Banner Portal
Metodologias colaborativas na pós-graduação stricto sensu em educação
PORTUGUÊS
ENGLISH

Palavras-chave

Metodologias colaborativas
Imaginação sociológica
Pós-graduação
Formação

Como Citar

SOUZA, Allan Solano; MEDEIROS, Arilene Maria Soares de. Metodologias colaborativas na pós-graduação stricto sensu em educação. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 8, n. 00, p. e022015, 2021. DOI: 10.20396/riesup.v8i00.8660681. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8660681. Acesso em: 16 abr. 2024.

Resumo

Este artigo objetiva discutir a utilização de metodologias colaborativas na pós-graduação stricto sensu, as quais visam fomentar a imaginação sociológica dos mestrandos. Parte-se do pressuposto de que as metodologias colaborativas possibilitam produzir conhecimento acadêmico com autoconfiança e inovação. Apresenta-se, então, um relato de experiência, vivenciada no Programa de Pós-Graduação em Educação, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, no semestre letivo 2018.2, envolvendo dois docentes e trinta e cinco mestrandos de três linhas de pesquisa, em uma disciplina obrigatória. Para a sua elaboração, além da produção escrita coletiva dos painéis, foi solicitado o relato individual da experiência de três mestrandas, escolhidas intencionalmente, uma de cada linha, para subsídios empíricos. Os resultados apontam que as metodologias colaborativas possibilitam que cada grupo crie estratégias/encaminhamentos, aguçando a imaginação sociológica dos pós-graduandos com o uso da escrita individual e coletiva. Enfim, os pós-graduandos precisam ser desafiados a fazer experiências novas, a pensar por si nos diferentes espaços da formação. Sem imaginação sociológica aguçada, não há inovação e criação.   

https://doi.org/10.20396/riesup.v8i00.8660681
PORTUGUÊS
ENGLISH

Referências

ALCÂNTARA, Paulo Roberto; SIQUEIRA, Lília Maria Marques; VALASKI, Suzana. Vivenciando a aprendizagem colaborativa em sala de aula: experiências no ensino superior. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 4, n. 12, p. 169-188, maio/ago. 2004.

ASSMAN, Hugo. Reencantar a educação: rumo à sociedade aprendente. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

BARBOSA, Joaquim Gonçalves. De objeto a sujeito na pesquisa em stricto sensu: inclusão de si e práxis formativa. In: GALEFFI, Dante; MACEDO, Roberto Sidnei; BARBOSA, Joaquim Gonçalves (Org.). Criação e Devir em formação: mais vida na educação. Salvador: EDUFBA, 2014. 98 p. ISBN 8523212919.

BARBOSA, Joaquim Gonçalves; HESS, Remi. O diário de pesquisa: o estudante universitário e seu processo formativo. Brasília: Liber Livro, 2010. 103 p. ISBN 8579630095.

BENEVIDES, Maria Victória. Cidadania e direitos humanos. São Paulo: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo, s/d.

BIANCHETTI, Lucídio; ZUIN, Antônio A. S.; FERRAZ, Obdália. Publique, apareça ou pereça: produvitismo acadêmico, “pesquisa administrada” e plágio nos tempos da cultura digital. Salvador: EdUFBA, 2018.

BOBBIO, Noberto. O futuro da democracia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.

CUNHA, Maria Isabel. Inovações na educação superior: impactos na prática pedagógica e nos saberes da docência. Em Aberto, Brasília, v. 29, n. 97, p. 87-101, set./dez. 2016. Disponível em: http://rbepold.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/view/2955. Acesso em: 15 maio 2020.

DUARTE, Newton. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões? Quatro ensaios crítico-dialéticos em filosofia da educação. 1.ed., Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

FORTUNA, Maria Lúcia de Abrantes. Gestão Escolar e subjetividade. São Paulo: Xamã; Niterói: Intertexto, 2000. 147 p. ISBN 8585833688

IANNI, Otávio. Globalização: novo paradigma das ciências sociais. Estudos Avançados, v. 8, n. 21, 1994. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40141994000200009. Acesso em: 15 ago. 2018.

