Participação e serviço social: experiência de formação do conselho local de saúde em Sobral/CE

Autores

  • Roberta Menezes Sousa Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.20396/sss.v11i1.8635033

Palavras-chave:

Participação. Saúde. Residência. Serviço social

Resumo

O presente artigo tem como objetivo a reflexão e análise da experiência de intervenção do Serviço Social durante a Residência Multiprofissional em Saúde da Família (RMSF), no processo de formação de um Conselho Local de Desenvolvimento Social e de Saúde (CLDSS) para a formação do Conselho Local no território do Centro de Saúde da Família do Bairro Alto da Brasília. O Serviço Social realizou uma capacitação com (as) usuários (as) e profissionais de saúde para exercerem a função de conselheiros (as), objetivando estimular a comunidade para o efetivo exercício da democracia e participação social na saúde, através das discussões sobre a situação local de saúde, a organização política da comunidade e a abordagem de temas referentes à saúde. Por fim, destacamos a contribuição do trabalho do assistente social na organização e no fortalecimento das instâncias participativas e de controle social na saúde e os desafios postos para o exercício profissional no âmbito deste espaço sócio ocupacional.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Menezes Sousa, Universidade Federal de Pernambuco

Graduação em Serviço Social pela Universidade Estadual do Ceará (2007). Especialista em Residência Multiprofissional em saúde da Família (UEVA) e em Serviço Social, Trabalho e Ética Profissional (UECE). Mestre em Serviço Social (UFPE). Doutoranda em Serviço Social (UFPE) e participa do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Poder, Cultura e Práticas Coletivas- GEPCOL. Professora do curso de Serviço Social do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) e pesquisadora do Núcleo de Estudos Núcleo de Estudo e Pesquisas Trabalho, Questão Social e Serviço Social . Ex-conselheira do CRESS 3ª Região, gestão "É caminhando que se faz o caminho" 2008-2011.

Referências

ABREU, M. M. Serviço Social e a Organização da Cultura: perfis pedagógicos da prática profissional. São Paulo: Cortez, 2002.

ALVES, V. S. Um modelo de educação em saúde para o Programa Saúde da Família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, v.9, n.16, p.39-52, set. 2004/fev. 2005.

BRASIL. Lei de Regulamentação da Profissão de Assistente Social. Lei nº 8662, de 07 de junho de 1993. Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providências.

BRASIL. Lei Orgânica da Saúde. In: Assistente Social, Ética e Direitos. Coletânea de leis e resoluções. CRESS/ RJ, 2002.

BRASIL. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Legislação estruturante do SUS/ CONASS. Brasília: CONASS, 2007.

BRASIL. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação em Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, 2009. (Série B. Textos Básicos de Saúde) (Série Pactos pela Saúde, 2006; v. 9)

BRAVO, M. I. S. A Saúde no Brasil: Reforma Sanitária e Ofensiva Neoliberal. In: BRAVO, M. I. S.; PEREIRA, P. A.P. (Orgs). Política Social e Democracia. 2. Ed. São Paulo: Cortez; Rio de Janeiro: UERJ, 2002.

BRAVO, M. I. S., MATOS, M. C. de. Projeto Ético-político do Serviço Social e sua relação com a Reforma Sanitária: elementos para o debate. Disponível em: www.fnepas.org.br/pdf/servico_social_saude/texto2-3.pdf. Acesso em: 19 ago. 2009.

BRAVO, M. I. S, OLIVEIRA, R. de O. Conselhos de saúde e Serviço Social: luta política e trabalho profissional. Revista Ágora: Políticas públicas e Serviço Social. Ano 1, nº 1. Outubro de 2004. Disponível em: http://assistentesocial.com.br

CANUTO, O., et al. A inserção do Serviço Social na Estratégia Saúde da Família em Sobral-CE. Revista Sanare, Sobral, ano V, n.1, jan./fev./ mar. 2004.

CECCIM, R.B. FEUERWRKER, L.C.M. O quadrilátero da formação para área da saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Physis. Revista de Saúde Coletiva. Rio de Janeiro 2004, vol.14, nº 1, p. 41-65. Disponível em: HTTP//www.scielo.br.php

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (CFESS). Código de Ética

Profissional do Assistente Social, 1993.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (CFESS). Parâmetros para a

Atuação de Assistentes Sociais na Saúde: versão preliminar, 2009.

