A importância da interdisciplinaridade no atendimento dos distúrbios da diferenciação do sexo em hospital universitário

  • Gil Guerra Júnior Universidade Estadual de Campinas
  • Mariangela Ceschinia Universidade Estadual de Campinas
  • Zelia Zilda Lourenço Camargo Bittencourt Universidade Estadual de Campinas
  • Maria Tereza Matias Baptista Universidade Estadual de Campinas
  • Antonia Paula Marques-de-Faria Universidade Estadual de Campinas
  • Roberto Benedito de Paiva e Silva Universidade Estadual de Campinas
  • Andrea Trevas Maciel-Guerra Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Ambigüidade Genital. Diagnóstico. Hipogonadismo. Interdisciplinar. Tratamento

Resumo

Os portadores de distúrbios da diferenciação sexual podem ser detectados ao nascimento por apresentarem ambigüidade genital, ou na puberdade por hipogonadismo. São problemas médicos e sociais urgentes e complexos, necessitando o envolvimento de vários profissionais da área da saúde para agilização e precisão na conduta diagnostica e terapêutica desses casos. O atendimento interdisciplinar surge como a alternativa para sua resolução. Essa é a proposta do Grupo Interdisciplinar de Estudos da Determinação e Diferenciação do Sexo (GIEDDS) da UNICAMP. Criado em 1988, o GIEDDS já atendeu cerca de 800 pacientes, entre casos de ambigüidade genital, hipogonadismo, ou suspeita clínica de síndrome de Turner. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gil Guerra Júnior, Universidade Estadual de Campinas
Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) (1979-1984), residência médica em Pediatria pela FCM - UNICAMP (1985-1986), mestrado (1992) e doutorado (1997) em Saúde da Criança e do Adolescente pela FCM - UNICAMP, livre-docência em Pediatria pela FCM - UNICAMP (2003) e titular em Pediatria pela FCM-UNICAMP (2011). É orientador do Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente da FCM - UNICAMP (professor pleno). Possui os títulos de Especialista em Pediatria pela SBP (2000) e em Endocrinologia Pediátrica pela SBP e SBEM (2001). É Professor Titular (MS-6) do Departamento de Pediatria da FCM - UNICAMP, com atividades desde que foi contratado em 1987 em regime de dedicação integral à docência e à pesquisa (RDIDP). Exerceu vários cargos administrativos e de representação no Departamento de Pediatria, no Hospital de Clínicas, na FCM e na Universidade, todos na UNICAMP. Foi Diretor-Associado da FCM - UNICAMP (2006-2010). Membro do Departamento de Endocrinologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo desde 1988, sendo seu Vice-Presidente (1998 a 2000) e Presidente (2001 a 2003), Vice-Presidente do Departamento de Endocrinologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (2004 a 2007), e Presidente (2011-2013 e 2013-2015). É o atual Tesoureiro da Sociedade Latinoamericana de Endocrinologia Pediátrica - capítulo Brasil (desde 2008). É revisor do Clinical Genetics, Journal of Pediatric Endocrinology & Metabolism, Brazilian Journal of Medical and Biological Research, British Journal of Nutrition, Gynecological Endocrinology, BioMed Research International, International Journal of Andrology, International Journal of Endocrinology, BMC Pediatrics, BMC Public Health, Journal of Metabolic Syndrome, Endocrine Research, Clinics, Medical Case Studies, Endocrine Practice, Case Reports in Pediatrics, Revista de Saúde Pública, Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, Jornal de Pediatria, Revista Paulista de Pediatria, Revista de Nutrição, Revista Brasileira de Cineatropometria e Desempenho Humano, Revista de Educação Física da Universidade Estadual de Maringá, Medicina (FM-USP-RP), Revista Brasileira de Pós-Graduação, Revista da Associação Médica Brasileira e Arquivos Médicos dos Hospitais e Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. É membro do corpo editorial dos Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, Arquivos Médicos dos Hospitais e Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Journal of Metabolic Syndrome, International Journal of Endocrinology e BioMed Research International, European Journal of Obstetrics & Gynecology and Reprodutive Biology. É assessor da CAPES, CNPq, FAPESP, Fundação Araucária do Paraná, FACITEC do Espírito Santo, FAP da Universidade de São José do Rio Preto, FAEPEX da UNICAMP, Instituto de Pesquisa Dr. Domingos A. Boldrini (IPEB) Campinas, FAP da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, PIBIC da Faculdade de Medicina de Jundiaí. É membro do Comitê assessor da Medicina II na CAPES. É assessor da Anvisa e do Scielo. Concluiu a orientação de 28 alunos de iniciação científica, 6 TCC, 13 mestrados e 13 doutorados. Está atualmente orientando 3 alunos de iniciação científica, 5 mestrados, 9 doutorados e 1 pós-doutorado. Tem bolsa de produtividade em Pesquisa nível 1D do CNPq. É líder de 2 grupos de pesquisa do CNPq: 1) Grupo Interdisciplinar de Estudo da Determinação e Diferenciação do Sexo; 2) Grupo de Estudos em Crescimento, Composição Corporal e Atividade Física. Publicou 180 artigos em revistas indexadas (155 JCR, 5 PubMed, 15 Scielo e 5 Lilacs), 58 capítulos de livros e 3 livros. As linhas de pesquisa são os distúrbios primários e secundários da diferenciação sexual e crescimento, composição corporal e massa óssea.
