Banner Portal
A construção do SUS e a participação do assistente social
PDF

Palavras-chave

Política de saúde. Serviço social. Projeto profissional

Como Citar

SARRETA, Fernanda de Oliveira; BERTANI, Iris Fenner. A construção do SUS e a participação do assistente social. Serviço Social e Saúde, Campinas, SP, v. 10, n. 1, p. 31–58, 2015. DOI: 10.20396/sss.v10i1.1377. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/1377. Acesso em: 20 jul. 2024.

Resumo

O artigo analisa os desafios na construção e implementação do Sistema Único de Saúde (SUS), que se dá num contexto em que as políticas sociais são orientadas pelos ideais neoliberais, de caráter restritivo e de privatização, e a saúde é tratada segundo a lógica do mercado, ferindo os princípios e as diretrizes constitucionais. A participação do assistente social no processo de construção e desenvolvimento do SUS, busca fortalecer a perspectiva da universalização do acesso aos programas e políticas sociais. A profissão vem produzindo conhecimentos e alternativas para enfrentar as dificuldades vivenciadas no cotidiano, provocando o alargamento do trabalho na área da saúde pública. 

Abstract: The article examines the challenges in the construction and implementation of the Single Health System (SUS), which occurs in a context in which social policies are guided by neoliberal ideals, and restrictive nature of privatization, and health is treated according to the logic the market, injuring the principles and constitutional guidelines. The involvement of a social worker in the process of construction and development of the SUS, seeks to strengthen the prospect of universal access to programs and social policies. The profession has been producing knowledge and alternatives to face the difficulties experienced in daily life, causing enlargement of work in the area of public health.
https://doi.org/10.20396/sss.v10i1.1377
PDF

Referências

ALMEIDA, N.L.T. de. Retomando a temática da “sistematização da prática” em Serviço Social. In: MOTA, A. E. et al., (Orgs). Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: OPAS, OMS, Ministério da Saúde, 2006. p. 399 - 408.

BERTANI, I. F., SARRETA, F. de O., LOURENÇO, E. A. de S. Aprendendo a construir saúde: desafios na implantação da política de educação permanente em saúde. Franca: UNESP, 2008.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 18. ed. São Paulo: Saraiva, 1988.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégia em Participativa. A construção do SUS: história da reforma sanitária e do processo participativo.

FALEIROS, V. P. et.al. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. 300 p. (Série I. História da Saúde no Brasil).

_____. Ministério da Saúde. Lei Orgânica da Saúde de nº 8.080 de 19 de setembro de 1990. Brasília: Ministério da Saúde, 1990.

_____. Ministério da Saúde. As cartas da promoção da saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2002.

COHN, A. Mudanças econômicas e políticas de saúde no Brasil. In: LAURELL, A.C. (Org.). Estado e políticas sociais no neoliberalismo. São Paulo: Cortez, 1997.

______. Saúde no Brasil: políticas e organização de serviços. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. CFESS. Atribuições do assistente social na saúde. Resolução nº. 383/99 de 29 de março de 1999. Brasília: CFESS, 1999.

BRAVO, M. I. S. Serviço Social e reforma sanitária: lutas sociais e práticas profissionais. São Paulo: Cortez, 1996.

______. (Org.). Saúde e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2006.

______; MATOS, M. C. de. Reforma Sanitária e projeto ético-político do Serviço Social: elementos para o debate. In: BRAVO, M. I. de S. et al. (Org.). Saúde e Serviço Social. São Paulo: Cortez; Rio de Janeiro: UERJ, 2004, p. 23-47.

CAMPOS. G. W. de S. Reflexões sobre a construção do Sistema Único de Saúde (SUS): um modo singular de produzir política pública. Serviço Social & Sociedade. São Paulo: Cortez, 2006, p. 132-46.

______. Reforma política e sanitária: a sustentabilidade do SUS em questão? In: Ciência e Saúde Coletiva. ABRASCO. Associação Brasileira de Pós Graduação em Saúde Coletiva, volume 12, mar-abr. 2007, p. 301-06.

GUERRA, Y. A dimensão investigativa no exercício profissional. In: Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais.

CFESS/ABEPSS. Brasília, 2009. p. 101-18. IBGE. IBGE - cidades @. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/cidadesat/default.php>. Acesso em: 10 jun. 2005.

IAMAMOTO, M.V. Renovação e conservadorismo no serviço social: ensaios críticos. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

______. As dimensões ético-políticas e teórico-metodológicas no Serviço Social contemporâneo. In: MOTA, A.E. et al. (Orgs.) Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: OPAS, OMS, Ministério da Saúde, 2006.

______ . O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

MARSIGLIA, R.M.G. Orientações básicas para a pesquisa. In: MOTA,

A.E. et al. (Orgs). Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: OPAS, OMS, Ministério da Saúde, 2006. p. 383-98.

MARTINELLI, M.L. Serviço Social: identidade e alienação. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

NETTO, J.P. A construção do projeto ético-político. In: Capacitação em Serviço Social e política social. Brasília: CFESS/ABEPSS/CEAD/UNB, 1999. Mod. I. p. 14-20.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS); ORGANIZAÇÃO PAN

AMERICANA DA SAÚDE (OPAS). Declaração de Alma-Ata. Conferência

internacional sobre cuidados primários de saúde. OMS/OPAS, 1978.

PEREIRA. P.A.P. Necessidades humanas: subsídios à crítica dos mínimos sociais. São Paulo: Cortez, 2000.

______. Cidadania e (in)justiça social: embates teóricos e possibilidades atuais. In: REIRE, L.M.B.; FREIRE, S.M.; CASTRO, A.T.B. Serviço Social, Política Social e Trabalho: desafios e perspectivas para o século XXI. São Paulo: Cortez; Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2006.

RAVAGNANI, C. L.; SARRETA, F. O. Humanizando as relações na saúde com experiências coletivas. Serviço Social & Realidade. p. 361-76, 2008.

______; ETO, F.; SARRETA, F. O. O Serviço Social e a promoção da saúde no contexto de saúde ampliada In: Pacto pela saúde: conversando sobre o SUS. Franca: UNESP, 2010, v.1, p. 71-90.

SANTOS, N. R. dos. Encruzilhada nos rumos do SUS: considerações. 2008.

SARRETA, F. O. Educação permanente em saúde para os trabalhadores do SUS. São Paulo: Cultura Acadêmica da Fundação UNESP, 2010, v.1. p. 252.

______. O trabalho do assistente social na saúde pública. Ciência et Praxis. , p. 33-40, 2008.

______; BERTANI, I. F. A construção do trabalho em equipe do Serviço Social no SUS

de Franca/SP. In: Interdisciplinaridade: integração entre saberes e práticas.

OLIVEIRA, C. A. H. da S.; BERTANI, I. F. (Orgs). Franca: UNESP, 2006. p. 55 -78.

______; ______. O Polo de Educação Permanente em Saúde e a construção de estratégias coletivas para a formação de trabalhadores no SUS. Serviço Social & Realidade, v. 14, p. 177- 95, Franca, UNESP, 2005.

STARFIELD, B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO / Ministério da Saúde, 2002.

VASCONCELOS, A.M. de. A prática do Serviço Social: cotidiano, formação e alternativas na área da saúde. São Paulo: Cortez, 2002.

A Serviço Social e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.