Banner Portal
O programa Ciência sem Fronteiras nas atas dos conselhos superiores da Capes
PORTUGUÊS
ENGLISH

Palavras-chave

Internacionalização da educação
Definição da política educacional
Educação para o trabalho
Divisão do trabalho
Análise de conteúdo
Análise textual

Como Citar

CRUZ, Viviane Xavier de Araujo; EICHLER, Marcelo. O programa Ciência sem Fronteiras nas atas dos conselhos superiores da Capes: desenvolvimento e suspensão da política pública de mobilidade estudantil na graduação. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 8, n. 00, p. e022026, 2022. DOI: 10.20396/riesup.v8i00.8659242. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8659242. Acesso em: 30 maio. 2024.

Resumo

Este trabalho teve como objetivo analisar a política pública de mobilidade estudantil na graduação, que ocorreu por meio do Programa Ciência Sem Fronteiras - CsF, implantada em 2011 e suspensa oficialmente em 2016. A pesquisa, de caráter exploratório, analisou as 20 atas do Conselho Superior e as 40 atas do Conselho Técnico Científico da Educação Superior da Capes, órgão gestor do programa, publicadas de janeiro 2011 a maio de 2016, separando-as nos dois mandatos do governo Dilma. A análise de conteúdo, com apoio no software Iramuteq, evidenciou 5 (cinco) principais categorias emergentes (ou classes) a serem analisadas nas atas: Classe 1: Desenvolvimento Humano; Classe 2: Setor Privado; Classe 3: Orçamento e Execução; Classe 4: Proficiência em Inglês; e Classe 5: Desenvolvimento da Indústria e das Universidades. À luz da teoria do ciclo de políticas públicas de Stephen Ball, buscou-se discutir por que a política pública de mobilidade estudantil na graduação foi suspensa e não reorientada ou reformulada, e observou-se uma mudança de entendimento por parte dos conselhos da CAPES acerca do programa conforme havia mudanças de governo para, por fim, entenderem que, para desenvolver a indústria (um dos principais objetivos do CsF segundo o Decreto que o instituiu) deveria se focar não no desenvolvimento de pessoas em nível de graduação, mas em nível básico, pois seriam pessoas com essa formação de que precisariam para ocupar as fábricas. O Ministério da Educação chegou a sugerir priorizar ações de mobilidade de alunos de ensino médio, mas isso não chegou a se concretizar.

https://doi.org/10.20396/riesup.v8i00.8659242
PORTUGUÊS
ENGLISH

Referências

ANDRADE, Bruno Pereira de Souza. O "Ciência sem Fronteiras" pelo olhar da comunidade acadêmica: o caso da UNIFAL-MG e da UNIFEI. 2018. 185 p. Dissertação (Mestrado em Divulgação Científica e Cultural) - Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2018. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/332498. Acesso em: 10 out. 2019.

ARCHANJO, Renata. Globalização e Multilingualismo no Brasil Competência Linguística e o Programa Ciência Sem Fronteiras. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 15, n. 3, 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1984-639820156309. Acesso em: 12 out. 2019.

ARCHANJO, Renata. Saberes sem Fronteiras: Políticas para as migrações Pós-modernas. DELTA: Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, v. 32, n. 2, p. 515–541, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0102-4450790718885409696. Acesso em: 12 out. 2019.

ARCHANJO, Renata. Moving globally to transform locally? Academic mobility and language policy in Brazil. Language Policy, [S.l.], v. 16, p. 291-312, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1007/s10993-016-9408-0. Acesso em: 12 out. 2019.

BALL, Stephen John. Education reform: a critical and post structural approach. Buckingham: Open University Press, 1994.

BALL, Stephen John; BOWE, Richard. Subject departments and the ‘implementation’ of National Curriculum policy: an overview of the issues. Journal of Curriculum Studies, v. 24, n. 2, p. 97-115, 1992.

BALL, Stephen John; MAGUIRE, Meg; BRAUN, Annette. How schools do policy: policy enactments in secondary schools. Abingdon: Routledge, 2012.

