Clínica na cidade

assistência à saúde e o relacionamento entre médicos, elites e pobres no Rio de Janeiro (1880-1940)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v27i2.8656698

Palavras-chave:

Assistência, Médicos, Elites, Pobres, Policlínica.

Resumo

O artigo apresenta a trajetória da Policlínica de Botafogo (PB), entidade filantrópica criada por médicos do Rio de Janeiro, em 1900, que se propunha a cumprir uma dupla missão: cuidar gratuitamente de pacientes pobres e promover a aprendizagem prática da medicina. Analisa a cultura assistencial, apontando quais eram os valores e os interesses que motivaram médicos e elites do bairro de Botafogo a se dedicarem ao trabalho voluntário e gratuito junto aos pobres. Apresenta as principais características do modelo assistencial adotado e analisa as demandas de saúde dos pobres diante dos serviços médicos oferecidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Otávio Ferreira, Fundação Oswaldo Cruz

Pós-graduação em História das Ciências e da Saúde da Fundação Oswaldo Cruz.

Referências

A CARIDADE e os doutorandos de 1889. O Paiz, Rio de Janeiro, p. 1, 11 jan. 1900.

ACADEMIA NACIONAL DE MEDICINA. Disponível em: http://www.anm.org.br/academicos.asp. Acesso em: 17 nov. 2019.

ARAÚJO, Achilles Ribeiro de. A assistência médica hospitalar no Rio de Janeiro no século XIX. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura/Conselho Federal de Cultura, 1982.

ARAÚJO, José Pereira Silva. Discurso proferido no dia 28 de junho de 1882 na inauguração da Policlínica Geral do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Imprensa Industrial, 1882.

BARBOSA, Luiz. Aspectos geraes da Policlínica de Botafogo em 1935. O hospital, Rio de Janeiro, anno VIII, n. 5, maio 1936.

BARBOSA, Luiz. Novas iniciativas da Policlínica de Botafogo. Pediatria prática – Revista mensal de clínica infantil e puericultura, Rio de Janeiro, IV, p. 333-341, jan./fev. 1933.

BARBOSA, Luiz. Serviços de assistência no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Typ. Ao Luzeiro, 1908.

BENCHIMOL, Jaime Larry (Coord.). Manguinhos do sonho à vida. A ciência na Belle Époque. Rio de Janeiro: Casa de Oswaldo Cruz, 1990.

BERTUCCI, Liane Maria. Influenza, a medicina enferma: ciência e práticas de cura na época da gripe espanhola em São Paulo. Campinas: Editora da Unicamp, 2004.

BIRN, Anne-Emanuelle. O nexo nacional-internacional na saúde pública: o Uruguai e a circulação das políticas e ideologias de saúde infantil, 1890-1940. História, Ciências, Saúde - Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 13, n. 3, p. 675-708, jul./set. 2006.

CARDOSO, Elisabeth Dezouzart et al. História dos bairros – Botafogo. Rio de Janeiro: Index Editora; João Fortes Engenharia, 1983.

CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite política imperial. Rio de Janeiro: Campus, 1980.

CHALHOUB, Sidney. Cidade febril: cortiço e epidemias na Corte imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

CHALHOUB, Sidney. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores no Rio de Janeiro da belle époque. Campinas: Editora da Unicamp, 2001.

COIMBRA, Luiz Octávio. Filantropia e racionalidade empresarial (a Santa da Misericórdia do Rio de Janeiro de 1850 e 1920). Revista do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, v. 1, n. 3, p. 41-51, maio/ago. 1986.

CORADINI, Odaci Luiz. A formação da elite médica, a Academia Nacional de Medicina e a França como centro de importação. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n. 35, p. 3-22, jan.-jun. 2005.

COSTA, Ana Luiza Jesus da. As escolas noturnas do município da Corte: estado imperial, sociedade civil e educação do povo (1870-1889). Educação e Sociedade, Campinas, v. 32, n. 114, p. 53-68, mar. 2001.

CRENNER, Christopher. Race and medical practice in Kansas city’s free dispensary. Bulletin of the History of Medicine, Baltimore, v. 82, n. 4, p. 820-846, winter 2008.

EDLER, Flávio Coelho. Ensino e profissão médica na Corte de Pedro II. Santo André: Editora da UFABC, 2014.

ELLIS, Frank H. The background of the London Dispensary. Journal of the Medicine and Allied Sciences, v. 20, n. 3, p. 197-212, jul. 1965.

EM BENEFÍCIO da Policlínica de Botafogo. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, p. 7, 4 jul. 1930.

FONSECA, Vitor Manoel Marques da. No gozo dos direitos civis: associativismo no Rio de Janeiro, 1903-1916. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional; Niterói: Muiraquitã, 2008.

FRAGA FILHO, Walter. Mendigos, moleques e vadios na Bahia do século XIX. São Paulo: Editora Hucitec; Salvador: EdUFBA, 1996.

