Expansão e acesso à educação superior: como fica a distribuição por sexo?

  • Edineide Jezine Universidade Federal da Paraíba
Palavras-chave: Educação superior. Expansão e acesso. Gênero

Resumo

acesso e permanência de estudantes em situação de vulnerabilidade. Nesse conjunto objetiva analisar as concepções de igualdade de gênero nas políticas de educação superior; e como estão distribuídas as matrículas por setores público e privado, considerando a variável sexo. Trata-se de um estudo qualitativo apoiado em dados quantitativos da expansão do número de cursos e matrículas, considerando o Censo da Educação Superior (2013) que a ponta os 10 cursos com maior número de matrículas do sexo feminino e do sexo masculino. Tendo por base esses dados a análise busca apreender a dinâmica na Universidade Federal da Paraíba (UFPB) sob a perspectiva da sexualização/generificação das carreiras (ROSEMBERG, 2001; CARVALHO, 2010; FERREIRA, NUNES, KLUMB, 2013. Ao se analisar o acesso a essa modalidade de ensino de homens e mulheres na UFPB, os dados apontam que mais mulheres ingressam e concluem os cursos superiores. Todavia, ao se analisar a distribuição por cursos, ainda mantém-se a feminilidade e masculinidade de determinadas carreiras profissionais. Nesse sentido, os resultados da investigação apontam que o processo de expansão da educação superior não vem acompanhado de motivações profissionais a cursos que, historicamente, se constituem como masculinos, o caso das Engenharias, e/ou cursos femininos, o caso da Pedagogia, mantendo-se processos de desigualdade entre os sexos nas carreiras profissionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edineide Jezine, Universidade Federal da Paraíba
Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Amazonas (1988), Mestrado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (1997), Doutorado em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (2002) e Pós-doutoramento na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - Lisboa/PT (CAPES/FCT), com instância acadêmica na Universidade de Valência (Espanha, 2011). Professora Associada III da Universidade Federal da Paraíba como atuação no ensino, pesquisa e extensão, na Graduação e Pós-graduação. Fez parte da Rede Iberoamericana de Investigação em Políticas de Educação (RIAIPE/CYTED). Foi Membro titular do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFPB e, atualmente é Chefe do Departamento de Educação do Campo. É membro efetivo da Rede de Pesquisa Universitas/Br - sub-projeto 5 Acesso e Permanência e da pesquisa OBEDUC/Capes "Políticas da Expansão da Educação Superior". Faz parte do Conselho de Redação da Revista Lusófona de Educação (Lisboa). Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas de Educação Superior e Sociedade e a pesquisa Políticas de Educação Superior: os desafios da inclusão, acesso e permanência no contexto da expansão das Universidades Federais - Edital Universal 14/2014. Possui livros e artigos publicados nas seguintes temáticas: Extensão Universitária; Educação e Movimentos Sociais; Política de Educação Superior e Inclusão da Pessoa com Deficiência, com atuação nas seguintes áreas: Políticas de Educação Superior; Movimentos Sociais e Educação Popular; Educação Inclusiva e Práticas Educativas formais e informais
Publicado
2016-12-23
Como Citar
Jezine, E. (2016). Expansão e acesso à educação superior: como fica a distribuição por sexo?. Revista Internacional De Educação Superior, 2(3), 430-449. https://doi.org/10.22348/riesup.v2i3.7576