BARBOSA FILHO, Fernando de Holanda. A crise econômica de 2014/2017. Estud. av. vol.31, nº.89, pp. 51-60, São Paulo, jan./abr. 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s0103-40142017.31890006. Acesso em: 15 out. 2019.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011. ISBN: 8562938041.

BAUER, Martin. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George. Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 3a ed. Petrópolis (RJ): Vozes; 2002. pp.189-217. ISBN: 8532627277.

BORGES, Rovênia Amorim. A interseccionalidade de gênero, raça e classe no programa Ciência sem Fronteiras: um estudo sobre estudantes brasileiros com destino aos EUA. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação), Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

BORGES, Rovênia Amorim; GARCIA-FILICE, Renísia Cristina. A língua inglesa no Programa Ciência sem Fronteiras: paradoxos na política de internacionalização. Interfaces Brasil/Canadá, v. 16, n. 1, 2016. Disponível em: https://bit.ly/3mBKmdF. Acesso em: 15 nov. 2019.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. 5. Ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

BOWE, Richard; BALL, Stephen John; GOLD, Ann. Reforming education & changing schools: case studies in Policy Sociology. London: Routledge, 1992.

BRASIL. Senado Federal. Relatório de Pesquisa – Avaliação do Programa Ciência sem Fronteiras. Brasília: Senado Federal, Secretaria de Transparência, Coordenação Data Senado, 2015a. Disponível em: http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2015/10/20/datasenado-92-dosbolsistas-aprovam-ciencia-sem-fronteiras. Acesso em: 15 nov 2019.

BRASIL. Senado Federal. Programa Ciência sem Fronteiras. Avaliação de Políticas Públicas - Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática, Senado

Federal. Relatório s/n CCT de 2015b. Acesso em: 15 nov. 2019.

CAMARGO, Brigido Vizeu; JUSTO, Ana Maria. Tutorial para uso do software de análise textual IRAMUTEQ. Universidade Federal de Santa Catarina. 2013. Disponível em: http://www.iramuteq.org/documentation/fichiers/tutoriel-en-portugais. Acesso em: 20 jan. 2019.

CASARA, Rubens. Estado pós-democrático: neo-obscurantismo e gestão dos indesejáveis. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

CASTRO, Alda Araújo; CABRAL NETO, António. O ensino superior: a mobilidade estudantil como estratégia de internacionalização na América Latina. Rev. Lusófona de Educação, nº.21, Lisboa, 2012. Disponível em: https://bit.ly/2FHW9GE. Acesso em: 30 nov 2019.

CICHOSKI, Paula Spiazzi Bottega; RUBIN-OLIVEIRA, Marlize; TEIXEIRA; Edival Sebastião. Uma análise do processo de desenvolvimento humano a partir de Experiências no CSF. HOLOS, Ano 34, v. 06, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.15628/holos.2018.6180 Acesso em: 20 nov 2019

CRESWELL, John. Projeto de pesquisa. Porto Alegre: Artmed; 2010.

CONCEIÇÃO, Otávio Canozzi; FRANÇA, Marco Túlio Aniceto; JACINTO, Paulo de Andrade. O Programa Ciência Sem Fronteiras Contribui Na Formação Dos Estudantes? Uma Análise a Partir Do Enade 2013. In: Encontro Nacional de Economia, 2016, Foz do Iguaçu. Anais do XLIV Encontro Nacional de Economia. Rio de Janeiro: ANPEC, 2018

COSTA, Giselda dos Santos. Language & Culture in English as a Foreign Language Teaching: a socio-cultural experience of some exchange students from Piauí Federal Institute. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 13, n. extra 1, 2018. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11427/7288. Acesso em: 5 nov.2019

CRUZ, Viviane Xavier de Araujo. Programa Ciência sem Fronteiras: uma avaliação da política pública de internacionalização do ensino superior sob a perspectiva do paradigma multidimensional. Dissertação (Mestrado em Administração Pública em Rede Nacional) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

CRUZ, Viviane Xavier de Araujo. Tensões, contradições e conflitos do Programa Ciência sem Fronteiras: cinco estudos acerca de uma política pública (inter)setorial interrompida. Tese (Doutorado em Educação em Ciências) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2021.