Mariangela Ceschinia, Universidade Estadual de Campinas
Assistente social - Serviço social - Hospital das Clínicas -Unicamp
Zelia Zilda Lourenço Camargo Bittencourt, Universidade Estadual de Campinas
Assistente Social graduada pela PUC de Campinas (1982), Mestrado (1998) e Doutorado (2003) em Saúde Coletiva pela UNICAMP . Atua na Carreira Docente da Unicamp, no Departamento de Desenvolvimento Humano e Reabilitação, no Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação Prof Dr Gabriel Porto , no Curso de Fonoaudiologia e no Programa de Mestrado Saúde, Interdisicplinaridade e Reabilitação da FCM/ UNICAMP. É membro do Comite Editorial da Revista Serviço Social & Saúde da Universidade Estadual de Campinas. Atua na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Serviço Social Aplicado, nos seguintes temas: Transplante renal, Deficiencia visual, Surdez, Familia, Qualidade de vida, Reabilitação e Inclusão social.
Maria Tereza Matias Baptista, Universidade Estadual de Campinas
Graduação em Medicina pela Universidade Estadual de Campinas (1976) e doutorado em Ciências Médicas pela Universidade Estadual de Campinas (1999). Atualmente é professor titular da Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Endocrinologia, atuando principalmente nos seguintes temas: congenital adrenal hyperplasia, hiperplasia congênita das supra-renais, síndrome de turner, turner syndrome e 21-hydroxylase deficiency. 
Antonia Paula Marques-de-Faria, Universidade Estadual de Campinas
Graduação em Medicina; Mestrado e Doutorado em Genética Médica e Antropológica; Livre-Docência em Genética Clínica. Professora Associada do Departamento de Genética Médica (DGM) da FCM-UNICAMP. Especialista em Genética Clínica pelo convênio AMB/CFM. Atua em ensino de Graduação, Pós-Graduação e Residência Médica. Pesquisa e assistência na área de Genética Clínica; linhas de pesquisa em etiologia da deficiência mental e distúrbios correlatos, genética e saúde pública, diferenciação sexual normal e anômala. Na Graduação, além de atividades relacionadas ao ensino de Genética Clinica e Médica, desde 2003 atua no grupo gestor de Bioética e Ética Médica da FCM-UNICAMP. Colaborou na estruturação do Serviço de Genética Clínica, na criação e implementação do Programa de Residência Médica do DGM e na chefia desse Departamento por três biênios. Foi Coordenadora Associada do Curso de Graduação em Medicina da FCM-UNICAMP em 2009-2010. Coordenadora do Curso Interdisciplinar de Formação Superior (ProFIS) da Unicamp de agosto de 2013 a maio de 2014. Presidente da Sociedade Brasileira de Genética Médica no biênio 2000-2002. Participou do Grupo de Trabalho para elaboração da Política Nacional de Atenção Integral em Genética Clínica (2004-2008) e da Comissão de Acesso e Uso do Genoma Humano do Ministério da Saúde (2002-2003), da Comissão de Genética Clínica e Molecular do CFM e da Câmara Técnica de Genética Clínica do CREMESP (2000-2002); Diretora Científica da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (2003-2005)
Roberto Benedito de Paiva e Silva, Universidade Estadual de Campinas
Professor Doutor - Psicólogo - CEPRE - UNICAMP
Andrea Trevas Maciel-Guerra, Universidade Estadual de Campinas
Graduação em Medicina pela Universidade Estadual de Campinas (1984), mestrado em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Estadual de Campinas (1986) e doutorado em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Estadual de Campinas (1989). É livre-docente em Genética Clínica éla Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP e atualmente é professora titular da Universidade Estadual de Campinas. Fez curso de especialização em Jornalismo Científico no LabJor da UNICAMP. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Distúrbios da Diferenciação do Sexo, atuando principalmente nos seguintes temas: ambigüidade genital, aberrações de cromossomos sexuais, síndrome de turner, genética da surdez.
Publicado
2015-05-15
Como Citar
Guerra Júnior, G., Ceschinia, M., Bittencourt, Z. Z. L. C., Baptista, M. T. M., Marques-de-Faria, A. P., Silva, R. B. de P. e, & Maciel-Guerra, A. T. (2015). A importância da interdisciplinaridade no atendimento dos distúrbios da diferenciação do sexo em hospital universitário. Serviço Social E Saúde, 2(1), 55-64. https://doi.org/10.20396/sss.v2i1.8635008
Seção
Artigos