Abordagem funcional de arquivos pessoais: reflexões a partir do Arquivo Epifânio Dória

Autores

  • Lorena de Oliveira Souza Campello Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGSE) / Secretaria de Estado da Educação (SEED-SE)

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v24i2.8647861

Palavras-chave:

Arquivos pessoais. Abordagem funcional. Epifânio Dória. Inventário cronológico. Índice estratificado.

Resumo

O objetivo do artigo em questão é discutir a importância do tratamento dos arquivos pessoais como arquivos, sendo merecedores de uma abordagem arquivística adequada. Para tanto, faremos uma demonstração fundamentada de um procedimento metodológico com arquivos pessoais, a partir do estudo de caso do arquivo de Epifânio Dória, tendo como resultado principal inventário cronológico do conjunto documental e índice estratificado. O arquivo é custodiado pelo Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, estando sob a responsabilidade da Seção de Biblioteca e Arquivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lorena de Oliveira Souza Campello, Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGSE) / Secretaria de Estado da Educação (SEED-SE)

Graduada em História (2004) pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente (2007) pela mesma universidade, e doutora em História Social (2015) pela Universidade de São Paulo (USP). É professora da rede pública de ensino do estado de Sergipe e diretora da Seção de Biblioteca e Arquivo do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGSE).

Referências

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Diplomática e tipologia documental em arquivos. 2. ed. Brasília: Briquet de Lemos Livros, 2008.

CAMARGO, A. M. de A.; GOULART, S. Tempo e circunstância: a abordagem contextual dos arquivos pessoais: procedimentos metodológicos adotados na organização dos documentos de Fernando Henrique Cardoso. São Paulo: Instituto Fernando Henrique Cardoso (iFHC), 2007.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Arquivos pessoais são arquivos. Revista do Arquivo Público Mineiro, Belo Horizonte, v. 45, n. 2, p. 26-39, jul./dez. 2009.

DUCROT, Ariane. Classificação dos arquivos pessoais e familiares. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 1, n. 21, p. 151-168, 1998.

FREITAS, Itamar. A escrita da História na “Casa de Sergipe”: 1913-1999. São Cristóvão: Editora UFS; Aracaju: Fundação Oviêdo Teixeira, 2002.

GONÇALVES, Janice. Como classificar e ordenar documentos de arquivo. São Paulo: Arquivo do Estado, 1998. 37 p. (Projeto como fazer, 2).

LOPEZ, André Porto Ancona. Arquivos pessoais e as fronteiras da arquivologia. Gragoatá. Niterói, n. 154, p. 1-140, jul./dez. 2003.

MEDINA, Ana Maria Fonseca (Org.). Efemérides Sergipanas. Aracaju: J. Andrade, 2009. v. 1.

MEDINA, Ana Maria Fonseca (Org.). Efemérides Sergipanas. Aracaju: J. Andrade, 2009. v. 2.

OLIVEIRA, Poliana Aragão Menezes. O que dizem as cartas? Formação e consolidação do IHGSE a partir de uma análise da correspondência de Epifânio Dória na década de 1930. 2004. 77 fls. Monografia (Licenciatura em História) – Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão. 2004.

SANTOS, Paulo Roberto Elian dos. Arquivos de Cientistas: gênese documental e procedimentos de organização. São Paulo: ARQSP, 2012.

SMIT, Johanna Wilhelmina; KOBASHI, Nair Yumiko. Como elaborar vocabulário controlado para aplicação em arquivos. São Paulo: Arquivo do Estado; Imprensa Oficial, 2003.

Downloads

Publicado

2016-12-22

Como Citar

CAMPELLO, L. de O. S. Abordagem funcional de arquivos pessoais: reflexões a partir do Arquivo Epifânio Dória. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 24, n. 2, p. 65–90, 2016. DOI: 10.20396/resgate.v24i2.8647861. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8647861. Acesso em: 28 nov. 2021.