Reconstituição de famílias e estudos por geração: linhagens fundadas por imigrantes alemães em Curitiba, século XIX e XX

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v25i2.8649742

Palavras-chave:

Fecundidade. Concepções. Gerações. Imigração. Contatos culturais.

Resumo

O presente texto foi construído para demonstrar as possibilidades teórico-metodológicas do arranjo de fichas de família de um grupo etnocultural, em função da seleção de 63 imigrantes que se instalaram na capital do Paraná na década de 1850, bem como e seus descendentes, até a terceira geração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sergio Odilon Nadalin, Universidade Federal do Paraná

Possui graduação em História (Licenciatura) pela Universidade Federal do Paraná (1966), mestrado em História pela Universidade Federal do Paraná (1975) e doutorado em História e Geografia das Populações - Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (1978). Atualmente, é professor do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná (UFPR), membro da Associação Paranaense de História, da Associação Nacional de História, da Asociación Latinoamericana de Población, da Associação Brasileira de Estudos Populacionais, da Societe de Demographie Historique e da Union Internationale pour l'Etude Scientifique de la Population. Sua experiência na área de História prioriza a História das Populações, atuando principalmente nos seguintes temas: história social da população, crítica de fontes paroquiais, regimes demográficos no passado, imigração germânica, processos de nominação e história da família com ênfase nas metodologias oriundas da demografia histórica.

Referências

ANDREAZZA, M. L.; NADALIN, S. O. O cenário da colonização no Brasil Meridional e a família imigrante. Revista Brasileira de Estudos de População, Campinas, v. 11, n. 1, p. 61-87, 1994.

BARTH, F. Grupos étnicos e suas fronteiras. In: POUTIGNAT, P; STREIFF-FENART, J. Teorias da Etnicidade. São Paulo: Unesp, 1998. p. 187-227.

BIDEAU, A.; NADALIN, S. O. Une communauté allemande au Brésil. De l’immigration au contacts culturels; XIXe.-XXe. siècle. Paris: INED, 2011.

BLANCPAIN, J. P. Migrations et mémoire germaniques em Amérique Latine. Strassbourg: Presses Universitaires de Strasbourg, 1994.

BÖBEL, Maria Thereza Eliza (Org.). Listas de imigrantes de Joinville de 1851 a 1891 e de 1897 a 1902. Joinville: Arquivo Histórico de Joinville, 1999. Disponível em: https://www.joinville.sc.gov.br/publicacoes/listas-de-imigrantes-de-joinville/. Acesso em: ago. 2017.

COLOGNESE, S. A. Gerações, fronteiras e italianidade no Sul do Brasil. Tempo da Ciência, Cascavel, v. 36, n. 18, p.137-152, 2011. Disponível em: http://unbral.nuvem.ufrgs.br/base/files/original/eb11cb5aa25e57b47c852fe0b7923d12.pdf. Acesso em: ago. 2017.

HOBSBAWM, E. J. A era do capital, 1848-1875. 10.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004.

LASLETT, P. Um monde que nous avons perdu. Famille, communauté et structure sociale dans l’Angleterre pré-industrielle. Paris: Flamarion, 1969.

MACFARLANE, A. História do casamento e do amor; Inglaterra, 1300-1840. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

MANNHEIM, K. O problema sociológico das gerações. In: FORACCHI, M. M. (Org.) Mannheim. São Paulo: Ática, 1982.

MOTTA, A. B. Gêneros, idades e gerações; introdução. Cadernos CRH, Salvador, v. 17, n. 42, p.349-355, 2004.

MUSEU MAÇÔNICO PARANAENSE. Loja Concórdia IV, nº 0.368, Curitiba. Disponível em: http://www.museumaconicoparanaense.com/MMPRaiz/LojaPRate1973/0368_Reerg_1902.htm. Acesso em: ago. 2017.

NADALIN, Sergio Odilon. O. Clube Concórdia. Curitiba: Clube Concórdia, 1972.

NADALIN, Sergio Odilon. A respeito de uma demografia histórica de contatos culturais. Cadernos de História, Belo Horizonte, v. 9, n. 11, p. 11-31, 2007a. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/issue/view/97/showToc. Acesso em: ago. 2017.

NADALIN, Sergio Odilon. João, Hans, Johann, Johannes: dialética dos nomes de batismo numa comunidade imigrante. História UNISINOS, São Leopoldo, v. 11, n. 1, p. 14-27, 2007b. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/historia/issue/view/134. Acesso em: ago. 2017.

NADALIN, Sergio Odilon. A constituição das identidades nacionais nos territórios de imigração: os imigrantes germânicos e seus descendentes em Curitiba (Brasil), na virada do século XX. Revista del CESLA, Universidade de Varsóvia, n. 15, 2012. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/2433/243326047002.pdf. Acesso em: ago. 2017.

NADALIN, Sergio Odilon. Reconstituição de famílias & nomes de batismo. Estudos por geração e minorias étnicas, séculos XIX e XX. In: COLOQUIO DE METODOLOGIA HISTORICA APLICADA, 7., 2013, Santiago de Compostela. Anais... Santiago de Compostela: Universidade de San Tiago de Compostela, 2013.

NADALIN, Sergio Odilon. Pré-malthusianismo, neomalthusianismo e concepções pré-nupciais. In: CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO DA DEMOGRAFIA HISTÓRICA, 11., 2016, Cádiz, Espanha. Anais...Cádiz: Universidad de Cádiz, 2016.

SEGALEN, M. Sociologie de la famille. Paris: A. Colin, 1993.

SHORTER, E. Female emancipation, birth control, and fertility in Europeau history. The American Historical Rewiew, Oxford, v. 78, n. 3, p. 607-640, 1973.

SHORTER, E. A formação da família moderna. Lisboa: Terramar, 1995.

SOUZA, R. M. S. Estrada do poente: escola Alemã/Colégio Progresso (Curitiba, 1930-1942). 2002. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2002.

SOUZA, R. M. S. Deutsche Schule, a Escola Alemã de Curitiba: um olhar histórico (1884-1917). 2006. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2006.

STROBEL, G. H. Memórias de Gustav Hermann Strobel. Relatos de um pioneiro da imigração alemã no Brasil. In: MACHADO, C. S; NADALIN, S. O. (Orgs.). Memória individual e discurso social. Curitiba: Instituto Memória, 2014. p. 193-219.

Downloads

Publicado

2017-12-19

Como Citar

NADALIN, S. O. Reconstituição de famílias e estudos por geração: linhagens fundadas por imigrantes alemães em Curitiba, século XIX e XX. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 25, n. 2, p. 191–208, 2017. DOI: 10.20396/resgate.v25i2.8649742. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8649742. Acesso em: 10 ago. 2022.