Mortalidade e migração no período da seca de 1877-1879 na freguesia de São José (Fortaleza/CE)

Autores

  • Dayane Julia Carvalho Dias Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v27i2.8656538

Palavras-chave:

Seca, Mortalidade, Migração, Fortaleza, Ceará.

Resumo

No período de 1877 a 1879, a província do Ceará foi atingida pelo fenômeno climático da seca, a qual ocasionou grandes repercussões sociais, culturais e econômicas. Tal fenômeno interferiu no funcionamento da dinâmica populacional da região, sobretudo na alteração de perfis migratórios e de mortalidade. Desta forma, este artigo tem por objetivo analisar o impacto causado pela seca na dinâmica populacional da freguesia de São José (Fortaleza), com base em fontes históricas – os registros paroquiais de óbitos. Por meio de tais fontes, são analisados aspectos relacionados ao sexo, idade, naturalidade e causa de óbito. Os resultados indicam um aumento da mortalidade no ano de 1878, devido à presença de retirantes na Capital (Fortaleza) e à disseminação de doenças epidêmicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dayane Julia Carvalho Dias, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda em demografia (UNICAMP).

           

 

Referências

AGUIAR, João José Ferreira de. [Relatório] 22 fev. 1878, passou a administração da província do Ceará ao Exmo. Sr. Dr. Paulino Nogueira Borges da Fonseca. Fortaleza: Typographia Brasileira, 1878. Disponível em: http://ddsnext.crl.edu/titles. Acesso em: 15 jul. 2019.

BARBOSA, Francisco Carlos J. Administrar a precariedade: Saúde Pública e epidemias em Fortaleza (1850-1880). O público e o privado, Fortaleza, v. 7, n. 13, p. 95-106, jan./jun. 2009. Disponível em: http://www.uece.br/mahis/dmdocuments/carlosjacinto.pdf. Acesso em: 20 abr. 2019.

BARROS, José Julio de Albuquerque. [Discurso] 1 nov. 1878, falla com que abriu a 1ª sessão da 24ª legislatura da Assembléa Provincial. Fortaleza: Typographia Brasileira, 1879. Disponível em: http://ddsnext.crl.edu/titles. Acesso em: 15 jul. 2019.

BLUTEAU, Raphael. Vocabulario portuguez & latino: aulico, anatomico, architectonico. Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesus, 1712-1728. v. 8. Disponível em: http://dicionarios.bbm.usp.br/pt-br/dicionario/edicao/1. Acesso em: 2 ago. 2019.

BURKE, Peter. Abertura: a nova história, seu passado e seu futuro. In: BURKE, Peter (Org.). A escrita da História: novas perspectivas. São Paulo: Editora Unesp, 2011. p. 7-38.

CARDOSO, Antonio Alexandre I. As secas e as migrações entre o Ceará e o território amazônico (1845-1877). Revista Espacialidades, Natal, v. 7, n. 1, p. 34-46, maio 2014. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/espacialidades/article/view/17621/11482. Acesso em: 28 jul. 2019.

CHALHOUB, Sidney. Cidade febril. Cortiços e epidemias na Corte imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

CHERNOVIZ, Pedro Luiz Napoleão. Diccionario de Medicina Popular e das sciencias accessarios para o uso das famílias. 6 ed. Paris: A. Roger & F. Chernoviz, 1890. v. 1. Disponível em: http://dicionarios.bbm.usp.br/pt-br/dicionario/edicao/1. Acesso em: 2 ago. 2019.

COSTA, Jurandir Freire. Ordem médica e norma familiar. Rio de Janeiro: Graal. 1979.

GIRÃO, Raimundo. História econômica do Ceará. Fortaleza: Instituto do Ceará, 1947.

GRAHAM, Richard. Nos tumbeiros mais uma vez? O comércio interprovincial de escravos no Brasil. Revista Afro-Ásia, Salvador, v. 27, p. 121-160, 2002.

IGREJA CATÓLICA. Registros paroquiais, 1726-1952. São José da Catedral (Centro, Fortaleza, Ceará). Óbitos 1862-1873, 1872-1882, 1873-1880, 1878-1889. Microfilme 2124304, n. filme 004815740, itens 2-12, imagem 444-2840. Disponível em: https://www.familysearch.org/search/film/004815740. Acesso em: 25 mar. 2019.

