Banner Portal
Entre modernidade e tradição
Capa: Lygia Eluf (sem título, série Desenhos da Quarentena, técnica: nanquim/papel, 35x15cm, 2020) e Carlos Lamari.
PDF

Palavras-chave

Sphan
Preservação
Modernidade
Progresso

Como Citar

ALMEIDA, Isabella Maria de Oliveira; OLIVEIRA, Emerson Dionísio Gomes de. Entre modernidade e tradição: disputas entre o SPHAN e os ideais progressistas da primeira metade do século XX. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 31, n. 00, p. e023020, 2024. DOI: 10.20396/resgate.v31i00.8673890. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8673890. Acesso em: 22 abr. 2024.

Resumo

O presente artigo é uma análise sobre a linha tênue entre a ideia de progresso, em voga no começo do século XX em contraste com as ideias preservacionistas que também se fortaleceram no mesmo período no Brasil. No centro desse debate, encontra-se o Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, órgão centralizador das práticas preservacionistas do período, criado em 1936. Através da análises de periódicos e manchetes da época (1940-1960) buscou-se interpretar como essas disputas se desenrolavam no âmbito social e como a instituição, representante de uma política nacionalista, se equilibrava entre o moderno e o tradicional.

https://doi.org/10.20396/resgate.v31i00.8673890
PDF

Referências

ABREU, Alzira. A Modernização da Imprensa (1970-2000). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

ALMEIDA, Isabella Maria de. Museu do Ouro: “Um museu pobre quase franciscano”. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) —Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas. Companhia das Letras. 2020.

CHUVA, Márcia Regina Romeiro. Os arquitetos da memória: Sociogênese das práticas de preservação do patrimônio cultural no Brasil (anos 1930-1940). Editora UFRJ. 2009.

CORREIO DA MANHÃ. Melhor proteção ao patrimônio histórico e artístico. Edição 14186(1). 1941. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

CORREIO DA MANHÃ. Obstinada e tacanha intransigência do SPHAN. Edição 15826. 1946. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

DIÁRIO CARIOCA. Compromete A visão panorâmica da Igreja do Outeiro da Glória. Ameaçado de demolição o arranha céu – o ponto de vista do SPHAN. Edição 06339. 1949. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

DIÁRIO CARIOCA. Os serviços de Um Serviço. Edição 06444. 1949. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

DIÁRIO DE NOTÍCIAS. Museu Histórico para São João Del Rei. Edição 07238. 1946. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

DIÁRIO DE NOTÍCIAS. O nº 8 da Revista do SPHAN. Edição 07611. 1947. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

DIÁRIO DE NOTÍCIAS. Patrimônio Histórico. Edição 06639. 1944. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

DIÁRIO DE PERNAMBUCO. Teatro de Sabará. Edição 00216. 1963. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

FONSECA, Maria Cecília Londres. O patrimônio em processo – trajetória da política federal de preservação no Brasil. Editora UFRJ. 2017.

HARTOG, François. Regimes de historicidade – presentismo e experiências do tempo. Editora Autêntica. 2019.

JORNAL DO BRASIL. O Museu do Ouro. Edição 00116. 1946. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

JORNAL DO COMMERCIO. Desapropriando-as quando forem de propriedade particular. Edição 00218. 1942. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

JULIÃO, Letícia. Enredos museais e intrigas da nacionalidade. (Tese de Doutorado) Universidade Federal de Minas Gerais. 2008.

O JORNAL. Evocação do ciclo do ouro. O Museu do Ouro em Sabará – Relíquias e Curiosidades – época da desconfiança – tempo dos “quintos” – os “compra tudo”. Edição 07522. 1944. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

O JORNAL. Incumbidos de proteger os monumentos históricos os intelectuais de vanguarda do Brasil. Edição 08843. 1949. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

O OBSERVADOR ECONÔMICO. Casa de Intendência de Sabará. Edição 00132. 1947. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

RUBINO, Silvana. As Fachadas da História: os antecedentes, a criação e os trabalhos do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 1937-1968. Dissertação de Mestrado apresentada ao Departamento de Antropologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas. Janeiro, 1992.

SANTOS, Myriam Sepúlveda dos. Museus, liberalismo e indústria cultural. Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo: Universidade do Vale do Rio dos Sinos, v. 47, n. 3, p.189-198, set./dez. 2011.

SCHWARCZ, Lilia M.; STARLING, Heloisa M. Brasil: uma biografia. Companhia das Letras. 2021

TOMBAMENTO da Casa Fazenda Leitão. Documento 0429 -T. Arquivo Noronha Santos. Rio de Janeiro. 1950.

TRIBUNA DA IMPRENSA. Estão caindo as obras históricas. Lutam grupos particulares com o Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico – proibidas as construções modernas nas velhas cidades. Edição 03017. 1959. Disponível em: HEMEROTECA DIGITAL. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ .

VELOSO, Mariza. O tecido do tempo: o patrimônio cultural no Brasil e a Academia Sphan – A relação entre modernismo e barroco. Editora UnB. 2018.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura

Downloads

Não há dados estatísticos.