Desafios e estratégias na construção de biografias de escravos: o caso dos rebeldes envolvidos no plano de insurreição de Campinas (1832)

Autores

  • Ricardo Figueiredo Pirola Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (IFCH/Unicamp).

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v23i29.8645787

Palavras-chave:

História do Brasil. Biografia de escravos. Rebelião escrava. Ligação nominativa de fontes

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar as questões que envolvem a pesquisa e a narrativa de biografias de escravos e forros, tomando como ponto de partida o estudo de um plano de insurreição, descoberto na cidade de Campinas no ano de 1832. A intenção é destacar os desafios que implicam a construção de trajetórias de “gente comum” e ainda algumas das estratégias que podem ser adotadas. Chamaremos a atenção para o método de ligação nominativa de fontes e para a análise quantitativa dos dados como possíveis caminhos para a elaboração dessas biografias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Figueiredo Pirola, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (IFCH/Unicamp).

Professor Doutor MS3 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Possui graduação em História pela Universidade Estadual de Campinas (2001). Obteve os títulos de mestrado (2005) e doutorado (2012) em História também pela mesma instituição. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil Império, História da África e História Contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: escravidão, cultura afro-brasileira, história do direito.

Referências

DAVIS, Natalie Zemon. O retorno de Martin Guerre. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

DAVIS, Natalie Zemon. Nas margens: três mulheres do século XVII. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

FRANK, Zephyr L. Dutra’s world: wealth and family in nineteenth-century Rio de Janeiro. Albuquerque: Editora da Universidade de New Mexico, 2004.

FURTADO, Júnia Ferreira. Chica da Silva e o contador dos diamantes: o outro lado do mito. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

GINZBURG, Carlo. O queijo e os vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela Inquisição. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

GRAHAM, Sandra Lauderdale. Caetana diz não: histórias de mulheres da sociedade escravista brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

LADURIE, Emmanuel Le Roy. Montaillou, povoado occitânico de 1294 a 1324. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

LEVI, Giovanni. A herança imaterial: trajetória de um exorcista no Piemonte do século XVII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

MACHADO, Maria Helena. Corpo, Gênero e Identidade no Limiar da Abolição: a história de Benedicta Maria Albina da Ilha ou Ovídia, escrava (sudeste, 1880). Revista Afro-Ásia, v. 42, UFBA (Bahia), 2010, p. 157-193.

QUEIRÓS, Suely Robles Reis de. Escravidão negra em São Paulo: um estudo das tensões provocadas pelo escravismo no século XIX. Rio de Janeiro: José Olympio, 1977.

REIS, João José & GOMES, Flávio dos Santos & CARVALHO, Marcos. O alufá Rufino: tráfico, escravidão e liberdade no atlântico (1822-1853). São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

REIS, João José. Domingos Sodré, um sacerdote africano: escravidão, liberdade e candomblé na Bahia do século XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

SWEET, James H. Domingos Álvares: african healing, and the intelectual history of the Atlantic World. Chapel Hill: The University of North Carolina Press, 2011.

XAVIER, Regina Célia. Religiosidade e escravidão, século XIX: mestre Tito. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

Downloads

Publicado

2015-07-29

Como Citar

PIROLA, R. F. Desafios e estratégias na construção de biografias de escravos: o caso dos rebeldes envolvidos no plano de insurreição de Campinas (1832). Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 23, n. 1, p. 5–14, 2015. DOI: 10.20396/resgate.v23i29.8645787. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8645787. Acesso em: 8 dez. 2021.