Banner Portal
O que não foi contado após a independência do Brasil
Capa: Lygia Eluf (sem título, série Desenhos da Quarentena, técnica: nanquim/papel, 35x15cm, 2020) e Carlos Lamari.
PDF

Palavras-chave

Censos
registros paroquiais
análise demográfica
Brasil Império

Como Citar

TEIXEIRA, Paulo Eduardo; FALEIROS CUNHA, Maísa. O que não foi contado após a independência do Brasil: Dinâmicas demográficas na Província de São Paulo e o crescimento da população de Campinas e Franca, 1822 – 1889. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 30, n. 00, p. e022005, 2022. DOI: 10.20396/resgate.v30i00.8669025. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8669025. Acesso em: 13 jul. 2024.

Resumo

Este artigo é fruto de pesquisa concluída que apontou as possíveis imbricações entre o crescimento populacional e a dinâmica demográfica (natalidade, mortalidade, migração e nupcialidade) verificados em dois municípios da Província de São Paulo, sobretudo após a independência do Brasil em 1822. À luz de processos socioeconômicos mais amplos, à localização geográfica, à disponibilidade de terras e de recursos naturais, analisamos as populações de pessoas livres e escravizadas em Campinas e Franca. As fontes utilizadas foram os registros paroquiais (batismo, óbito e casamento) e censos produzidos em São Paulo. Da análise resultante podemos destacar o papel dos fluxos migratórios no efetivo povoamento e as elevadas taxas de crescimento natural da população no período considerado.

https://doi.org/10.20396/resgate.v30i00.8669025
PDF

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

BACELLAR, Carlos de Almeida Prado. As famílias de povoadores em áreas de fronteiras na Capitania de São Paulo na segunda metade do século XVIII. Revista Brasileira de Estudos de População, Rio de Janeiro, v. 34, n. 3, p. 549-565, set./dez. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbepop/a/RpwQ3M6hVRBJ8x7FFJJmcGF/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 31 out. 2022.

BACELLAR, Carlos de Almeida Prado. Arrolando os habitantes no passado: as Listas Nominativas sob um olhar crítico. Locus: Revista de História, Juiz de Fora, v. 14, n. 1, p. 113-132, abr. 2008. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/locus/article/view/31575/22460 Acesso em: 31 out. 2022.

BARROS, Sidney Souza. O revelar de uma inscrição, a Res Gestae Divi Augusti. NEARCO: Revista Eletrônica de Antiguidade, Rio de Janeiro, v. XI, n. I, p. 117- 129, 2019. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/nearco/article/view/44911. Acesso em: 31 out. 2022.

BASSANEZI, Maria Silvia Beozzo; BACELLAR, Carlos de Almeida Prado. Levantamentos de população publicados da Província de São Paulo no século XIX. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 19, n. 1, p. 113-129, jan./ jun. 2002. Disponível em: https://www.rebep.org.br/revista/article/view/333. Acesso em: 31 out. 2022.

BASSANEZI, Maria Silvia Beozzo. São Paulo do Passado: Dados Demográficos (1836-1920). Campinas: NEPO: UNICAMP, 1998. Disponível em: https://www.nepo. unicamp.br/publicacao/sao-paulo-do-passado-dados demograficos-1836-1920/. Acesso em: 27 out. 2022.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Autoridade e conflito no Brasil colonial: o governo do Morgado de Mateus em São Paulo (1765 – 1775). São Paulo: Sec. Est. da Cultura, 1979.

BOTELHO, Tarcísio Rodrigues. Censos e construção nacional no Brasil Imperial. Tempo Social – Revista de Sociologia da USP, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 321-341, jun. 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ts/a/bmSgfZ8Qgx8QdfzT5f7kZzc/lang=pt#:~:text=O%20censo%20de%201872%20foi,social%0e%20quanto%20%C3%A0%20cor. Acesso em: 31 out. 2022.

BOTELHO, Tarcísio Rodrigues. População e nação no Brasil do século XIX. 1998. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

BRASIL. Portal de Legislação. Decreto no 1.565 de 24 de Fevereiro de 1855. Brasília: Câmara dos Deputados, 1855. Disponível em: https://www.diariodasleis.com.br/legislacao/federal/196556-approva-os-estatutos-da-sociedadeestatistica-do-brasil-estabelecida-nesta-curte.html. Acesso em: 03 abr. 2022.

CABRAL, José Antônio Teixeira. A Estatística da Imperial Província de São Paulo: com várias anotações do tenente coronel José Antônio Teixeira Cabral, membro da mesma estatística, Tomo I, 1827. São Paulo: Editora da USP, 2009.

CUNHA, Maísa Faleiros. A dinâmica demográfica em Franca-SP, século XIX. Ideias, Campinas, v. 6, n. 1, p. 115-139, jan./jun. 2015.

CUNHA, Maísa Faleiros. Demografia e família escrava: Franca-SP, século XIX. 2009. Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

DAVEAU, Suzanne. A descrição territorial do Numeramento de 1527-32. Penélope, n. 25, p. 7-39, 2001. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=2654430. Acesso em: 31 out. 2022.

DEAN, Warren. Rio Claro: um sistema brasileiro de grande lavoura, 1820-1920. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

DOCUMENTOS INTERESSANTES para a História e Costumes de São Paulo. São Paulo: Typ. Cardozo Filho & Cia, 1896, vol. XIX, p. 22 e 23. Carta N.o 22 ao Snr. Francisco Xavier de Mendonça Furtado. S. Paulo 14 de Mayo de 1768.

DOCUMENTOS INTERESSANTES para a História e Costumes de São Paulo. São Paulo: Typ. Cardozo Filho & Cia, 1899, vol. XXIX. p. 187 e 188. Para o Conselho Ultramarino dando os motivos porq.’ Creou o Posto de Cap.m Mór da V.a de Santos na pessoa de Fran.co X.er da Costa Aguiar. S. Paulo 4 de Fevr.o de 1800.

DOCUMENTOS INTERESSANTES para a História e Costumes de São Paulo. São Paulo: Typ. Cardozo Filho & Cia, 1901, vol. XXXIII, p. 57 e 58. “Ordem-circular às Cameras sobre a plantação de mantimentos” expedida por D. Luiz Antonio de Souza em 29 de abril de 1772.

ESPAÑA, Eduardo García; MOLINIÉ-BERTRAND, Annie. Censo de Castilla: estudio analitico. Madrid: Instituto Nacional de Estadistica, 1986.

GOUVÊA, Maria Cristina; XAVIER, Ana Paula. Retratos do Brasil: Raça e instrução nos censos populacionais do século XIX. Educação & Sociedade, Campinas, v, 34, n. 122, p. 99-120, jan./mar. 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/DxkkQBGN63fYyHyGdyyPW9R/?lang=pt. Acesso em: 31 out. 2022.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTADÍSTICA (INE). Censo de Pecheros. Carlos I 1528. Madrid: Instituto Nacional de Estadistica, 2008. Disponível em: https://www.ine.es/prodyser/pubweb/censo_pecheros/tomo1.pdf. Acesso em: 31 out. 2022.

LEONZO, Nanci. As companhias de ordenanças na capitania de São Paulo: das origens ao governo do Morgado de Matheus. In: COLEÇÃO MUSEU PAULISTA. Série de História. v. 6. São Paulo: Edição do Fundo de Pesquisa do Museu Paulista da USP, 1977. p. 123-239.

LEVY, Maria Stella Ferreira. Temas conjugais: um diálogo entre os costumes e as leis. Coleção Humanidades. São Paulo: Paulistana, 2012.

LIVRO DE BATISMOS DE INGENUOS. Campinas: Arquivo da Cúria Metropolitana de Campinas, 1871-1878.

MARCÍLIO, Maria Luiza. Crescimento demográfico e evolução agrária paulista: 1700-1836. São Paulo: Hucitec: EDUSP, 2000.

MARCÍLIO, Maria Luiza. Caiçara: terra e população – estudo de demografia histórica e da história social de Ubatuba. São Paulo: Edições Paulinas; CEDHAL, 1986.

MARTINS, José de Souza. Apresentação: o imaginário poético da independência num manuscrito de 1827. In: CABRAL, José Antônio Teixeira. A Estatística da Imperial Província de São Paulo: com várias anotações do tenente-coronel José Antônio Teixeira Cabral, membro da mesma estatística, Tomo I, 1827/ organização, transcrição e notas paleográficas Cristina Antunes; apresentação José de Souza Martins. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

MERRICK, Thomas William; GRAHAM, Douglas Hall. População e desenvolvimento econômico no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

MOTTA, José Flávio; MARCONDES, Renato Leite. O comércio de escravos no vale do Paraíba paulista. Guaratinguetá e Silveiras na década de 1870. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 30, n. 2, p. 267-299, abr./jun. 2000. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ee/article/view/117645/115324. Acesso em: 27 out. 2022.

MOTTA, José Flávio; MARCONDES, Renato Leite. Derradeiras transações. O comércio de escravos nos anos de 1880. (Areias, Piracicaba e Casa Branca, Província de São Paulo). Almanack Braziliense, São Paulo, n. 10, p. 147-163, nov. 2009. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/alb/article/view/11727. Acesso em: 31 out. 2022.

MÜLLER, Daniel Pedro. Ensaio d’um quadro estatístico da Província de São Paulo. Coleção Paulística, v. 11. São Paulo: Governo do Estado, 1978.

NADALIN, Sergio Odilon. História e demografia: elementos para um diálogo. Campinas: Associação Brasileira de Estudos Populacionais-ABEP, 2004.

POUBEL, Martha Werneck. Os primeiros processos censitários brasileiros e o desenvolvimento da Matemática-Estatística no Brasil de 1872 a 1938. 2013. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufes.br/bitstream/10/2170/1/tese_6807_TESE%20MARTHA.pdf. Acesso em: 27 out. 2022.

QUADRO ESTATÍSTICO DA POPULAÇÃO DA PROVÍNCIA DE SÃO PAULO RECENSEADA NO ANO DE 1854. São Paulo: Typographia Dous de Dezembro de Antonio Louzada Antunes, 1856.

RECENSEAMENTO GERAL DO IMPÉRIO DE 1872. Rio de Janeiro: Leuzinger e Filhos, 1873-1876.

REGISTROS PAROQUIAIS DE BATISMO, CASAMENTO E ÓBITO DA PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DE CAMPINAS E DA PARÓQUIA DE SANTA CRUZ DE CAMPINAS. Campinas: Arquivo da Cúria Metropolitana de Campinas, 1774-1888.

REGISTROS PAROQUIAIS DE BATISMO, CASAMENTO E ÓBITO DA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DE FRANCA. Franca: Arquivo da Cúria Diocesana de Franca, 1806-1888.

RUIPÉREZ, Mariano García. El empadronamiento municipal en España: evolución legislativa y tipologia documental. Documenta & Instrumenta, v. 10, p. 45-86, 2012. Disponível em: https://revistas.ucm.es/index.php/DOCU/article/view/40485. Acesso em: 27 out. 2022.

SÃO PAULO. Comissão Central de Estatística. Relatorio apresentado ao Exm. Sr. Presidente da Provincia de São Paulo – 1888. São Paulo: Leroy King Bookwalter: Typographia king, 1888.

SCOTT, Dario. Livres e escravizados: população e mortalidade na Madre de Deus de Porto Alegre (1772-1872). São Leopoldo: Oikos, 2021.

SENRA, Nelson. História das Estatísticas Brasileiras. v. 1. Estatísticas desejadas (1822-C.1889). Rio de Janeiro: IBGE, 2006.

SLENES, Robert Wayne. Na senzala, uma flor – esperanças e recordações na formação da família escrava: Brasil Sudeste, século XIX. 2a ed. corrigida. Campinas: Editora da Unicamp, 2011.

TEIXEIRA, Heloísa Maria. Os filhos das escravas: crianças cativas e ingênuas nas propriedades de Mariana (1850-1888). Cadernos de História, Belo Horizonte, v. 11, n. 15, p. 58-93, 2o sem. 2010. Disponível em: http:// periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/P.2237-8871.2010v11n15p58/2413. Acesso em: 27 out. 2022.

TEIXEIRA, Paulo Eduardo. O outro lado da família brasileira. Campinas: Editora da Unicamp, 2004.

VEIGA, Teresa Rodrigues. A população portuguesa no século XIX. Série Economia e Sociedade 2. Porto: CEPESE, Edições Afrontamento, 2004.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura

Downloads

Não há dados estatísticos.