un mundo plural. Andalucía: Ediciones Askal, 2003.

CLOSA, C. Negotiating the Past: Claims for Recognition and Policies of Memory in the EU. Instituto de Políticas y Bienes Públicos(IPP), CCHS-CSIC, Working Paper, Número 8, 2010.

COSTA, António Firmino da: Políticas culturais: conceitos e perspectivas. Obs, n.o 2. Lisboa: Observatório das Actividades Culturais, 1997.

FRASER, Nancy. A justiça social na globalização: Redistribuição, reconhecimento e participação. Revista Crítica de Ciências Sociais, 63, Outubro 2002.

HARVEY, David. A justiça social e a cidade. São Paulo: Hucitec, 1980.

HARVEY, David. Condição Pós-Moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Loyola, 1996.

HARVEY, David. A produção capitalista do Espaço. São Paulo: Annablume, 2006.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: A gramática moral dos conflitos sociais. Trad. Luiz Repa. São Paulo: Ed. 34, 2003.

LEFÈBVRE, Henri. A revolução urbana. Belo Horizonte: UFMG, 1999.

MATTOS, Patrícia. O reconhecimento, entre a justiça e a identidade. Lua Nova, São Paulo, no. 63, 2004.

PÊCHEUX. Análise do Discurso: três épocas. In: GADET, F e HAK, T (orgs). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Pêcheux. Campinas: UNICAMP, 1990.

RITZDORF, Marscha. Feminist thoughts on the theory and practice of planning. In: Campbell, Scott; Fainstein, Susan. Readings in planning theory. Malden/Mass, Blackwell Publishers, 1996, pp. 445-450.

SANDERCOCK, Leonie. Framing insurgent historiographies for planning. In: SANDERCOCK, Leonie. Making the invisibile visible: a multicultural planning history. Berkeley, University of Califórnia Press, 1998, pp. 1-33.

SIMMEL, Georg. A metrópole a vida mental. In: VELHO, Gilberto (org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

WALSH, Catherine. Interculturalidad, Estado, Sociedad: Luchas (de)coloniales de nuestra época. Universidad Andina Simón Bolívar / Ediciones Abya-Yala: Quito, 2009.

WIRTH, Louis. O urbanismo como modo de vida. In: VELHO, Gilberto (org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar , 1976.

Publicado
2015-01-22
Como Citar
Domingues, J. L. P. (2015). Polifonia de Vozes: o ‘multicultural planning’ como método de avaliação de políticas culturais produzidas no espaço urbano. Resgate: Revista Interdisciplinar De Cultura, 22(2), 91-100. https://doi.org/10.20396/resgate.v22i28.8645783