Umbra: uma reflexão acerca da memória construída a partir do discurso literário

Autores

  • Naiara Sales Araújo Universidade Federal do Maranhão (UFMA).
  • Fábio Henrique Novais de Mesquita Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v24i1.8647134

Palavras-chave:

Literatura. Ficção científica brasileira. Memória. Discurso literário. Lugares de memória.

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão sobre as considerações feitas sobre a memória, sua elaboração e implicações na constituição de identidades a partir de estudos realizados por Maurice Halbwachs, Pierre Nora e Michael Pollak. As considerações feitas por Dominique Maingueneau, que situam o discurso literário a partir de suas condições de produção, fazem pensar na escrita literária como uma atividade de linguagem profundamente marcada pela história. O estudo se alia à abordagem de Naiara Araújo acerca da Ficção Científica Brasileira (FCB), pouco conhecida tanto como gênero que dialoga com o contexto social, político e cultural, quanto como reveladora dos interstícios que a narrativa histórica não se propõe a registrar. A partir da novela de Plínio Cabral, Umbra (1977), é traçado um percurso dialógico que leva em consideração a literatura como lugar de memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Naiara Sales Araújo, Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Doutora em Literatura Comparada pela Universidade Metropolitana de Londres, Mestra em Estudos  Literários pela Universidade Metropolitana de Londres e Mestra em Letras pela Universidade Federal do Piauí. Possui Especialização em Língua Inglesa pela Universidade Estadual do Piauí e Graduação em Letras Inglês pela Universidade Federal do Piauí. É professora da Universidade Federal do Maranhão. Coordena o grupo de pesquisa FICÇA – Ficção Científica, Gêneros Pós-modernos e Representações Artísticas na Era Digital (CNPq).

Fábio Henrique Novais de Mesquita, Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Mestrando em Letras pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), graduado em Letras pela mesma universidade. É professor de Língua Portuguesa e membro do grupo de pesquisa FICÇA – Ficção Científica, Gêneros Pós-modernos e Representações Artísticas na Era Digital (CNPq).

Referências

ALTHUSSER, Louis. Ideologia e os Aparelhos Ideológicos do Estado. São Paulo: Martins Fontes, 1980.

ARAÚJO, Naiara Sales. Brazilian Science Fiction and the Colonial Legacy. São Luís: Edufma, 2014.

BARNSLEY, Godofredo Emerson. Regeneração nacional: crônica da sociedade brasileira futura. São Paulo: Rothschild, 1909.

CABRAL, Plínio. Umbra. São Paulo: Summus, 1977.

COUTINHO, Albino Jose Ferreira. A Liga dos Planetas. Porto Alegre: Livraria Americana, 1923.

GASTÃO Crulz. Amazonia misteriosa.. Rio de Janeiro: Livraria Castilho, 1925.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e Identidade. Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.

HALBWALCHS, Maurice. A memória coletiva (1950). Tradução de Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 2003.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

LOBATO, Monteiro. O Presidente Negro. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1926.

MAINGUENEAU, Dominique. Discurso literário. Tradução de Adail Sobral. São Paulo: Contexto, 2014.

MOLINA-GAVILAN, Yolanda; BELL, Andrea; GINWAY, Elizabeth et al. A Chronology of Latin American Science Fiction, 1775-2005. Science Fiction Studies, Greencastle, Indiana, v. 34, n. 3, p. 369-431, 2007.

NORA, Pierre. Entre a memória e a história: a problemática dos lugares. Projeto História, São Paulo, v. 10, n. 10, p. 7-28, 1993.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, p. 200-212,1992.

POLLAK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p. 3-15, 1989.

SANTOS, Joaquim Felício dos. Memorias do Districto Diamantino da Comarca do Serro do Frio (Provincia de Minas Gerais). 1. ed. Rio de Janeiro: Typographia Americana, 1868-1872.

TEÓFILO, Rodolfo. O Reino de Kiato: no País da Verdade. São Paulo: Monteiro Lobato Editor, 1922.

ZALUAR, Augusto Emílio. Exposição Nacional Brasileira de 1875. Rio de Janeiro: Typ. do Globo, 1875.

Downloads

Publicado

2016-10-14

Como Citar

ARAÚJO, N. S.; MESQUITA, F. H. N. de. Umbra: uma reflexão acerca da memória construída a partir do discurso literário. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 24, n. 1, p. 139–158, 2016. DOI: 10.20396/resgate.v24i1.8647134. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8647134. Acesso em: 25 jan. 2022.