Repensando a interdisciplinaridade: contributos à atuação do assistente social na área da saúde

  • Nilsen Aparecida Vieira Marcondes Universidade de Taubaté, UNITAU
  • Elisa Maria Andrade Brisola Universidade de Taubaté, UNITAU
  • Sandra Regina dos Santos Universidade de Taubaté, UNITAU
  • Edna Maria Querido de Oliveira Chamon Universidade de Taubaté, UNITAU
Palavras-chave: Revisão de literatura. Interdisciplinaridade. Formação continuada. Serviço social

Resumo

A trajetória reflexiva que segue está apoiada numa revisão de literatura. O foco da análise volta-se para o tripé Interdisciplinaridade, Formação Continuada e Serviço Social considerando queisso traz subsídios para o profissional envolvido com ações no âmbito da saúde. Entretanto, considera-se também bastante pertinente, enquanto elementos complementares à análise, a exposição de algumas ideias referentes à conceituação da palavra, resgate histórico, motivações para se refletir e agir interdisciplinarmente, reflexos destas atitudes dentro dos ambientes acadêmicos, societário, e por fim sobre os desafios que se colocam aos que desejam trilhar por este caminho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nilsen Aparecida Vieira Marcondes, Universidade de Taubaté, UNITAU
Graduação em Serviço Social pela Universidade de Taubaté UNITAU (1994) e Mestrado em Desenvolvimento Humano: Formação , Políticas e Práticas Sociais pela Universidade de Taubaté UNITAU (2013). Atualmente exerço a função de Assistente Social na Prefeitura Municipal de São José dos Campos. Como funcionária pública tenho experiência na área da Assistência Social com ênfase no trabalho com famílias em situação de vulnerabilidade e risco social, atuando principalmente com famílias inseridas em Programas Sociais de Transferência de Renda do Governo Municipal, Estadual e Federal. No momento encontro-me na condição de Doutoranda em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP).
Elisa Maria Andrade Brisola, Universidade de Taubaté, UNITAU
Graduação em Serviço Social pela Universidade do Vale do Paraíba (1984); mestrado e doutorado em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1996 e 2003 respectivamente). Atualmente sou professora assistente da Universidade de Taubaté. Tenho experiência na área de assistência social e saúde e um forte compromisso com a formação profissional. Na UNITAU coordeno um Projeto de Extensão " Assessoria à Implementação do SUAS nos municípios do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira". Atuo no ensino e na pesquisa, coordenando o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas Sociais - NEPSS. Atualmente, componho o corpo permanente do Mestrado Interdisciplinar "Desenvolvimento Humano: políticas sociais e Formação" da Universidade de Taubaté, coordenando a linha de pesquisa de Políticas Sociais, ministrando aulas e orientando alunos. Também coordeno o curso de especialização "Política Social e Trabalho Social com famílias". 
Sandra Regina dos Santos, Universidade de Taubaté, UNITAU

Assistente Social, Mestranda do Curso de Pós-Graduação Stricto Sensu da UNITAU: Mestrado em Desenvolvimento Humano. Formação, Políticas e Práticas Sociais.

Edna Maria Querido de Oliveira Chamon, Universidade de Taubaté, UNITAU
Graduação em Pedagogia pela Faculdade Nogueira da Gama (1991), graduação em Sciences de L Education - Université de Toulouse II (Le Mirail) (1994), mestrado em Sciences de L Education - Université de Toulouse II (Le Mirail) (1995), doutorado em Psicologia - Université de Toulouse II (Le Mirail) (1998) e pós-doutorado em Educação na UNICAMP (2003). Atualmente é professora assistente doutora da Universidade de Taubaté (UNITAU), em Taubaté, SP e Pesquisador colaborador na Universidade de Campinas (UNICAMP) no Departamento de Arquitetura e Construção da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo. Tem experiência em Educação a Distância (Implementação e Gestão de Cursos e Materiais), além avaliação institucional e de cursos (SINAES e CEE). É assessora ad hoc da FAPESP e do CNPq, da ANPEPP e do JIRS. É membro de corpo editorial e científico de várias revistas nacionais e internacionais. Trabalha em Projetos Institucionais: PIBID (Capes) (Construção e Implementação), e Projeto Procampo. Criou e Coordena o Mestrado Interdisciplinar de Desenvolvimento Humano. Coordena projetos de pesquisa com fomento do CNPq e da CAPES. Atua nas áreas de Pesquisa em Psicologia Social, Educação e Educação do Campo, com ênfase em representação social e identidade profissional.

