Banner Portal
Assistência em saúde mental no Piauí: Mecanismos estruturais para o cuidado entre a razão e a desrazão
PDF

Palavras-chave

Saúde mental. Reforma psiquiátrica

Como Citar

FEITOSA, Lucíola Galvão Gondim Corrêa; SILVA, Maria do Rosário de Fátima e. Assistência em saúde mental no Piauí: Mecanismos estruturais para o cuidado entre a razão e a desrazão. Serviço Social e Saúde, Campinas, SP, v. 13, n. 1, p. 77–92, 2015. DOI: 10.20396/sss.v13i1.8634920. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8634920. Acesso em: 25 maio. 2024.

Resumo

A assistência em Saúde Mental vem passando por intensa reestruturação a partir da lei 10.216/2001, o que impôs modificações a partir da consolidação da RAPS – Rede de Atenção Psicossocial através da portaria ministerial 3.088 de 23/12/2011. Assim interpôs-se como problema de pesquisa, saber qual é a estrutura atualmente disponível da RAPS no Piauí? A motivação para a realização desta pesquisa deu-se pelo desconhecimento de muitos profissionais da área de saúde mental sobre a disponibilização dos serviços e considerando o cumprimento da proporção de leitos destinados à atenção psicossocial em hospitais gerais cabendo uma maior publicidade da RAPS para suprimento de demandas que envolvem profissionais de saúde e as pessoas que convivem com transtorno mental e suas famílias. O estudo caracteriza-se como bibliográfico e documental do tipo exploratório, descritivo com abordagem qualitativa. A pesquisa foi realizada em documentos oficiais da GASM – Gerência de Atenção à Saúde Mental da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí, na Gerência de Atenção Psicossocial da Fundação Municipal de Saúde e na Biblioteca Virtual em Saúde. Pôde-se apurar a intensa modificação estrutural na RAPS em constante ampliação no Piauí e que apesar das dificuldades tem suprido satisfatoriamente os ensejos daqueles que convivem com o transtorno mental.

https://doi.org/10.20396/sss.v13i1.8634920
PDF

Referências

ARCOVERDE, A. C. B. Avaliação de Políticas Públicas: elemento estratégico de gestão da coisa pública. In: Anais da IV Jornada Internacional de Políticas Públicas – Neoliberalismo e Lutas Sociais: Perspectivas para as Políticas Públicas. São Luís, Maranhão, 2009.

AMARANTE, P. Saúde Mental e atenção psicossocial. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2007.

BRASIL. Lei no. 10.216, de 06 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental, e dá outras providências.

______. Portaria no. 3088/GM, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial – RAPS no SUS e dá outras providências.

______. Ministério da Saúde. SAS/DAPES. Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas. Saúde Mental em Dados ‐ 10, Ano VII, nº 10, março de 2012. Brasília: março de 2012. Informativo eletrônico de dados sobre a Política Nacional de Saúde Mental. 28p. Disponível em:. Acesso em 30 de julho de 2013.

ROSA, L. C. S.; FIGUEIREDO NETO, M. V.; GUIMARÃES, L. D. A. Direitos Humanos e Saúde Mental: A compreensão da loucura e os direitos da pessoa com transtorno mental. In: FERREIRA, M. D. M. (Org.); LIMA, S. O. (Org.) Direitos Humanos e Políticas Públicas: realidade e desafios no Piauí. Teresina: EDUFPI; Rio de Janeiro: Booklink, p. 59-78. 2010. 300 p.

SESAPI. Secretaria de Estado da Saúde do Piauí. Gerência de Atenção à Saúde Mental. Plano da Rede de Atenção Psicossocial do Estado do Piauí de 2013 a 2015, Teresina, 2014.

SILVA e SILVA, M. O. (Org.). Avaliação de políticas e programas sociais: aspectos conceituais e metodológicos. IN: SILVA, M. O. da S. e (coord.) Avaliação de políticas e programas sociais: teoria e prática. 2 ed. São Paulo: Veras, 2005.

A Serviço Social e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.