CRUZ, Viviane Xavier de Araujo; EICHLER, Marcelo Leandro. Bolsas CAPES de mobilidade acadêmica internacional 1952-2019. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 17, n. 37, p. 1-25, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.21713/rbpg.v17i37.1768. Acesso em 27 out 2021.

DUTRA, Rogéria Campos de Almeida; AZEVEDO, Leonardo Francisco de. Programa “Ciência sem Fronteiras”: geopolítica do conhecimento e o projeto de desenvolvimento brasileiro. Ciência Sociais Unisinos, v. 52, n. 2, p. 234–243, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.4013/csu.2016.52.2.10. Acesso em: 19 nov 2021.

DOWBOR, Ladislau. Tecnologias do conhecimento: os desafios da educação. Petrópolis: Vozes, 2001. ISBN: 8532626351.

FAGUNDES, Caterine; LUCE, Maria Beatriz; SILVEIRA, Paloma Dias. A qualidade da mobilidade de estudantes de graduação no “Ciências sem Fronteiras”. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v.27, n.105, 2019. Disponível em: https://bit.ly/32JsNQY Acesso em: 20 jan 2020.

FRANCO, Maria Laura Puglisi Barbosa. Análise de conteúdo. Brasília: Líber Livro, 2008.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 50. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e Trabalho: bases para debater a Educação Profissional Emancipadora. PERSPECTIVA, Florianópolis, v.19, n.1, p.71-87, jan./jun. 2001.

GRANJA, Cintia Denise; CARNEIRO, Ana Maria. O programa Ciência sem Fronteiras e a falha sistêmica no ciclo de políticas públicas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 29, n. 110, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-40362020002801962. Acesso em: 27 out 2021.

GUIMARÃES-IOSIF, Ranilce; ZARDO, Sinara Pollom; SANTOS, Aline Veiga dos; OLIVEIRA, Lilian Mendonça de. Programa Ciência sem Fronteiras: a tradução da política de internacionalização brasileira no Canadá. Interfaces Brasil/Canadá, Canoas, v. 16, n. 1, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.15210/interfaces.v16i1.7742. Acesso em: 20 jan. 2020.

LINGNAU, Carina Merkle; NAVARRO, Pedro. Efeitos de resistência: programa ciência sem fronteiras. NEMITYRA: Revista Multilingüe de Lengua, Sociedad y Educación, v. 3, nº 1, 2021.

MAINARDES, Jefferson; ALFERES, Maria Aparecida. Sociologia das políticas educacionais: contribuições de Roger Dale. Atos de Pesquisa em Educação, Blumenau, v. 9, n. 2, p. 392-416, maio/ago. 2014.

MAINARDES, Jefferson; MARCONDES, Maria Inês. Entrevista com Stephen J. Ball: um diálogo sobre justiça social, pesquisa e política educacional. Educação e Sociedade, Campinas, v. 30, n. 106, p. 303-318, jan./abr. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v30n106/v30n106a15.pdf. Acesso em: 20 nov. 2019.

MANÇOS, Guilherme de Rosso. Mobilidade acadêmica internacional e colaboração científica: subsídios para avaliação do programa Ciência sem Fronteiras. Dissertação (Mestrado em Modelagem de Sistemas Complexos), Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/100/100132/tde-08052017-161322/publico/Corrigida_Guilherme_de_Rosso_Mancos.pdf. Acesso em 27 out 2021.

MANÇOS, Guilherme de Rosso; COELHO, Fernando de Souza. Internacionalização da Ciência Brasileira: subsídios para avaliação do programa Ciência sem Fronteiras. Revista Brasileira de Políticas Públicas e Internacionais – RPPI, v. 2 n. 2, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rppi/article/view/37056. Acesso em: 20 nov. 2019.