MACEDO, Roberto Sidnei. A pesquisa e o acontecimento: compreender situações, experiências e saberes acontecimentais. Salvador: EDUFBA, 2016. 120 p. ISBN 8523215347.

MACEDO, Roberto Sidnei; GALEFFI, Dante; PIMENTEL, A. Um rigor outro: a questão da qualidade da educação nas pesquisas qualitativas. Salvador: EDUFBA, 2009. 173 p. ISBN 8523206369.

MANCEBO, Deise. Trabalho docente e produção de conhecimento. Psicologia & Sociedade, 25(3), 2013, p.519-526.

MARQUES, Heitor Romero. Metodologia do Ensino Superior. 5. ed. ver. Campo Grande: UCDB, 2015.

MILLS, Wright C. Sobre o artesanato intelectual e outros ensaios. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009. 95 p. ISBN 8537801147.

MOUNK, Yascha. O povo contra a democracia: por que nossa liberdade corre perigo e como salvá-la. Tradução de Cássio de Arantes Leite, Débora Landsberg. São Paulo: Companhia das Letras, 2019. 443 p. ISBN 8535932089.

PIRES, M. Projeto Mão Dupla: trabalho cooperativo intraescolar. In: MEMORIAS DO III CONGRESSO IBEROAMERICANO DE INFORMÁTICA EDUCATIVA. Colombia, 1996. Disponível em: http://goo.gl/zblpZj. Acesso em: 26 mar. 2019.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Disponível em:

http://propeg.uern.br/poseduc/default.asp?item=poseduc. Acesso em: 14 de abril de 2020.

RIBEIRO, Mayra R. Fernandes; SANTOS, Edméa O. Ciberautorcidadão: contribuição para pensarfazer a formação docente e discente na cibercultura. Revista e-Currículo, v. 16, n. 2, p. 565-597, abr./jun. 2018. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/curriculum/article/view/36873/25800. Acesso em: 26 mar. 2019.

RODRIGO-CANO, Daniel. Metodologías colaborativas en la web 2.0 en el proceso

de enseñanza-aprendizaje en las universidades andaluzas: Cádiz, Huelva y Sevilla. 2016. 304f. Tese (Doctorado Interuniversitario en Comunicación). Universidad de Huelva, 2016. Disponível em: http://rabida.uhu.es/dspace/bitstream/handle/10272/13146/Metodolog%C3%ADas%20colaborativas.pdf?sequence=2. Acesso: 26 mar. 2019.

SCHAFF, Adam. A Sociedade Informática: as consequências sociais da Segunda Revolução Industrial. Tradução de Carlos Eduardo Jordão Machado e Luis Arturo Obojes. 4. ed. São Paulo: Brasiliense, 1995. 157p. ISBN 85-7139-094-0 (UNESP), ISBN 85-11-14081-6 (Brasiliense).

MORAN, José Manuel. O Uso das Novas Tecnologias da Informação e da Comunicação na EAD: uma leitura crítica dos meios. Programa TV Escola. Belo Horizonte: COPEAD/SEED/MEC, 1999.

RAMOS, Aura Helena. Educação em Direitos Humanos: local da diferença. Revista Brasileira de Educação, v. 16, n. 46, p. 191-213, jan./abr. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v16n46/v16n46a11.pdf. Acesso em: 15 ago. 2018.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Desigualdad, exclusión e globalización. Revista de Interculturalidad, n.1, octubre 2004-enero 2005. Universidad de Chile, Santiago/Chile. Disponível em: http://www.boaventuradesousasantos.pt/media/Desigualdad%20exclusi%C3%B3n%20y%20globalizaci%C3%B3n.pdf. Acesso em: 20 ago. 2018.

SOUZA, Jessé. A elite do atraso: da escravidão à Lava Jato. Rio de Janeiro: Leya, 2017. 240p. ISBN 978-8544105375.

THEIS, Ivo Marcos. A Sociedade do Conhecimento realmente existente na perspectiva do desenvolvimento desigual. Brazilian Journal of Urban Management, v. 5, n. 1, p. 133-148, jan./jun. 2013.

VIGOTSKI, Lev. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Revista Internacional de Educação Superior

Downloads

Não há dados estatísticos.