A descoloração do cotidiano assistencial: Dimensões étnico-raciais em saúde mental

  • Lucia Cristina dos Santos Rosa Universidade Federal do Piauí
Palavras-chave: Etnia. Raça. Saúde mental. Diversidades

Resumo

O presente artigo analisa as expressões das questões étnico-raciais no cotidiano de dois centros de atenção psicossocial, um localizado na Região Nordeste e outro na Região Sudeste do Brasil. Fundamenta-se na categoria identidade de Antonio Ciampa e na teoria do cotidiano de Agnes Heller. Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa, com triangulação de técnicas, com o emprego privilegiado de grupos focais e observação participante. Teve por sujeitos os usuários, os familiares e os profissionais. Os CAPS que serviram de base empírica da pesquisa conformam-se como serviços plurirracial, predominando as etnias brancas e negras, mas tal aspecto fica invisibilizado no dia a dia, tanto estatisticamente quanto no manejo do cuidado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucia Cristina dos Santos Rosa, Universidade Federal do Piauí
Graduação em pela Faculdade de Serviço Social de Piracicaba (1985), mestrado em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco (1994), doutorado em pela Universidade Federal de Pernambuco (2000) e doutorado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000). Atualmente é vice presidente da regional norte 2011-2012 da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social e professor adjunto da Universidade Federal do Piauí.
Publicado
2015-05-12
Como Citar
Rosa, L. C. dos S. (2015). A descoloração do cotidiano assistencial: Dimensões étnico-raciais em saúde mental. Serviço Social E Saúde, 13(1), 9-28. https://doi.org/10.20396/sss.v13i1.8634912
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)