FREIRE, Janis; CARULA, Karoline. Camadas populares e higienismo no Rio de Janeiro em fins dos anos 1870. In: VENÂNCIO, Gisele Martins et al. (Orgs.). Cartografias da cidade (in) visível. Rio de Janeiro: Mauad X; Faperj, 2017. p. 147-168.

GUERRA, Salles. Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro: Vecchi, 1940.

INAUGURA-SE hoje, na Policlínica de Botafogo, o retrato de professor Gosset e o pavilhão de ensino. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, p. 3, 28 mar. 1933.

LAPA, José Roberto do Amaral. Os excluídos: contribuição à história da pobreza no Brasil (1850-1930). Campinas: Editora da Unicamp; São Paulo: Edusp, 2008.

LITTRÈ, Emilie. Dictionnarie de medicine, de cirurgie, de pharmecie, de l’art vétérinaire e des sciences qui s’y rapportent. Paris: J.B. Baillière, 1873.

LUZ, Madel Therezinha. A arte de curar versus a ciência das doenças: história social da homeopatia no Brasil. São Paulo: Dynamis Editorial, 1996.

MAÇANTI, Mary Paixão. O Congresso Nacional de Assistência Pública e Privada no Rio de Janeiro (1908): a reforma da assistência em debate. 2018. 161 p. Dissertação (Mestrado em História das Ciências e da Saúde)–Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2018.

MALAQUIAS, Anderson Gonçalves. A trajetória profissional de Antônio Pacífico Pereira: um estudo sobre a concepção de medicina e ensino na Bahia (1862-1922). 2018. 239 p. Tese (Doutorado em Ciência, Tecnologia e Educação) – Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, Rio de Janeiro, 2018.

PEREIRA, Antônio Pacífico. Reformas necessárias à legislação sanitária, e ao ensino médico. Gazeta Médica da Bahia, Salvador, v. 9, n. 10, p. 433-443, 1877.

PINTO, Maria Inez Machado Borges. Cotidiano e sobrevivência: a vida do trabalhador pobre na cidade de São Paulo, 1890-1914. São Paulo: Edusp, 1994.

POLICLÍNICA: REGISTRO DE POBREZA. Archivos do Centro Médico da Policlínica de Botafogo, Rio de Janeiro, n. I, p. 59, 1930.

POLICLÍNICA de Botafogo. O Paiz, Rio de Janeiro, p.3, 22 abr. 1908.

POLICLÍNICA de Botafogo. O Paiz, Rio de Janeiro, p. 9, 25 jun. 1912.

POLICLÍNICA de Botafogo primeiro aniversário. O Paiz, Rio de Janeiro, p. 1, 10 jun. 1901.

POLICLÍNICA Geral. Gazeta de notícias, Rio de Janeiro, p. 2, 14 jan. 1882.

REISER, Stanley Joel. La medicina y el império de la tecnologia. Cidade do Mexico: Fondo de Cultura Económica, 1990.

ROSENBERG, Albert. The London dispensary for the sick-poor. Journal of the medicine and allied sciences, Oxford, v. 14, n. 1, p. 41-56, jan. 1959.

ROSENBERG, Charles E. Social class and medical care in nineteenth-century America: the rise and fall of the dispensary. Journal of the Medicine and Allied Sciences, Oxford, v. 29, n. 1, p. 32-54, jan. 1974.

SANGLARD, Gisele. Entre os salões e o laboratório: Guilherme Guinle, a saúde e a ciência no Rio de Janeiro, 1920-1940. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2008.

SANGLARD, Gisele; FERREIRA, Luiz Otávio. Médicos e filantropos: a institucionalização do ensino da pediatria e da assistência à infância no Rio de Janeiro da Primeira República. Varia História, Belo Horizonte, v. 26, n. 44: p. 437-459, jul./dez. 2010.

SOUZA, Christiane Maria de. A gripe espanhola na Bahia: saúde, política e medicina em tempos de epidemia. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2009.

UM DISCURSO com ideias. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, p. 2, 26 jun. 1916.

VALVERDE, Belmiro. Cincoentenario da Policlínica Geral do Rio de Janeiro – Volume Commemorativo. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1932.

VAZ, Lilian Fessler. Dos cortiços às favelas e os edifícios de apartamento – a modernização da moradia no Rio de Janeiro. Análise Social, Lisboa, v. XXIX, n. 127, p. 581-597, 1994.

VISCARDI, Cláudia Maria Ribeiro. Pobreza e assistência no Rio de Janeiro na Primeira República. História, Ciências, Saúde - Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 18, supl. 1, p. 179-197, dez. 2011.

WITHEY, Alun. Medicine and carity in the eighteenth-century northumberland: the early years of the Bamburgh Castle dispensary and surgery, c. 1772-1802. Social History of Medicine, London, v. 29, n. 3, p. 467-489, 2016.

Downloads

Publicado

2019-12-19

Como Citar

FERREIRA, L. O. Clínica na cidade: assistência à saúde e o relacionamento entre médicos, elites e pobres no Rio de Janeiro (1880-1940). Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 27, n. 2, p. 71–92, 2019. DOI: 10.20396/resgate.v27i2.8656698. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8656698. Acesso em: 5 dez. 2021.