Serviço social, família e doença mental infanto-juvenil em Portugal

  • Daniela Pinto de Almeida Leite Universidade de Coimbra, Portugal
  • Helena Neves Almeida Universidade de Coimbra, Portugal
Palavras-chave: Serviço social. Saúde mental. Família. Paradigmas de intervenção precoce

Resumo

O presente artigo realça a importância e premência da aposta na saúde mental da população, principalmente nos primeiros anos de vida dos indivíduos. A intervenção precoce é essencial para prevenir patologias mais graves no futuro e assim reduzir custos futuros para o indivíduo, família, sistema de saúde e até para a economia do país. Mas é sobre o «outro lado» da saúde mental que o artigo se vai debruçar primordialmente, ou seja, a família que acompanha o utente, presta cuidados, auxilia no diagnóstico e tratamento. Assim, a família sente-se sobrecarregada e a braços com uma reestruturação de papéis e expectativas familiares. Serão apontadas algumas orientações estratégicas e modalidades para a intervenção em contexto de crise familiar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Pinto de Almeida Leite, Universidade de Coimbra, Portugal

Licenciada em Serviço Social, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, da Universidade de Coimbra. Assistente Social na Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Agrupamento de Centros de Saúde da Amadora.

Helena Neves Almeida, Universidade de Coimbra, Portugal

􀀕􀀃Doutorada em Serviço Social, Docente na Licenciatura em Serviço Social, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, Universidade de Coimbra, Coimbra, Portugal.

Referências

ALMEIDA, H. Conceptions et Pratiques de la Médiation Sociale. Les modèles de médiation dans le quotidien professionnel des assistants sociau. Coimbra: Fundação Bissaya-Barreto/Instituto Superior Bissaya-Barreto, 2001.

ALMEIDA, H, A recomposição dos laços sociais – uma mediação expressiva e instrumental na luta contra a exclusão social. In: CUNHA, Pedro (Org.). Mediação, uma forma de resolução alternativa de conflitos. Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa, 2004, p. 33-61.

ALMEIDA, J. et al. Questionário de Problemas Familiares: Desenvolvimento da Versão Portuguesa de Um Instrumento de Avaliação da Sobrecarga Familiar. Psicologia, Saúde & Doenças, Lisboa, n. 3, p 165-177, 2002.

ALVES, F. Acção Social na Área da Saúde Mental, Universidade Aberta, Lisboa, 2001.

BANDEIRA, M., BARROSO, S. Sobrecarga das famílias de pacientes psiquiátricos. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, Rio de Janeiro, n. 54, p. 22- 29, 2005.

BRONFENBRENNER, U. A Ecologia do Desenvolvimento Humano: Experimentos Naturais e Planejados. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

CAMPOS, P., SOARES, C. Representação da sobrecarga familiar e adesão aos serviços alternativos em saúde mental. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, n. 11, p. 219-37, 2005.

COUTINHO, M. Apoio à Família e Formação Parental. Revista Análise

Psicológica, Lisboa, n. 1, p. 55-64, 2004.

DALE, N. Working with families of children with special needs: partnership and practice. Londres: Routledge, 1996.

FAZENDA, I. O puzzle desmanchado: saúde mental, contexto social, reabilitação e cidadania. Lisboa: Climepsi Editores, 2008.

FERNANDES, N. A doença mental e a sobrecarga dos familiares. 2005, 70 F. Relatório de Estágio em Serviço Social, Ramo de Saúde. Instituto Superior Miguel Torga, Coimbra.

GARRET, C. et al. Questionário de Avaliação da Sobrecarga do Cuidador Informal (QASCI) – Reavaliação das propriedades psicométricas. Revista Referência, Porto, n. 11, p. 17-31, 2004.

HOGHUGHI, M., LONG, N. Handbook of parenting: theory and research for practice. Londres: Sage, 2004.

LEITE, D. Ver Para Além do Visível: a Perturbação Mental na

Criança/Adolescente no seio da Família. 2010, 92 F. Relatório de Estágio em Serviço Social – Universidade de Coimbra, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Coimbra.