DAGNINO, E. Sociedade civil, participação e cidadania: de que estamos falando? In: MATO, D. (Coord.). Políticas de ciudadanía y sociedad civil en tiempos de globalización. Caracas: FACES / Universidad Central de Venezuela, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004.

GOHN, M. da G. O protagonismo da sociedade civil: movimentos sociais, ONGs e redes solidárias. 2ª Ed. São Paulo, Cortez, 2008. Coleção Questões da nossa época.

GRUPPI, L. Tudo começou com Maquiavel: as concepções de Estado em Marx, Engels, Lênin e Gramsci. 4ª Ed. Porto Alegre, L e PM Editores, 1983.

IAMAMOTO, M.V. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. São Paulo: Cortez. 2003.

IAMAMOTO, M.V. Serviço Social em tempo de capital Fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. 2ª Ed. São Paulo: Cortez. 2008.

BRASIL. Lei Orgânica da Saúde. In: Assistente Social, Ética e Direitos. Coletânea de leis e resoluções. CRESS/ RJ, 2002.

LIMA, F. A et al. A trajetória do Serviço Social na Residência Multiprofissional em Saúde da Família de Sobral.Sanare, Sobral, v.8,n.2, jul./dez. 2009.

MARTINS Jr.; et. al. A Residência Multiprofissional em Saúde da Família de Sobral-Ceará. Sanare, Sobral, v.7, n.2, p.23-30, jul./dez. 2008.

MATTA, G. C. Princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde. In: MATTA, G. C., PONTES, A. L. de M. Políticas de saúde: organização e operacionalização do sistema único de saúde. Rio de Janeiro: EPSJV / Fiocruz. 2007.

NETTO, J. P. Cinco notas a propósito da “questão social”.Temporalis. Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Ano 2, n° 03. Brasília: ABEPSS. 2001.

NOGUEIRA, V. M. R., MIOTO, R. C. T. Desafios atuais do Sistema único de Saúde – SUS e as exigências para os Assistentes Sociais. Disponível em: www.fnepas.org.br/pdf/servico_social_saude/texto2-4.pdf. Acesso em: 22 out. 2009.

PUSTAI, O. J. O sistema de saúde no Brasil. In: DUNCAN, B. B; SCHMIDT, M. I.; GIUGLIANI, E. R.J. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. Porto Alegre: Artmed, 2004.

SIMIONATTO, I. Sociedade civil e lutas sociais na América Latina: entre a harmonização das classes e as estratégias de resistência In: BOSCHETTI, I., et al (Org). Capitalismo em crise. Política social e direitos. SP: Cortez, p. 152-181.

SILVA, A. L. F., SOUSA, R. M.A roda como espaço de co-gestão da residência multiprofissional em saúde da família do município de Sobral-CE. Revista Sanare, Sobral, v.8, n.1, p. 6-17, jan./ jun. 2009.

SOARES, C. H. A., et al. A Participação social em Sobral-Ce: Experiências que versam sobre gestão compartilhada. Revista Sanare, Sobral, v. 9, n. 2, p.7-13, jul./dez. 2010.

SOBRAL. Secretaria Municipal da Saúde e Ação Social. Plano Municipal da Saúde. 2007.

SOUZA, F. L.; et al. A Política municipal de educação permanente em Sobral-CE. Revista Sanare, Sobral, v.7, n. 2, p.14-22, jul./dez. 2008.

VACONCELOS, E. M. Redefinindo as práticas de saúde a partir da educação popular nos serviços de saúde. In: VASCONCELOS, E. M. A saúde nas palavras e nos gestos: reflexões da rede de educação popular e saúde. São Paulo: Hucitec, 2001.

Downloads

Publicado

2015-05-18

Como Citar

SOUSA, R. M. Participação e serviço social: experiência de formação do conselho local de saúde em Sobral/CE. Serviço Social e Saúde, Campinas, SP, v. 11, n. 1, p. 133–154, 2015. DOI: 10.20396/sss.v11i1.8635033. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8635033. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos