Banner Portal
A saúde mental infantil a partir de prontuários da Unicamp (1974-1986)
Capa: Lygia Eluf (sem título, série Desenhos da Quarentena, técnica: nanquim/papel, 35x15cm, 2020) e Carlos Lamari.
PDF

Palavras-chave

Arquivos
Universidades
Psiquiatria infantil
História da medicina

Como Citar

BEDRIKOW, Rubens; AMARAL, Ivan Luiz Martins Franco do; ALVES, Thais Almeida. A saúde mental infantil a partir de prontuários da Unicamp (1974-1986). Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 31, n. 00, p. e023016, 2023. DOI: 10.20396/resgate.v31i00.8671130. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8671130. Acesso em: 22 abr. 2024.

Resumo

Esta pesquisa analisou prontuários do Serviço de Psiquiatria Infantil da Universidade Estadual de Campinas, do período entre 1974 e 1986, guardados no Centro de Memória e Arquivo da Faculdade de Ciências Médicas. O acervo é composto de 1255 prontuários. Buscou-se conhecer a forma de organização do serviço, as manifestações de doenças mentais na infância e as práticas de cuidado ofertadas no período considerado. Encontrou-se predomínio de crianças em idade escolar com manifestações de agitação, nervosismo, agressividade, falta de concentração ou sintomas depressivos, o que as tornavam “crianças e alunos-problema” para pais e professores que recorriam à ajuda médica psiquiátrica e psicológica. Destaca-se a relevância da preservação desse acervo para pesquisas que possibilitem compreender a história da Psiquiatria Infantil na universidade.

https://doi.org/10.20396/resgate.v31i00.8671130
PDF

Referências

ABRÃO, Jorge Luís Ferreira. Os primórdios da Psiquiatra Infantil e seus reflexos no Brasil. Memorandum: Memória e História em Psicologia, Belo Horizonte, v. 37, p. 1-28, fev. 2020. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/memorandum/article/view/14698/16742. Acesso em: 30 jun. 2023.

BEDRIKOW, Rubens et al. A história de Maurício Knobel preservada no Centro de Memória e Arquivo da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp. Memória e Informação, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 37-50, 2021. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/161828. Acesso em: 20 set. 2022.

BRASIL. Lei n˚ 10.216, de 6 de abril de 2001. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, 2001, n. 69-E, p. 2, 9 abr. 2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10216.htm. Acesso em: 25 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria/GM nº 336, de 19 de fevereiro de 2002. Brasília: Ministério da Saúde, 19 fev. 2002. Assunto: Centros de Atenção Psicossocial. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt0336_19_02_2002.html. Acesso em: 25 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde Mental em Dados – 12, Brasília, ano 10, n. 12, Informativo eletrônico, out. 2015. Disponível em: https://www.mhinnovation.net/sites/default/files/downloads/innovation/reports/Report_12-edicao-do-Saude-Mental-em-Dados.pdf. Acesso em: 28 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à Saúde. DAPE. Coordenação Geral de Saúde Mental. Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil. Documento apresentado à Conferência Regional de reforma dos serviços de saúde mental: 15 anos depois de Caracas. OPAS. Brasília: Ministério da Saúde, 07-10 nov. 2005. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Relatorio15_anos_Caracas.pdf. Acesso em: 28 set. 2022.

CARAVEO-ANDUAGA, Jorge Javier; MARTÍNEZ-VÉLEZ, Nora Angélica. Salud mental infantil: una prioridad a considerar. Salud Publica Mex, Cuernavaca, v. 61, n. 4, p. 514-523, jul./ago. 2019. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/spm/2019.v61n4/514-523. Acesso em: 25 set. 2022.

CFM. Conselho Federal de Medicina. Código de Ética Médica: Resolução CFM nº 2.217, de 27 de setembro de 2018, modificada pelas Resoluções CFM nº 2.222/2018 e 2.226/2019/ Conselho Federal de Medicina. Brasília: Conselho Federal de Medicina, 2019. Disponível em: https://portal.cfm.org.br/images/PDF/cem2019.pdf. Acesso em: 26 set. 2022.

CID, Maria Fernanda Barboza et al. Saúde mental infantil e contexto escolar: as percepções dos educadores. Pro-Posições, Campinas, v. 30, p. 1-24, abr. 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pp/a/x46ycvnxT3msphKhJm4WyjF/?lang=pt. Acesso em: 28 set. 2022.

COUTO, Maria Cristina Ventura; DUARTE, Cristiane S.; DELGADO, Pedro Gabriel Godinho. A saúde mental infantil na Saúde Pública brasileira: situação atual e desafios, Rev. Bras. Psiquiatr., Rio de Janeiro, v. 30, n. 4, p. 390-398, dez. 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbp/a/MwhVn9BBDdZQTH6qxsxLNkf/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 30 jun. 2023.

DEPARTAMENTO de Psiquiatria. Faculdade de Ciências Médicas, Histórico. Campinas, s. d. Disponível em: https://www.fcm.unicamp.br/departamentos/departamento-de-psiquiatria. Acesso em: 25 set. 2022.

FARGE, Arlette. O sabor do arquivo. 1a ed. São Paulo: Edusp, 2012.

KAMERS, Michele. A fabricação da loucura na infância: psiquiatrização do discurso e medicalização da criança. Estilos clin., São Paulo, v. 18, n. 1, p. 153-165, jun. 2013. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-71282013000100010&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 30 jun. 2023.

ORTEGA, Francisco. Neurociências: nós somos nossos cérebros? [S. l.], 2019. 1 vídeo (51 min. 20 seg.). Publicado pelo canal Arlindo Gonçalves Jr. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Do7vjYMTOBQ. Acesso em: 26 set. 2022.

PAULA, Augusto Nalini Aigner. Os prontuários do manicômio judiciário do estado de São Paulo (1897-1930) como fonte para o historiador: possibilidades e limitações. Oficina do Historiador, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p. 76-95, jul./dez. 2018. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/26267/17524. Acesso em: 30 jun. 2023.

PROPPS, Shirley Mae; BOULDEN, Walter T.; HER, C. Peng. Celebrating 60 years at the center of it all. Kansas City, MO: Resource Development Institute History, 2009. Disponível em: http://rdikc.org/wp-content/uploads/pdfs/History-of-TGKCMHF.pdf. Acesso em: 25 set. 2022.

RIBEIRO, Rennes Marçal. História da saúde mental infantil: a criança brasileira da colônia à república velha, Psicologia em Estudo, Maringá, v. 11, n. 1, p. 29-38, abr. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pe/a/GjFSBSrN6CLgwN9k74t7YFr/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 30 jun. 2023.

SALLA, Fernando; BORGES, Viviane. Prontuários de instituições de confinamento. In: RODRIGUES, Rogério Rosa (org.). Possibilidades de pesquisa em História. São Paulo: Editora Contexto, 2017. p. 115-136.

SANTOS, Luís Henrique Sacchi dos; FREITAS, Claudia Rodrigues de. TDAH, aprimoramento e medicalização no âmbito da Saúde Mental Global: uma entrevista com Ilina Singh (Parte 2). Interface: comunicação, saúde, educação, Botucatu, v. 22, n. 65, p. 631-641, 2018. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/icse/2018.v22n65/631-642. Acesso em: 25 set. 2022.

SÁ-SILVA, Jackson Ronie; ALMEIDA, Cristóvão Domingos de; GUINDANI, Joel Felipe. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, Rio Grande, v. 1, n. 1, p. 1-15, jan./jul. 2009. Disponível em: https://periodicos.furg.br/rbhcs/article/view/10351. Acesso em: 30 jun. 2023.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura

Downloads

Não há dados estatísticos.