MANOR, James. The political economy of democratic decentralization. Washington: The World Bank, 1999.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Livro 1: O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2017. ISBN: 978-85-7559-553-4.

MENDES, Fernanda Ziani. Cooperação e integração regional na perspectiva Sul-Sul: contribuições à internacionalização da educação superior. 2019. Dissertação (Mestrado Profissional em Políticas Públicas e Gestão Educacional), UFSM, Santa Maria, 2019.

McMANUS, Concepta; NOBRE, Carlos Afonso. Brazilian Scientific Mobility Program - Science without Borders: Preliminary Results and Perspectives. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 89, n. 1, pp. 773-786, 2017.

NAJAM, Adil. Learning from the literature on policy implementation: a synthetic perspective. Luxemburgo: IIASA, 1995. WP-95-061.

NEVES, Lucia Maria Wanderley. Brasil 2000: nova divisão de trabalho na educação. São Paulo: Xamã, 2000. ISBN: 9788585833596.

NEVES, Lucia Maria Wanderley; PRONKO, Marcela Alejandra. O mercado do conhecimento e o conhecimento para o mercado: da formação para o trabalho complexo no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: EPSJ, 2008. ISBN: 9788598768342

OLIVA, Aloísio Mercadante. As bases do novo desenvolvimentismo no Brasil: análise do Governo Lula (2003-2010). 2010. 537 f. Tese (Doutorado em Economia) Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

OLIVEIRA, José Antônio Puppim de. Desafios do planejamento em políticas públicas: diferentes visões e práticas. RAP, Rio de Janeiro, v. 40, n. 2, 2006. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-76122006000200006. Acesso em: 22 dez. 2019.

PETERNELLA, Alessandra. Crise da pedagogia e suas implicações à formação do pedagogo no início do século XXI. 2016. 289 f. Tese (Doutorado em Educação) Programa de Pós-graduação em Educação, da Universidade Estadual de Maringá. Maringá, 2016.

SAVIANI, Demerval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação v. 12 n. 34 jan./abr. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v12n34/a12v1234.pdf. Acesso em: 22 dez. 2019.

SOUZA, Jessé. A Ralé Brasileira: Quem é e como vive. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009. ISBN: 978-85-7041-787-9.

SOUZA, Jessé. A classe média no espelho: sua história, seus sonhos e ilusões, sua realidade. Rio de Janeiro: Estação Brasil, 2018. ISBN: 8556080391.

TEICHLER, Ulrich. The changing debate on internationalization of higher education. Higher Education. New York, v. 48, n. 1, p. 5-46, 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1023/B:HIGH.0000033771.69078.41. Acesso em: 26 dez. 2019.

TIBURI, Márcia. Complexo de vira-lata: análise da humilhação brasileira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2021. ISBN: 8520014186.

UNESCO. Declaração da Conferência Mundial de Ensino Superior no século XXI: Visão e Ação. 2009. Disponível em http://www.preal.cl. Acesso em: 22 dez. 2019.

UNESCO. Conferência Mundial sobre Ensino Superior 2009: As Novas Dinâmicas do Ensino Superior e Pesquisas para a Mudança e o Desenvolvimento Social. 2009. Disponível em: http://www.preal.cl. Acesso em: em 24 dez. 2019.

VAN DAMME, Dirk. Quality issues in the internationalization of higher education. Higher Education. New York, n. 41, p. 415-441, 2001. Disponível em: https://eric.ed.gov/?id=EJ631104 Acesso em: 24 dez. 2019

WIT, Hans de. América Latina y Europa ante el fenômeno de la internacionalización. In: MORA, Jose Gines; LAMARRA, Norberto Fernandez (Org.). Educación superior: Convergência entre América Latina y Europa. Caseros: Eduntref, 2005, pp 222-226. ISBN: 978-9871172061

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Revista Internacional de Educação Superior

Downloads

Não há dados estatísticos.