JORGE, Karina Camarneiro. A modificação da vida urbana da cidade de São Paulo no século XIX a partir das ações sanitárias – A construção de cemitérios e a prática de sepultamentos. In: ENCONTRO NACIONAL DE HISTÓRIA, 24., 2007, São Leopoldo. Anais… Rio Grande do Sul: ANPUH, 2007, p. 1-9.

LIVI-BACCI, Massimo. Crises de mortalidade: definição, métodos de cálculo, análise das consequências. In: MARCÍLIO, Maria Luiza (Org.). População e sociedade. Evolução das sociedades pré-industriais. Petrópolis: Vozes, 1984. p. 69-109.

MARCÍLIO, Maria Luiza. Os registros paroquiais e a História do Brasil. Varia História, Belo Horizonte, v. 20, n. 31, p. 13-20, 2004.

MARCÍLIO, Maria Luiza. Sistemas demográficos no Brasil do século XIX. População e sociedade: Evolução das sociedades pré-industriais. Petrópolis: Vozes, 1984.

MARTINS, Letícia Lustosa. Varíola em Fortaleza: marcas profundas de uma experiência dolorosa (1877-1881). 2012. 153 f. Dissertação (Mestrado em História)–UECE, Fortaleza, 2012.

MELO, Evaldo Cabral de. O norte agrário e o Império. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

NOTESTEIN, Frank W. Population: the long view. In: SCHULTZ, Theodore W. (Org.). Food for the world. Chicago: University of Chicago Press, 1945. p. 36-47.

NOZOE, Nelson; BASSANEZI, Maria Silvia; SAMARA, Eni de M. Os refugiados da seca: emigrantes ceareses, 1888-1889. Campinas: NEHD; NEPO; CEDHAL, 2003.

OMRAN, Abdel R. The epidemiologic transition: a theory of the epidemiology of population change. The Milbank Memorial Fund Quarterly. New York, v. 49, n. 4, part 1, 509-538, out. 1971.

PONTE, Sebastião Rogério. Fortaleza Belle Époque. Reformas urbanas e controle social (1860-1930). 2. ed. Fortaleza: Fundação Demócrito Rocha, 1999.

PORTER, Roy. História do corpo. In: BURKE, Peter (Org.). A escrita da História: novas perspectivas. São Paulo: Editora da Unesp, 2011. p. 297-333.

REZENDE, Joffre Marcondes. Epidemia, endemia, pandemia. Epidemiologia. Revista de Patologia Tropical, Goiás, v. 27, n. 1, p. 153-155, 1998.

ROCHA POMBO, José Francisco de. História do Rio Grande do Norte. Rio de Janeiro: Annuario do Brasil, 1922.

RIPSA, Rede Interagencial de Informação para a Saúde. Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações. 2 ed. Brasília: Organização Pan-Americana de Saúde, 2008. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/tabdata/livroidb/2ed/indicadores.pdf. Acesso em: 10 set. 2019.

SECRETO, María Verónica. Ceará, a fábrica de trabalhadores: emigração subsidiada no final do Século XIX. Trajetos Revista de História UFC, Fortaleza, v. 2, n. 4, p. 47-65, 2003.

SOUZA, José Weyne Freitas. Secas e socorros públicos no Ceará: doença, pobreza e violência (1877-1932). Projeto História, São Paulo, n. 52, p. 178-219, jan./abr. 2015.

TEÓFILO, Rodolfo. História da seca no Ceará (1877-1880). Rio de Janeiro: Imprensa Inglesa, 1922.

VIEIRA JUNIOR, Antônio Otaviano. O açoite da seca: família e migração no Ceará (1780-1850). In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 13., 2002, Ouro Preto/MG. Anais... Ouro Preto/MG: ABEP, 2002, p. 1-16.

WITTER, Nikelen Acosta. Males e epidemias: sofredores, governadores e curadores no sul do Brasil (Rio Grande do Sul, século XIX). 2007. 292 f. Tese (Doutorado em História)–UFF. Niterói, 2007.

Downloads

Publicado

2019-12-19

Como Citar

DIAS, D. J. C. Mortalidade e migração no período da seca de 1877-1879 na freguesia de São José (Fortaleza/CE). Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 27, n. 2, p. 175–194, 2019. DOI: 10.20396/resgate.v27i2.8656538. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8656538. Acesso em: 28 nov. 2022.