LIPOVETSKY, G. A Era do Vazio. Ensaio sobre o Individualismo Contemporâneo. Lisboa: Relógio de Água, 1983.

MENDONÇA, M. Mais Vale Prevenir… Memórias de uma época e de um

contributo para a saúde mental infantil. Coimbra: Edições Minerva, 2002.

SILVA, L. Acção Social na Área da Família. Lisboa: Universidade Aberta, 2001.

THYER, B., WODARSKY, J. Social work in mental health: an-evidence based approach. Hoboken: Routledge, 2007.

FONTES ELECTRÓNICAS:

CABRAL, I. Serviço Social na Saúde Mental infantil e juvenil. 2011. Disponível em:

http://servicosocialsaude.wordpress.com/saudementalinfantil/. Acesso em 23 outubro 2014.

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Comissão das Comunidades Europeias. Livro Verde: Melhorar a Saúde Mental da população. Rumo a uma estratégia de Saúde Mental na União Europeia. Disponível em:

http://eurlex.europa.eu/LexUriServ/site/pt/com/2005/com2005_0484pt01.pdf. Acesso em 12 de Set. 2009

COMISSÃO EUROPEIA. Pacto Europeu para a Saúde Mental e Bem-estar. Disponível em: http://www.minsaude.pt/NR/rdonlyres/A6AA36F1-1002-4E80-9E7A-44C1AA016CD5/0/pactoeuropeusaudemental.pdf. Acesso em 12 de Set. 2009.

COMISSÃO PARA A REESTRUTURAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE

MENTAL. (2007-2016). Proposta do plano de acção para a reestruturação e desenvolvimento dos serviços de saúde mental em Portugal. Disponível em

http://www.acs.minsaude.pt/wpcontent/uploads/2008/01/relatorioplanoaccaoservicossaudemental.pdf. Acesso em 12 Set. 2009.

DELGADO, G. Reinventar a intervenção em famílias multiproblemáticas: Formação Parental. Disponível em http://www.gaf.pt/jornadas/xiv_jornadas/resumos/4.pdf. Acesso em 4 de Nov. 2009.

DIRECÇÃO GERAL DE SAUDE. Rede de Referenciação de Psiquiatria e Saúde Mental. Disponível em http://www.dgs.pt/upload/membro.id/ficheiros/i007439.pd.

Acesso em 12 de Set. de 2009.

GUADALUPE, S. Intervenção em Rede e Doença Mental. In: II Encontro de Serviço Social em Saúde Mental: Novas Perspectivas, 2001, Coimbra. Anais electrónicos… Coimbra, 2001. Disponível em:

http://www.cpihts.com/PDF03/Sonia%20Guadalupe.pdf. Acesso em 26 de Out. 2009.

SILVA, R., WITIUK, I. Família do Portador de Transtorno Mental: Vítima ou Vilã? Disponível em http://www.cpihts.com. Acesso em 16 de Out. 2009.

SILVA, R., WITIUK, I. Dificuldades para a Implantação do Processo de

(Des)Hospitalização do Portador de Transtorno Mental. Disponível em:

http://www.cpihts.com/2003_07_06/Ilda_lopes.htm. Acesso em 16 de Out. de 2009.

LEGISLAÇÃO:

PORTUGAL. Decreto-lei nº 127/92 de 3 de Julho. Diário da República – I Série. Ministério da Saúde. PORTUGAL. Lei nº 36/98 de 24 de Julho. Diário da República – I Série. Ministério da Saúde

PORTUGAL. Lei n.º 147/99, de 1 de Setembro. Diário da República – I Série. Ministério da Justiça

Publicado
2015-05-20
Como Citar
Leite, D. P. de A., & Almeida, H. N. (2015). Serviço social, família e doença mental infanto-juvenil em Portugal. Serviço Social E Saúde, 11(2), 287-306. https://doi.org/10.20396/sss.v11i2.8635286
Seção
Artigos