Banner Portal
Intervenção, experiência e produção de saberes
PDF

Palavras-chave

Trabalho. Ergologia. Serviço social. Saúde pública

Como Citar

SCHWARTZ, Yves. Intervenção, experiência e produção de saberes. Serviço Social e Saúde, Campinas, SP, v. 10, n. 2, p. 19–43, 2015. DOI: 10.20396/sss.v10i2.8634834. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8634834. Acesso em: 29 maio. 2024.

Resumo

Neste artigo discutimos, na perspectiva da ergologia, em que consiste ir “ao encontro” das atividades humanas, das atividades de trabalho e, mais geralmente, de todas as atividades sociais. O caso do trabalho dentro do setor “social” evidencia particularmente o problema. Isso é feito pondo em questão a tendência permanente de subestimar o trabalho de “tratamento dos encontros” nas atividades de trabalho. Acreditamos que haja uma dimensão genérica das questões que nos são postas aqui a propósito do que temos chamado de “tratamento do encontro”. Indagamo-nos sobre a especificidade dos “encontros” na atividade de trabalho do Serviço Social na Saúde. Neste ofício a atividade de trabalho real pressupõe ir ao encontro de uma extrema diversidade de maneiras de viver e de sobreviver, numa prodigiosa e, às vezes, dolorosa engenhosidade na forma de produzir a vida. Esse tratamento do encontro se apresenta, então, como um apelo a captar os saberes sob a injunção, mais ou menos interiorizada de cada assistente social, dos valores de saúde e de cidadania. É um verdadeiro trabalho, que aparece como um paradigma “explosivo” das questões mais fundamentais que estão postas hoje, relativas à epistemologia e à deontologia dos conhecimentos das atividades humanas.

https://doi.org/10.20396/sss.v10i2.8634834
PDF

Referências

CANGUILHEM, G. Escritos sobre a Medicina. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2005, 88 p.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra. 45ª edição. 2007. 214 p.

JOAZEIRO, E.M.G. Supervisão de Estágio: formação, saberes, temporalidades. Santo André, SP: ESETec. 2008. 260 p.

MARTINELLI, M.L. O exercício profissional do assistente social na área da saúde: algumas reflexões éticas. Serviço Social & Saúde, ano VI, nº 6, 2007, pp. 22-33.

ROSA, M.I. Usos de si e testemunhos de trabalhadores: Com estudo crítico da Sociologia Industrial e da Reestruturação Produtiva, São Paulo: Letra & Letras, 2004.

SCHWARTZ, Y. ; DURRIVE, L. Travail et Ergologie, entretiens sur l’activité humaine. Toulouse: Octarès Editions, 2003, pp. 21-30.

A Serviço Social e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.