Envelhecimento e trabalho

percepções e vivências de docentes do ensino superior na maturidade

Palavras-chave: Longevidade, Professores Universitários, Velhice, Técnicas projetivas.

Resumo

Este estudo apresenta resultados de uma pesquisa que objetivou compreender as concepções de docentes do Ensino Superior na maturidade sobre a relação de envelhecer e trabalhar.  Empregou-se um estudo descritivo, com abordagem qualitativa, realizada com 10 professores universitários do estado de São Paulo. A análise dos dados baseou-se na técnica do estudo de caso múltiplo. Observou-se que os professores associaram diferentes percepções de envelhecimento ligadas às perdas e ganhos. Demonstraram o trabalho docente ligado ao prazer e a possibilidade de contribuir para uma sociedade melhor. Conclui-se que é necessário a ampliação do tema em novas pesquisas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milena Cristina de Freitas, Universidade São Judas Tadeu

Mestre em Ciências do Envelhecimento pela Universidade São Judas Tadeu com bolsa integral CAPES.

         
Claudia Aranha Gil, Universidade São Judas Tadeu

Doutorado em Psicologia Clinica pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (2010). Professora e Orientadora do curso de Pós-Graduação do programa de Mestrado Stricto Sensu em Ciências do Envelhecimento da Universidade São Judas Tadeu.

                   

Referências

AIELLO-VAISBERG, Tânia Maria José; AMBRÓSIO, Fabiana Folador. Rabiscando Desenhos-Estórias com Tema: pesquisa psicanalítica de imaginários coletivos. In: Walter TRINCA (Org.). Procedimentos de desenhos-estórias: formas derivadas, desenvolvimento e expansões. São Paulo: Vetor, 2013.

ARTHUSO, Fernanda Zane. Exercícios físicos, capacidade funcional e qualidade de vida de mulheres sobreviventes ao câncer de mama. Dissertação (Mestrado em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem). Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita Filho, Bauro, SP, 2017.

AVELLAR, Sérgio Oswaldo de Carvalho. Migración interna de másteres y doctores en brasil: Algunas consideraciones. Revista Brasileira de Pós-Graduação, São Paulo, v. 11, n. 24, p 429-457, Jun.2015.

BALTES, Paul Baltes. Autobiographical reflections: from developmental methodology and lifespan psychology to gerontology. Washington, DC: American Psychological Association, 2000.

BATISTA, Eraldo Carlos; MATOS, Luís Alberto Lourenço. O trabalho docente no ensino superior e a saúde vocal: um estudo de revisão bibliográfica. Estação Científica, Macapá, v. 6, n. 2, p. 67-77, 2016.

BELLAK, Leopold. Teste de Apercepção para idosos e adultos- SAT. Tradução de Maria Tereza Antónia Pacheco. Campinas: Psy, 1992.

BUTLER, Robert. Dispelling ageismo: the cross-cutting intervention. Annals of the American Academy of Political and Social Science, 1989.

BUTLER, Robert. The longevity revolution: the benefits and challenge of living a longlife. PublicAffairs, 2010.

CAMARA, Fabiano Marquês. Relações entre prática de exercícios e variáveis organizacionais estratégicas em gestão de pessoas: validação de instrumento de qualidade de vida no trabalho. Tese (Doutorado em Educação Física). Universidade São Judas Tadeu. São Paulo, SP, 2016.

CAMPOS Ana Cristina Viana, FERREIRA Efigênia Ferreira; VARGAS, Andréa Maria Duarte. Determinantes do envelhecimento ativo segundo a qualidade de vida e gênero. Ciência Saúde Coletiva, V. 20, n. 7, p. 2221-37, 2014.

CHENA, Daniela Nazaré Cotrim, et al. Envelhecimento e interdisciplinaridade: análise da produção científica da revista estudos interdisciplinares sobre o envelhecimento. Estud. Interdisciplinar. Envelhec., V. 20, n. 03, p. 883-901, 2015.

COMISIÓN ECONÓMICA PARA AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE. Panorama Social da América Latina 2014. Síntese. 2014. Acesso em: 12 dez. 2017, http://www.cepal.org/pt-br/publicaciones/37706-panorama-social-da-america-latina-2014-sintese.

COUTINHO, Maria Chalfin, MAGRO, Marcia Luiza Pit Dal; BUDDE, Cristiane. Entre o prazer e o sofrimento: Um estudo sobre os sentidos do trabalho para professores universitários. Psicol. teor. prat., v. 13, n.02,p. 154-167, 2011.

DEBORTOLI, Sonimara. Análise do mercado de trabalho a partir da percepção de pessoas desempregadas. Lajeado, RS, 2016. Monografia (Trabalho de conclusão de curso). Faculdade de Administração, Centro Universiário Univates.

DELUIZ, Neise. A globalização econômica e os desafios à formação profissional. Revista de Educação Profissional, v. 30, n.3, 2017.

FERREIRA, Olívia Galvão Lucena et al. Envelhecimento ativo e sua relação com a independência Funcional. Texto Contexto Enfermagem, v.21, n., p. 513-8, 2012.

FONTES, Arlete Portela. Resiliência, segundo o paradigma do desenvolvimento ao longo da vida (life-span). Kairós Gerontologia, caderno temático 7, 2010.

FRANÇA, Lúcia Helena; STEPANSKY, Daysi Valmorbida. Educação permanente para trabalhadores idosos: o retorno à rede social. Boletim técnico do Senac, 2016. Disponível de http://cienciaparaeducacao.org/publicacao/franca-lucia-h-f-p-educacao-permanente-para-trabalhadores-idosos-o-retorno-a-rede-social-boletim-tecnico-do-senac-rio-de-janeiro-v-31-n-2-p-46-55-2005/. Acesso em 20 jul. 2017.

FRANCO, Cassandra Maria Bastos; BARROS JÚNIOR. Francisco Oliveira. O envelhecimento ativo e o espaço acadêmico: significações das pessoas idosas do programa integração de gerações em Teresina-PI. Revista Faculdades Santo Agostinho. v 10, n. 04, p.334-346, 2013.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 51º edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996-2015.

FREIRE, Leila Inês Folman; FERNANDEZ, Carmem. O professor universitário novato: Tensões, dilemas e aprendizados no início da carreira docente. Ciência e Educação (Bauru), v.21, n.1, p.255-272, 2015.

FREITAS, Milena Cristina; Gil, Claudia Aranha. Envelhecimento e trabalho: percepções de professores universitários. In: JORNADA APOIAR "SAÚDE MENTAL E INTERDISCIPLINARIDADE: PROPOSTAS E PESQUISAS, 14., 2016, São Paulo. Anais do... São Paulo: IP/USP, 2016.

FREUD, Sigmand. A negativa. Em: Obras Completas de Sigmund Freud. Tradução de Jayme Salomão. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1925/1997. v.19.

GIL, Claudia Aranha. Envelhecimento e depressão: da perspectiva psicodiagnóstica ao encontro terapêutico. Dissertação (Mestrado em Psicologia), Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, SP, 2005. Disponível: http://pesquisa.bvs.br/brasil/resource/pt/pte-27768. Acesso 30 Agos.2017.

GIL, Claudia Aranha. Recordação e transicionalidade: a oficina de cartas, fotografias e lembranças como intervenção psicoterapêutica grupal com idosos. Tese (Doutorado em Psicologia), Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, 2010. Disponível:www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47133/tde-20012011.../gil_do2.pdf.Acesso 30 Agos.2017.

GONÇALVES, Helenice Maria (2012). Os professores e o tema transversal ética. Revista de Educação da Puc-Campinas, v. 22, n.7, 2012.

GUSEH, Josehfee. Agingof theWorld’s Population North Carolina Central University, USA. FirstEdition. 2016.

KEGLER, Paula; MACEDO, Mônica Medediro. Trabalho e aposentadoria militar: singularidades de uma travessia psíquica. Revista Psico USF, v.20, n.1, p. 25-38, jan. 2015.

LEE, Pain Lin, LAN, William; YEN, Tung Wen. Aging successfully: A four-factor model. Educational Gerontology, v.37, n.3, p. 210–227, 2011.

LIMA, Ivone Oliveira et al. Professores e envelhecimento: um estudo de Representações Sociais. Investigação Qualitativa em Educação. Atas, v. 5, 2015.

YIN, Robert Kin. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

MALVEZZI, Sigmar. Prefácio. In: ZANELLI, José Carlos, ANDRADE, Jairo Eduardo Borges; BASTOS, Antônio Virgílio Bitencourt. Psicologia, Organizações e Trabalho. 2. ed. Porto Alegre: Artmed. 2014.

MARIGLIANO, Rilza Xavier. A Relação cuidador/idoso segundo a ótica do cuidador formal domiciliar de idosos. Dissertação (Mestrado em Ciências do Envelhecimento). Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, SP, 2016.

MASSETO, Marcos Tarcísio. Competência Pedagógica do professor universitário. 2.ed. São Paulo: Summus, 2012.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Visão antropológica do envelhecimento humano. In: Velhices: reflexões contemporâneas. São Paulo, SP: Sesc, 2006.

MOREIRA, Jacqueline Oliveira, FREITAS, Ana Cristina Pegoraro; VIEIRA, Rosana Figueiredo. Algumas considerações sobre velhice bem-sucedida na perspectiva de professores universitários brasileiros. Revista de Psicologia, v. 5, n. 1, 2014.

MORLEY, John Elvin. Aging successfully: The key to aging in place. Journal of the american medical directors association. Jamda, 2017.

NERI, Anita Liberalesso. Conceitos e teorias sobre o envelhecimento In: MALLOY-DINIZ, Leandro., FUENTES, Daniel, COSENZA, Ramon. (Org.). Neuropsicologia do Envelhecimento: uma abordagem multidimensional. Porto Alegre: Artmed, 2013.

NERI, Anita Liberalesso. O legado de Paul B. Baltes à Psicologia do Desenvolvimento e do Envelhecimento. Temas em Psicologia, v.14, n.01, p.17-34, 2006.

