Boemia romantizada, perspectivas silenciadas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v29i00.8666863

Palavras-chave:

Beco do Mota, História oral, Memórias, Meretrício, Diamantina

Resumo

Com base em resultados de pesquisa interdisciplinar, embasada no método da história oral, este artigo propõe ampliar a compreensão acerca do passado de meretrício e de boemia em Diamantina-MG, tendo como marco espacial o Beco do Mota nas décadas de 1950 e 1960.  Os resultados das entrevistas com pessoas que tiveram alguma relação com esse lugar apontam para perspectivas que concorrem, em certa medida, com o discurso hegemônico vigente à época, documentado em textos de jornal. A inclusão dessas novas perspectivas cria possibilidades para o questionamento do imaginário coletivo sobre esse espaço urbano, bem como para tensionar narrativas no que concerne aos sujeitos que o tornaram real.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Antonieta Silva Barcellos Teodoro, Universidade de Brasília

Doutoranda em Antropologia na Universidade de Brasília (Brasília, DF - Brasil).

Referências

ALBERTI, Verena. Histórias dentro da História. In: PINSKY, Carla Bassanezi (Org.). Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2015. p. 155-202.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2017.

BRASIL. Comissão Nacional da Verdade. Relatório: textos temáticos. Comissão Nacional da Verdade. Relatório da Comissão Nacional da Verdade, v. 1. Brasília: CNV, 2014a. Disponível em: http://www.memoriasreveladas.gov.br/administrator/components/com_simplefilemanager/u ploads/CNV/relat%C3%B3rio%20cnv%20volume_1_digital.pdf. Acesso em: 15 maio 2021.

BRASIL. Comissão Nacional da Verdade. Relatório: textos temáticos. Comissão Nacional da Verdade. Relatório da Comissão Nacional da Verdade, v. 2. Brasília: CNV, 2014b. Disponível em: http://cnv.memoriasreveladas.gov.br/images/pdf/relatorio/volume_2_digital.pdf. Acesso em: 15 maio 2021.

CARLOS, médico pediatra que atendia às crianças descendentes de prostitutas no Beco do Mota. [Entrevista cedida a] Débora Antonieta Silva Barcellos Teodoro. Diamantina, 05 nov. 2018.

CARVALHO, Keila Auxiliadora. Colônia Santa Izabel: história e memória do isolamento compulsório de doentes de lepra. Curitiba: Editora Prismas, 2016.

DRUMMOND, Roberto. Hilda Furacão. São Paulo: Siciliano, 1991.

ENGEL, Magali. Meretrizes e doutores: saber médico e prostituição no Rio de Janeiro (1840-1890). São Paulo: Brasiliense, 2004.

FEDERICI, Silvia. Calibã e a bruxa: mulheres, corpos e acumulação primitiva. São Paulo: Elefante, 2017.

GOODWIN JUNIOR, James William. Cidades de papel: imprensa, progresso e tradição – Diamantina e Juiz de Fora, MG (1884-1914). 2007. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere: v. 1. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

JOSÉ, filho de uma ex-prostituta do Beco do Mota. [Entrevista cedida a] Débora Antonieta Silva Barcellos Teodoro. Diamantina, 26 out. 2018.

LAPUENTE, Rafael Saraiva. A imprensa como fonte: apontamentos teórico-metodológicos iniciais acerca da utilização do periódico impresso na pesquisa histórica. Revista de História Bilros, Fortaleza, v. 4, n. 6, p. 11-29, 2016. Disponível em: http://seer.uece.br/?journal=bilros&page=article&op=view&path%5B%5D=1938 . Acesso em: 15 out. 2021.

LEITE, Gabriela. Eu, mulher da vida. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1992.

LEITE, Gabriela. Filha, mãe, avó e puta: a história de uma mulher que decidiu ser prostituta. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

LIA, descendente de um falecido médico que prestava atendimento gratuito às mulheres do Beco do Mota. [Entrevista cedida a] Débora Antonieta Silva Barcellos Teodoro. Diamantina, 14 mar. 2018.

LUCA, Tânia Regina de. História dos, nos e por meio de periódicos. In: PINKSY, Carla Bassanesi (Org.). Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2015. p. 111-153.

MARTINS, Marcos Lobato. A “fraqueza da terra” e do rio e a força do moinho de moer gente: as transformações sociais no Vale do Jequitinhonha nas últimas três décadas. Revista Cronos, Pedro Leopoldo, v. 1, n. 3, p. 55-82, jul. 2001.

