Serviço social e acesso à justiça – reflexões com base na prática de mediação familiar

Autores

  • Eunice Teresinha Fávero Universidade Cruzeiro do Su
  • Elisangela Pereira Queiros Mazuelos Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/sss.v9i1.8634875

Palavras-chave:

Acesso à justiça. Mediação familiar. Prática profissional. Serviço social

Resumo

O objetivo deste texto é trazer à reflexão alguns aspectos da prática do Serviço Social enquanto possibilidade de acesso à justiça, com destaque para uma experiência em processos de mediação familiar desenvolvida na área da assistência jurídica. Nele é enfatizada a particularidade da intervenção do Serviço Social, revelando-se fundamental enquanto possibilitadora de visibilidade das expressões da questão social, que não raro encontram-se na origem do rompimento de vínculos sociais e familiares que culminam em ações judiciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eunice Teresinha Fávero, Universidade Cruzeiro do Su

Graduação em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1979), Mestrado em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1995) e doutorado em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica/SP (2000). Atualmente é professora do Mestrado Acadêmico em Políticas Sociais, e líder do grupo de pesquisa Políticas e Práticas Sociais com Famílias, da Universidade Cruzeiro do Sul-São Paulo; é pesquisadora convidada do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre a Criança e o Adolescente, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atuou como assistente social no Tribunal de Justiça do Est. São Paulo de agosto de 1985 a fevereiro de 2012. Participou da diretoria executiva da Associação dos Assistentes Sociais e Psicólogos do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - AASPTJ-SP, nas gestões 2001/2005 e 2009/2011. É pesquisadora CNPq PQ2.

Elisangela Pereira Queiros Mazuelos, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Graduação em Serviço Social pela Universidade Cruzeiro do Sul (2000), é Especialista em atendimento Familiar ( 2002), e em Serviço Social Judiciário (2004) PUC/SP. Mestre pelo Programa de estudos pós-graduado em Serviço Social da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2009). Atualmente ministra cursos de capacitação pela empresa SP Cursos.

Referências

BRASIL. Lei n. 8.662, de 7 de junho de 1993. Regulamenta a profissão de Assistente Social.

CFESS. Código de Ética do Assistente Social. Resolução CFESS n. 273, de 13 de março de 1993.

CÓLMAN, S. A. A formação do Serviço Social no Poder Judiciário – reflexões sobre o Direito, o Poder Judiciário e a intervenção do serviço social no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo 1948–1988. São Paulo: 2004. Tese (Doutorado).

Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social – PUC-SP.

DRUMOND, C. A. A Rosa do Povo. Rio de Janeiro: Record, 2006.

FAVERO, E.T. Famílias, Serviço Social e Justiça - apontamentos sobre demandas e prática profissional. In: Cidades e Questões Sociais. KOGA, D., GANEV, E e FAVERO, E.(Orgs). São Paulo: Andross, 2008.

FAVERO, E.T. O estudo social – fundamentos e particularidades de sua construção na área judiciária. In: O estudo social em perícias, laudos e pareceres técnicos. São Paulo: CFESS e Cortez, 2003.

KOGA, D. Cidades entre territórios de vida e territórios vividos. In: Revista Serviço Social & Sociedade, n. 72. São Paulo: Cortez, 2002.

MAPA da Vulnerabilidade Social. Prefeitura Municipal de São Paulo – 2004. http://portal.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/assistencia_social/pesquisasemapas/0001/0002. Acesso em 10.12.2008.

MARTINELLI, M. L. Reflexões sobre o Serviço Social e o projeto ético-politico. Revista Emancipação, nº 6, PR:UFPG, 2006.

MARTINELLI, M. L. Notas sobre mediações: elementos para a sistematização da reflexão sobre o tema. Revista Serviço Social & Sociedade. nº 43. São Paulo: Cortez, 1993.

MAZUELOS, E. P. Q. O desemprego como gerador de rupturas familiares. Monografia de curso de Especialização. Cogeae/PUC-SP. São Paulo, 2006, (Mimeografado).

MAZUELOS, E. P. Q. Mediação Familiar: Um Recurso Interventivo Extrajudicial. O relato de experiência na Perspectiva do Serviço Social. Dissertação (mestrado). Programa de Estudos Pós Graduados em Serviço Social, PUC-SP, 2009.

NETTO, J. P. Capitalismo monopolista e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 1992.

PNCFC – Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária. 2006. Brasil.

SANTOS, M. O espaço do cidadão. São Paulo: Studio Nobel, 2000.

SEADE–DIEESE. Pesquisa de emprego e desemprego. São Paulo. Disponível em: www.seade.gov.br. Acesso em 01.06.2009.

SAWAIA, B. As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. Petrópolis: Vozes, 2006.

SAWAIA, B. Família e afetividade: a configuração de uma práxis ético-política, perigos e oportunidades. In: ACOSTA, R. A. e VITALE, A. M. Família: redes, laços e políticas públicas. IEE: PUC–SP, 2003.

SOUZA SANTOS, B. Introdução à Sociologia da Administração da Justiça. In: FARIA, José E. (Org.). Direito e Justiça – A função social do Judiciário. São Paulo: Ática, 1989.

WANDERLEY, L. E. A questão social no contexto da globalização: o caso latinoamericano e o caribenho. In: WANDERLEY, M. B.; BÓGUS, L.; YAZBEK, M. C. (Orgs.). Desigualdade e a questão social. São Paulo: EDUC, 2000

Downloads

Publicado

2015-05-06

Como Citar

FÁVERO, E. T.; MAZUELOS, E. P. Q. Serviço social e acesso à justiça – reflexões com base na prática de mediação familiar. Serviço Social e Saúde, Campinas, SP, v. 9, n. 1, p. 39–67, 2015. DOI: 10.20396/sss.v9i1.8634875. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8634875. Acesso em: 29 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)