Banner Portal
A disputa pela arte abstrata no Brasil: revisitando o acervo inicial do Museu de Arte Moderna de São Paulo, 1946-1952
Foice, cadeira e cesto sobre a eira (1952), de Renato Birolli [óleo/tela, 54 x 110 cm]. Coleção Francisco Matarazzo Sobrinho, MAC/USP. Fotografia de Rômulo Fialdini.
PDF

Palavras-chave

Figurativismo. Abstracionismo. Museu de Arte Moderna de São Paulo. Acervo. Bienal de São Paulo. Arte moderna italiana.

Como Citar

MAGALHÃES, Ana Gonçalves. A disputa pela arte abstrata no Brasil: revisitando o acervo inicial do Museu de Arte Moderna de São Paulo, 1946-1952. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 25, n. 1, p. 7–28, 2017. DOI: 10.20396/resgate.v25i1.8648167. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8648167. Acesso em: 27 maio. 2024.

Resumo

Pretende-se analisar aqui as contradições que emergem das duas campanhas de aquisição de obras (respectivamente em 1946-1947 e 1952-1954) que o primeiro presidente e patrono do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), Francisco Matarazzo Sobrinho, realizou na Itália. Nossa intenção é propor uma releitura do debate sobre a arte abstrata no contexto brasileiro em torno da criação do MAM e da Bienal de São Paulo, bem como reavaliar as ligações do ambiente artístico paulista com o meio artístico italiano, na busca de novos caminhos em direção à abstração. Esse estudo tem por objetivo revisar a narrativa de arte moderna no Brasil, tal como foi consolidada pela historiografia brasileira.

https://doi.org/10.20396/resgate.v25i1.8648167
PDF

Referências

ABADIE, Daniel. Alberto Magnelli. Paris: Centre National Georges Pompidou, 1993.

ARTISTAS ITALIANOS de hoje na Ia. Bienal do Museu de Arte Moderna de São Paulo [texto de apresentação de Rodolfo Pallucchini]. Veneza: Officine Grafiche Carlo Ferrari, 1951.

ALMEIDA, Fernando Azevedo de. O franciscano Ciccillo. São Paulo: Pioneira, 1976.

AMARAL, Aracy. Arte para quê? A preocupação social na arte brasileira 1930-1970. São Paulo: Studio Nobel, 2003.

BELLI, Gabriella (Org.). Afro: il periodo americano. Milão: Mondadori/Electa Mart, 2012.

BARROS, Regina Teixeira de. Revisão de uma história: a criação do Museu de Arte Moderna de São Paulo, 1946-1949. 2002. Dissertação (Mestrado em História e Crítica da Arte) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo. 2002.

BIROLLI, Renato. Taccuini 1936-1959. Milão: Einaudi, 1960.

BIROLLI, Zeno; RUSCONI, Paolo (Org.). Renato Birolli: Necropoli e Paesaggio Adriatico. Milão: Scalpendi, 2010.

BOSSAGLIA, Rossana. (1976). Il Novecento Italiano. Milão: Charta, 1995.

CANNISTRARO, Phillip; SULLIVAN, Brian. Il Duce's Other Woman. Nova York: William Morrow & Co., 1993.

CARAMEL, Luciano. Arte in Italia, 1945 – 1960. Milano: Vita e Pensiero, 1994.

DÉGAND, Léon (Org.). Do figurativismo ao abstracionismo. São Paulo: Museu de Arte de São Paulo, 1949a.

DÉGAND, Léon. O novo edifício da Sul América Terrestres, Marítimos e Acidentes – Sucursal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1949b.

ESPADA, Heloísa. Waldemar Cordeiro, The Rome Art Club, and its consequences on the Ruptura Manifesto. In: BRASA – CONGRESSO INTERNACIONAL DA BRASILIAN STUDIES ASSOCIATION, 13, 2016, Providence, Rhode Island, EUA. Programa Brasa XIII. Rhode Island: Brown University, 2016. Disponível em: http://www.brasa.org/wordpress/wp-content/uploads/2015/10/UECS_BRASA-1.pdf. Acesso em: mar. 2017.

EXPOSIÇÃO DO ART CLUB DE ROMA [texto de apresentação de Waldemar Cordeiro]. São Paulo: Museu de Arte Moderna de São Paulo, 1950.

FABRIS, Annateresa (Org.). História e(m) movimento. Atas do Seminário MAM 60 anos. São Paulo: Museu de Arte Moderna de São Paulo, 2008.

