O mito fundador de Brasília expresso em discursos patrimoniais

uma análise de processos de tombamento

Palavras-chave: Mito de origem, Brasília, Monumento, Patrimônio.

Resumo

Brasília, capital da República, tem suas origens associadas a uma narrativa que se apoiou em um amálgama de fatos e elementos sociais, econômicos e simbólicos. Neste trabalho analisamos o papel da construção do discurso patrimonial de três edificações tombadas pelo governo local do Distrito Federal, o Catetinho, a Pedra Fundamental de Planaltina e a Casa da Fazenda Gama. Esses três bens patrimoniais têm em comum o fato de proclamarem, por meio das justificativas expressas na documentação dos processos de tombamento, que foi a partir deles que Brasília teve início. Analisamos como esta imagem é retratada em cada caso, e ao final concluímos que mesmo conflitantes, há uma sintonia de objetivos de uma narrativa patrimonial que visa glorificar a construção de Brasília e sua monumentalidade, apoiando-se em um patrimônio não monumental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Pereira Barbosa, Universidade de Brasília

Doutoranda em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília. Mestre em Design, Tecnologia e Sociedade pela Universidade de Brasília.

Referências

COUTO, Beatriz Coroa do. O processo de elaboração do plano de preservação do conjunto urbanístico de Brasília: uma representação conceitual da política de preservação urbana no DF. 2015. 183 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal no Rio Grande do Norte, Natal, 2015.

DISTRITO FEDERAL. Decreto de tombamento: nº 7.010/82. Inscrição no Livro de Tombo: Inscrição no Livro de Tombo: GDF: Livro II – Edifícios e Monumentos Isolados – DePHA – GDF, folha 001, inscrição nº 003, em 18/11/91. Tombamento: 1982.

DISTRITO FEDERAL. Decreto de tombamento: nº 26.660/2006. Inscrição no Livro de Tombo: GDF: Livro III – Conjuntos Urbanos e Sítios Históricos – DePHA, GDF, folha 003, inscrição nº 004, em 30/03/06. Tombamento: 2006.

GORELIK, Adrián. Das vanguardas de Brasília: cultura urbana e arquitetura na América Latina. Tradução de Maria Antonieta Pereira. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

GOVERNO FEDERAL. Inscrição no Livro de Tombo: Governo Federal: Livro Histórico do SPHAN, folha 55, inscrição nº 329, em 21/7/59. GDF: Livro II – Edifícios e Monumentos Isolados – DePHA – GDF – folha 003, inscrição nº 011, em 19/11/91. Tombamento: 1959.

GUIMARÃES, Manoel Luiz Salgado. Escrever a história, domesticar o passado. In: HERCULANO, Antonio; VELOSO, Monica Pimenta; PESAVENTO, Sandra Jatahy (Org.). História e linguagens: texto, imagem, oralidade. Rio de Janeiro: 7Letras, 2006. p. 45-57.

INSTITUTO do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Brasil). Superintendência do Iphan no Distrito Federal. GT Brasília: memórias da preservação do patrimônio cultural do Distrito Federal / Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Brasil). Superintendência do Iphan no Distrito Federal; organização Carlos Madson Reis, Sandra Bernardes Ribeiro e Thiago Pereira Perpétuo; texto Briane Panitz Bicca et al. – Brasília, 2016.

MOREIRA, Vânia Maria L. Brasília: a construção da nacionalidade. Um meio para muitos fins. Vitória: Edufes. 1998.

OLIVEIRA, Marcio. Brasília: o mito na trajetória da nação. Brasília: Paralelo 15, 2005. PENNA, José Osvaldo de Meira. Quando mudam as capitais. Brasília: Senado Federal, 2002.

PERPÉTUO, Thiago Pereira. Uma cidade construída em seu processo de patrimonialização: modos de narrar, ler e preservar, Brasília: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 2015.

POULOT, Dominique. Uma história do patrimônio no Ocidente, séculos XVIII-XXI: do monumento aos valores.Tradução de Guilherme João de Freitas Teixeira. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

REIS, Carlos Madson. Conjunto urbanístico de Brasília: da preservação e outros demônios. In: RIBEIRO, Sandra Bernardes; PERPÉTUO, Thiago; MEDEIROS, Ana Elisabete et al. (Org.). Patrimônio em transformação: atualidades e permanências na preservação de bens culturais em Brasília. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Brasil). Superintendência do IPHAN no Distrito Federal. Brasília, 2016.

VIDAL, Laurent. De Nova Lisboa a Brasília: a invenção de uma capital (séculos XIX-XX). Tradução de Florence Marie Dravet. Brasília: UnB, 2009.

VIDESOTT, Luísa. Narrativas da construção de Brasília: mídia, fotografias, projetos e história. 2009. 339 f. Tese (Doutorado em Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo) – Universidade de São Paulo, São Carlos, 2009.

Publicado
2019-06-18
Como Citar
Barbosa, D. P. (2019). O mito fundador de Brasília expresso em discursos patrimoniais. Resgate: Revista Interdisciplinar De Cultura, 27(1), 35-56. https://doi.org/10.20396/resgate.v27i1.8654751