MARTINS, Marcos Lobato. Breviário de Diamantina: uma história do garimpo de diamantes nas Minas Gerais (século XIX). Belo Horizonte: Fino Traço, 2014.

PORTELLI, Alessandro. História oral como arte da escuta. São Paulo: Letra e Voz, 2016.

PRADA, Monique. O pior palavrão do mundo. Mídia Ninja, Rio de Janeiro, 11 maio 2017. Disponível em: https://midianinja.org/moniqueprada/o-pior-palavrao-do-mundo/. Acesso em: 15 maio 2021.

PRADA, Monique. Putafeminista. São Paulo: Veneta, 2018.

RAGO, Luzia Margareth. Do cabaré ao lar: a utopia da cidade disciplinar – Brasil 1890-1930. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

ROBERTS, Nickie. As prostitutas na história. São Paulo: Rosa dos Tempos, 1998.

ROUSSO, Henry. A memória não é mais o que era. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína (Org.). Usos & abusos da história oral. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006. p. 93-101.

SÔNIA, parente distante e amiga de uma ex-prostituta do Beco do Mota. [Entrevista cedida a] Débora Antonieta Silva Barcellos Teodoro. Diamantina, 27 abr. 2018.

THOMPSON, Paul. História oral e contemporaneidade. História Oral, São Paulo, v. 1, n. 5, p. 9-28, jun. 2002. Disponível em: https://revista.historiaoral.org.br/index.php/rho/article/view/47. Acesso em: 15 maio 2021.

VALE, Liana Gama do. Desenvolvimento moral: a generosidade relacionada à justiça e à gratidão sob a ótica das crianças. 2012. Tese (Doutorado em Psicologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

VOZ DE DIAMANTINA. Propriedade da Associação do Pão de Santo Antônio, Diamantina, ano 53, n. 15, 4 p., 11 jan. 1959.

VOZ DE DIAMANTINA. Propriedade da Associação do Pão de Santo Antônio, Diamantina, ano 55, n. 1, 4 p., 02 out. 1960.

VOZ DE DIAMANTINA. Propriedade da Associação do Pão de Santo Antônio, Diamantina, ano 60, n. 11, 4 p., 12 dez. 1965.

VOZ DE DIAMANTINA. Propriedade da Associação do Pão de Santo Antônio, Diamantina, ano 63, n. 9, 4 p., 01 dez. 1968a.

VOZ DE DIAMANTINA. Propriedade da Associação do Pão de Santo Antônio, Diamantina, ano 63, n. 10, 4 p., 06 dez. 1968b.

VOZ DE DIAMANTINA. Propriedade da Associação do Pão de Santo Antônio, Diamantina, ano 63, n. 12, 4 p., 22 dez. 1968c.

VOZ DE DIAMANTINA. Semanário independente protetor da “Obra do Pão de S. Antonio”, Diamantina, ano 44, n. 19, 4 p., 10 de ago. 1952.

VOZ DE DIAMANTINA. Semanário independente protetor da “Obra do Pão de S. Antonio”, Diamantina, ano 44, n. 49, 4 p., 08 mar. 1953.

VOZ DE DIAMANTINA. Semanário independente protetor da “Obra do Pão de S. Antonio”, Diamantina, ano 52, n. 01, 4 p., 04 abr. 1954a.

VOZ DE DIAMANTINA. Diamantina: Semanário independente protetor da “Obra do Pão de S. Antonio”, Diamantina, ano 52, n. 05, 4 p., 02 maio 1954b.

VOZ DE DIAMANTINA. Semanário independente, protetor da “Obra do Pão de S. Antonio”, Diamantina, ano 52, n. 35, 4 p., 28 nov. 1954c.

VOZ DE DIAMANTINA. Semanário independente, registrado no Departamento de Imprensa e Propaganda, Diamantina, ano 42, n. 06, 4 p., 05 fev. 1950a.

VOZ DE DIAMANTINA. Semanário independente, registrado no Departamento de Imprensa e Propaganda, Diamantina, ano 42, n. 12, 4 p., 26 mar. 1950b.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

TEODORO, D. A. S. B. Boemia romantizada, perspectivas silenciadas. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 29, n. 00, p. e021022, 2021. DOI: 10.20396/resgate.v29i00.8666863. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8666863. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos e Ensaios