As reformas da educação superior e as metamorfoses do trabalho docente na economia capitalista flexível

Autores

  • Diego Bechi Universidade de Passo Fundo

DOI:

https://doi.org/10.22348/riesup.v3i1.7733

Palavras-chave:

Trabalho docente. Educação superior. Política educacional. Acumulação flexível.

Resumo

O presente trabalho visa compreender de que forma e em que medida as políticas educacionais de caráter neoliberal, articuladas aos padrões de reestruturação econômica global, têm intervido sobre a natureza e as condições do trabalho docente nas instituições de ensino superior (IES) públicas e privadas. Primeiramente, faz-se uma análise das reformas de modernização do Estado - cujas propostas têm acelerado o processo de mercantilização da educação superior - e das alterações em curso no mundo do trabalho e da produção para posteriormente refletir sobre os efeitos provocados pela lógica de acumulação capitalista (neoliberalismo/produção flexível) em relação à natureza e as condições do trabalho docente. Para tanto, parte-se do pressuposto de que as transformações na estrutura produtiva e política do capitalismo têm provocado o direcionamento das políticas educacionais a favor dos interesses mercantilistas e a consequente submissão do trabalho docente à lógica do capital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Bechi, Universidade de Passo Fundo

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Passo Fundo (UPF).

Downloads

Publicado

2017-04-26

Como Citar

BECHI, D. As reformas da educação superior e as metamorfoses do trabalho docente na economia capitalista flexível. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 3, n. 1, p. 203–223, 2017. DOI: 10.22348/riesup.v3i1.7733. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8650583. Acesso em: 8 dez. 2021.