NIEROTKA, R. P. ; BECEGATTO, M. G. ; PILLATT, A. P. ; PORTELLA, M. R. O idoso frente à Teoria da Modernização: o uso do computador. In: Helenice de Moura Scortgagna; Marlene Doring; Camila Pereira Leguisamo. (Org.). Envelhecimento Humano: entre o real, o ideal e o possível. 61. ed. Passo Fundo: Berthier, 2014.

OLIVEIRA, Antônia Karla. A Construção da Identidade Docente numa Prática Educacional Complexa. Revista Multidisciplinas e de psicologia, v. 11, n. 34, 2017.

PECORA, Ana Rafaela; VINHAS, Felipe Breno Gomes. Envelhecimento Segundo Docentes de Cuiabá: Um Estudo de Representações Sociais. Universidade Federal do Mato Grosso. FAPEMAT. Jornada Internacional Sobre Representações Sociais, 7º Conferência Brasileira Sobre Representações Sociais. Teoria das representações sociais 50 anos: programa e resumos/ organização, Valeschka Martins Guerra et al. – Vitória: GM Editora, 2011, 262 p2011.

PELEGRINI, Jordana; MARTINS, Silvana Neuman. N. A história da mulher no trabalho: Da submissão às competências: Um resgate histórico e as gestoras lajeadenses neste contexto. Destaques Acadêmicos, V. 2, n.02, 2016.

PEREIRA, Laís Toledo Kruis, GODOY, Dalva Maria Alves; TERÇARIOL, Denise. Estudo de caso como procedimento de pesquisa científica: Reflexão a partir da clínica fonoaudiológica. Psicologia: Reflexão e Crítica. V. 22, 422-429, 2009.

PREVIDÊNCIA SOCIAL. Reforma da Previdência. Disponível: http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2017/04/entenda-as-principais-mudancas-na-reforma-da-previdencia. Acesso 23 nov. 2017.

RASMUSSEN, Dorte; ELVERDAM, Beth. The meaning of work and working life after cancer: an interview study. Psycho-Oncology, V. 17, 1232–1238, 2008.

SÁ, Mary. Perigos da postura defensiva na liderança. Disponível: http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/perigos-da-postura-defensiva-na-lideranca/85551/. Acesso 19 out. 2017.

SÁ, Maria Auxiliadora; ALMEIDA, Laurinda. Envelhecimento profissional nas trajetórias de professores engenheiros. Psicologia Da Educação. V. 40, n. 01, p. 59-76, 2015.

SÁ, Maria Auxiliadora; SOUZA, Dalva Maria. Envelhecimento ou desenvolvimento profissional? Apontamentos para uma discussão sobre trajetórias docentes. Trabalho e Educação, v. 24, n. 2, p. 267-280, 2015.

SALLES, Rodrigo Jorge. O Psicodiagnóstico Interventivo Psicanalítico com Idosos Deprimidos na Clínica Social. Dissertação (Mestrado em Psicologia), Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, SP, 2014.

SANTOS, Ana Claudia, et al. Motivações de docentes aposentados ao retorno às atividades laborais em uma universidade pública. Nursing Journal, v. 17, n.4, 2016.

SILVA, Gisele; SANTOS, Manuel Antônio. Estressores pós-tratamento do câncer de mama: Um enfoque qualitativo. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 18, n.4, 2017.

SOUTO, Bruna Lecintia; et al. O trabalho docente em pós-graduação: Prazer e sofrimento. Revista de enfermagem da UFSM, v.7 n.1, 2017.

STAKE, Robert. Investigacíon com estúdio de casos. Tradução Roc Filella. Madrid: Ediciones Morata, 2007.

TARDIVO, Leila Salomão L. P. C. O adolescente e o sofrimento emocional nos dias de hoje. São Paulo: Vetor, 2007.

TEIXEIRA, Ilka N.D.A.O.; Neri, Anita Liberalesso. Envelhecimento bem-sucedido: uma meta no curso da vida. Psicol. USP, v.19, n.1, p.81-94, 2008.

TRINCA, Walter. Procedimento de Desenhos-Estórias: formas derivadas, desenvolvimentos e expansões. São Paulo: Vetor, 2013.

TURATO, Egberto. Clarificando para o empreendimento da pesquisa clínico-qualitativa. In Egberto TURATO, Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: construção teórico-epistemológica, discussão comparada e aplicação nas áreas da saúde e humanas. 6. ed., p. 245-303. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Ageing and Life Course. 2013. Disponível: http://www.who.int/ageing/events/wha66/en. Acesso 30 maio 2016.

ZANELLI, José Carlos. Processos Psicossociais, bem-estar e estresse na aposentadoria. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho. v. 12, n.3,p. 329-340, 2012.

ZANELLI, José Carlos; SILVA, Narbal; SOARES, Dulce Helena. Orientação para aposentadoria nas organizações de trabalho: construção de projetos para o pós-carreira. Porto Alegre, RS: Artmed, 2010.

Publicado
2019-09-18
Como Citar
Freitas, M. C. de, & Gil, C. A. (2019). Envelhecimento e trabalho. Revista Internacional De Educação Superior, 6, e020018. https://doi.org/10.20396/riesup.v6i0.8653008
Seção
Artigos