JACHEC, Nancy. Politics and Painting at the Venice Biennale, 1948-64. Italy and the Idea of Europe. Manchester: Manchester University, 2007.

LIFFRAN, Françoise. L'égerie du Duce. Paris: Seuil, 2009.

LOURENÇO, Maria Cecília França. Museus acolhem o moderno. São Paulo: Edusp, 1999.

MAGALHÃES, Ana Gonçalves. O debate crítica na exposição do Edifício Sul América, Rio de Janeiro, 1949. In: CONDURU, Roberto Conduru; SIQUEIRA, Vera Beatriz Siqueira (Orgs.). Anais do XXIX Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte. Historiografia da arte no Brasil: um balanço das contribuições recentes. Rio de Janeiro: Comitê Brasileiro de História da Arte, 2009, p. 120-128. Disponível em: http://www.cbha.art.br/coloquios/2009/anais/pdfs/anais_coloquio_2009.pdf. Acesso em: mar. 2017.

MAGALHÃES, Ana Gonçalves. Achille Funi nella Collezione del MAC USP. Rivista L'Uomo Nero: Materiali per una storia delli arti della Modernità, Milão, CUEM, p. 349-358, 2011.

MAGALHÃES, Ana Gonçalves. Classicismo moderno. Margherita Sarfatti e a pintura italiana no acervo do MAC USP. São Paulo: Alameda, 2016.

MAGALHÃES, Ana Gonçalves. The Quest for Abstract Art in Brazil: Revisiting the Primary Collection of the São Paulo Museum of Modern Art, 1946-1952. In: BRASA – CONGRESSO INTERNACIONAL DA BRASILIAN STUDIES ASSOCIATION, 13, 2016, Providence, Rhode Island, EUA. Programa Brasa XIII. Rhode Island: Brown University, 2016b. Disponível em: http://www.brasa.org/wordpress/wp-content/uploads/2015/10/UECS_BRASA-1.pdf. Acesso em: mar. 2017.

MILLIET, Sérgio. Pintura quase sempre. Porto Alegre: O Globo, 1944.

NASCIMENTO, Ana Paula. MAM: Museu para a metrópole. 2003. Tese (Doutorado em História da Arte e Arquitetura) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo. 2003. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16131/tde-12012005-122318/pt-br.php. Acesso em: mar. 2017.

OSÓRIO, Luiz Camillo; FABRIS, Annateresa (Orgs.). MAM 60 anos. São Paulo: Museu de Arte Moderna de São Paulo, 2008.

ROCCO, Renata Dias Ferraretto Moura. Danilo di Prete no Brasil: sobre relatos de vida, a criação da Bienal de São Paulo e o arquivo da família. In: FREIRE, M.C.M. (Org.). Escrita da História e (re)construção das memórias: arte e arquivos em debate. São Paulo: MAC USP/Annablume, 2016a. p. 335-340.

ROCCO, Renata Dias Ferraretto Moura. Considerações sobre a I Bienal de São Paulo: uma correspondência de Marco Valsecchi a Rodolfo Pallucchini. Revista de História da Arte e Arqueologia, Campinas, n. 25, 2016b [no prelo].

SILVA, Marina Barzon. O Astratto e Concreto de Lionello Venturi e o Gruppo degli Otto. Revista de História da Arte e Arqueologia, Campinas, n. 25, 2016 [no prelo].

SIMONGINI, Gabrielle; CONTI, Gisella. Cat. exp. Art Club 1945-1964. Parma: Galleria d'Arte Niccoli, 24 de outubro de 1998 a 20 de janeiro de 1999.

TOLEDO, Carolina Rossetti de. As doações Nelson Rockefeller no acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. 2015. Dissertação (Mestrado em Estética e História da Arte), Museu de Arte Contemporânea, Universidade de São Paulo. 2015. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/93/93131/tde-29012016-105805/pt-br.php. Acesso em: 10 jan. 2017.

TOTA, Antonio Pedro. O amigo americano. Nelson Rockefeller e o Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

VENTURI, Lionello. Astratto e Concreto. Rivista Trimestrale di Arte Cinema Teatro Musica Moda della Biennale di Venezia, n. 1, 1950.

VENTURI, Lionello. Otto pittori italiani. Roma: De Luca, 1952.

XXVI BIENNALE DI VENEZIA. Veneza: Alfieri, 1952.

O periódico Resgate utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.