Referências

BAPTISTA, M.V.; RODRIGUES, M.L. A formação pós-graduada – Stricto Sensu – em Serviço Social: Papel da pós-graduação na formação profissional e desenvolvimento do Serviço Social. In: Cadernos ABESS-CEDEPSS, v. -, n. 5, maio. p. 108-134, 1992.

BOURGUIGNON, J. A. A particularidade histórica da pesquisa no Serviço Social. Katálysis, Florianópolis: EDUFSC, v.10, n. especial. p. 46-54, 2007.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social. Política Nacional de Assistência Social. Brasília, DF, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. V Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG 2011-2020. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Brasília, DF, 2010. Disponível em: <http://www.capes.gov.br/sobre-a-capes/planonacional-

de-pos-graduacao>. Acesso em: 07 fev. 2012.

BUARQUE DE HOLANDA, A. Dicionário da Língua Portuguesa. Curitiba: Positivo, 2010.

CARVALHO, D. B. B.; SILVA E SILVA, M. O. da. Conclusão. In: _____;______(Orgs.). Serviço Social, Pós-Graduação e Produção de Conhecimento no Brasil. São Paulo: Cortez, 2005. p. 133-138.

CHAMON, E. M. Q. de O. Apresentação. In: ______(Org.). Gestão de Organizações Públicas e Privadas: uma abordagem interdisciplinar. Rio de Janeiro: Brasport, 2007. p. VII-IX.

CHAMON, E. M. Q. de O. Memorial. São José dos Campos/SP: [s.n], 2011.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Código de Ética do Assistente Social. Lei nº 8.662/93 de regulamentação da profissão. Brasília: Teixeira Gráfica e Editora Ltda, 2007.

CUNHA, J.R. Epistemologia e Modernidade. O Positivismo: Comte. Revista FGV Direito. Rio de Janeiro, 2008. Disponível em: http://academico.direitorio.fgv.br/wiki/Epistemologia_e_Modernidade. Acesso em: 04 out. 2011.

ELY, F. R. Serviço Social e Interdisciplinaridade. Katálysis, Florianópolis: EDUFSc, v.6, n. 1, p.113-117, jan./jun. 2003.

FAZENDA, I.C.A. (Org). Dicionário em construção: interdisciplinaridade. São Paulo: Cortez, 2002.

FRAGA, C. K. A atitude investigativa no trabalho do assistente social. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, v. 31, n. 101. p. 40-64, 2010.

GUERRA, Y. O potencial do ensino teórico-prático no novo currículo: elementos para o debate. Katálysis. Florianópolis: EDUFSC, v.8, n. 2, p.147-154, jul./dez. 2005.

IAMAMOTO, M. V. Reforma do Ensino Superior e Serviço Social. Temporalis, Goiás, v.1, n. 1, p. 35-79, reimpressão jul. 2004.

IAMAMOTO, M. V. Serviço Social em Tempo de Capital Fetiche. São Paulo: Cortez, 2011.

LARA, R. Pesquisa e Serviço Social: da concepção burguesa de ciências sociais à perspectiva ontológica. Katálysis. Florianópolis: EDUFSC, v.10, n. especial. p.73-82, 2007.

LENOIR, Y. Três interpretações da perspectiva interdisciplinar em educação em função de três tradições culturais distintas. Revista E-Curriculum, PUCSP, São Paulo, vol. 1, nº 1, 2006. Disponível em: http://www.pucsp.br/ecurriculum. Acesso em: 29 set. 2011.

MARQUES, M.T.C.; RAMALHO, M.P. Os Movimentos Ecológicos e a

Interdisciplinaridade. In: SÁ, J. M. de (Org.). Serviço Social e Interdisciplinaridade: Dos fundamentos filosóficos à prática interdisciplinar no Ensino, Pesquisa e Extensão. São Paulo: Cortez, 2010. p. 59-75.

MINAYO, M. C. S. et al. Métodos, técnicas e relações em triangulação. In: MINAYO, M. C. S.; ASSIS, S. G.; SOUZA, E.R. (Orgs.). Avaliação por triangulação de métodos: Abordagem de Programas Sociais. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2010. p. 71-103.

PARÂMETROS para atuação de Assistentes Sociais na Política de Assistência Social. Conselho Federal de Serviço Social – CFESS, Brasília: [s.n.], 2009. (Série: Trabalho e Projeto Profissional nas Políticas Sociais).

