Entre a cura e a prevenção

por uma história das práticas médicas e de saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v27i2.8657931

Palavras-chave:

História da medicina, Cura, Prevenção

Resumo

A medicina social e a saúde pública, nascidas entre os séculos XVIII e XIX, buscaram na normatização da doença, pelo campo da observação clínica e laboratorial, um estado desviante do corpo que deveria ser recomposto dentro dos padrões de normalidade e do cumprimento de suas funções vitais num todo orgânico. Num sentido alargado do indivíduo para a sociedade, coligiam-se o estado normal em função da maior ou menor manifestação de sintomas, que nada mais eram, de acordo com essa posição, que a demonstração de desvios patológicos. Esses desvios seriam balizados por um “estado-padrão normativo”, uma ordem reguladora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Mota, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Professor do Departamento de Medicina Preventiva e Coordenador do Museu Histórico da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Referências

.

Downloads

Publicado

2019-12-19

Como Citar

MOTA, A. . Entre a cura e a prevenção: por uma história das práticas médicas e de saúde. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 27, n. 2, p. 5–10, 2019. DOI: 10.20396/resgate.v27i2.8657931. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8657931. Acesso em: 2 dez. 2021.