POLÍTICA de Ensino Superior no Brasil: A regulamentação da LDB e as implicações para o Serviço Social – Relatório Final – ABEPSS, CFESS, ENESSO. Temporalis, Goiás, v.1, n. 1, p.165-179, reimpressão jul. 2004.

RAICHELIS, R. O lugar da Política de Assistência Social na Seguridade Social e o compromisso do Assistente Social frente às novas demandas. In: Encontro Regional de Seguridade e Controle Social, out. 2011, São José dos Campos/SP. (Anotações).

ROEHE, M.V. Uma abordagem fenomenológica-existencial para a questão do conhecimento em psicologia. Revista Estudos de Psicologia, UFRN, Rio Grande do Norte, Vol. 11, nº 2, 2006. Disponível em: http://redalyc.uaemex.mx/pdf/261/26111204.pdf. Acesso em: 05 out. 2011.

SÁ, J. M. de. Apresentação. In: SÁ, J. M. de. (Org.). Serviço Social e

Interdisciplinaridade: Dos fundamentos filosóficos à prática interdisciplinar no Ensino, Pesquisa e Extensão. São Paulo: Cortez, 2010. p. 7-10.

SÁ, J. M. de. Especialização versus interdisciplinaridade: uma proposta alternativa. In: SÁ, J. M. de. (Org.). Serviço Social e Interdisciplinaridade: Dos fundamentos filosóficos à prática interdisciplinar no Ensino, Pesquisa e Extensão. São Paulo: Cortez, 2010. p. 23-58.

SAMPAIO, C.C. et al. Interdisciplinaridade em questão: Análise de uma política de saúde voltada à mulher. In: SÁ, J. L. M. de (Org.). Serviço Social e Interdisciplinaridade: Dos fundamentos filosóficos à prática interdisciplinar no Ensino, Pesquisa e Extensão. São Paulo: Cortez, 2010. p. 77-95.

SARMENTO, H. B. de M. Ética e Serviço Social: fundamentos e

contradições. Katálysis, Florianópolis: Edufsc, v.14, n. 2, p. 210-221, jul./dez. 2011.

SETUBAL, A. A. Desafios à pesquisa no Serviço Social: da formação acadêmica à prática profissional, Katálysis. Florianópolis: EDUFSC, v.10, n. especial, p. 64-72, 2007.

SEVERINO, A. J. Subsídios para uma reflexão sobre novos caminhos

da interdisciplinaridade. In: SÁ, J. M. de (Org.). Serviço Social e

Interdisciplinaridade: Dos fundamentos filosóficos à prática interdisciplinar no Ensino, Pesquisa e Extensão. São Paulo: Cortez, 2010. p. 11-21.

SILVA E SILVA, M. O. da et al. A pesquisa, a produção e a divulgação de conhecimento dos programas de Pós-Graduação na área de Serviço Social. In: CARVALHO, D. B. B.; SILVA E SILVA, M. O. da (Orgs.). Serviço Social, Pós-Graduação e Produção de Conhecimento no Brasil. São Paulo: Cortez, 2005. p. 69-131.

SILVEIRA, J. I. Sistema Único de Assistência Social: institucionalidade e processos interventivos. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, v. 30, n. 105, p. 335-361, 2009. SIMÕES, C. Curso de Direito do Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2010.

SPOSATI, A. Pesquisa e produção de conhecimento no campo do Serviço Social. Katálysis, Florianópolis: EDUFSC, v.10, n. especial, p.15-25, 2007.

WOJTYLA, K. J. Por suas próprias palavras. São Paulo: Cidade Nova, 2002.

YAZBEK, M. C.; SILVA E SILVA, M. O. da. Das origens à atualidade da profissão: a construção da Pós-Graduação em Serviço Social no Brasil. In: CARVALHO, D. B. B.; Serv. Soc. & Saúde, Campinas, SP v. 11, n. 1 (13), p. 67-98 jan./ jun. 2012 ISSN 1676-6806

SILVA E SILVA, M. O. da (Orgs.). Serviço Social, Pós-Graduação e Produção de Conhecimento no Brasil. São Paulo: Cortez, 2005. p. 25-49.

Publicado
2015-05-18
Como Citar
Marcondes, N. A. V., Brisola, E. M. A., Santos, S. R. dos, & Chamon, E. M. Q. de O. (2015). Repensando a interdisciplinaridade: contributos à atuação do assistente social na área da saúde. Serviço Social E Saúde, 11(1), 67-98. https://doi.org/10.20396/sss.v11i1.8635028
Seção
Artigos