Banner Portal
As residências multiprofissionais em saúde: a experiência da Universidade Federal de Santa Catarina
PDF

Palavras-chave

Formação profissional em saúde. Residências multiprofissionais

Como Citar

MIOTO, R. C. T.; ALVES, F. L.; CAETANO, P. da S.; DAL PRÁ, K. R. As residências multiprofissionais em saúde: a experiência da Universidade Federal de Santa Catarina. Serviço Social e Saúde, Campinas, SP, v. 11, n. 2, p. 185–208, 2015. DOI: 10.20396/sss.v11i2.8635288. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8635288. Acesso em: 3 mar. 2024.

Resumo

As residências multiprofissionais em saúde são realidade no Brasil desde os anos 2000 como importante estratégia de formação de recursos humanos para o Sistema Único de Saúde (SUS). Surgem como resposta as novas necessidades de pensar e agir em saúde. Os programas de esidência ao se estabelecerem como campo de mediação entre a academia e os serviços, tornam possíveis a construção de práticas e conhecimentos que podem alterar ou tencionar significativamente a lógica dos serviços. Assim, este trabalho traz elementos históricos da construção das residências multiprofissionais em saúde, tanto na atenção básica como em nível hospitalar. Relatam-se brevemente as experiências desenvolvidas na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), no Curso de Residência Multiprofissional em Saúde da Família e no Programa de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde do Hospital Universitário (HU) e enfatizam-se elementos para a discussão dos desafios da residência e do Serviço Social nesses espaços de formação na área da saúde.

https://doi.org/10.20396/sss.v11i2.8635288
PDF

Referências

AMORETTI, R. A educação médica diante das necessidades sociais em saúde. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 29, n. 2, 2005, p. 136-146.

APUFSC. Jornal do Sindicato dos Professores das Universidades Federais de Santa Catarina APUFSC - Sindical. Programas de residência têm novas diretrizes publicadas em resolução, Florianópolis, 18 de abril de 2012. Disponível em:

http://www.apufsc.ufsc.br/noticia/2405/. Acesso em: 03/05/2012

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Organização do texto: Juarez de Oliveira. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1990. 168 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Superior. Prestação de Contas Ordinárias Anual. Relatório de Gestão do Exercício de 2011. Brasília, 2012.

Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php. Acesso em: 02 de maio de 2012.

BRASIL. Lei nº. 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. CORAG, 7° ed. 30 p.

BRASIL. Lei nº. 11.129, de 30 de junho de 2005. Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens – Pro Jovem; cria o Conselho Nacional da Juventude – CNJ e a Secretaria Nacional de Juventude; altera as Leis nos 10.683, de 28 de maio de 2003, e 10.429, de 24 de abril de 2002; e dá outras providências. Disponível em:

http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/Lei%20n11129_05.pdf. Acesso em: 20 de jun. de 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Educação Permanente. Disponível em:

http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/visualizar_texto.cfm?idtxt=26643&j

CHAUÍ, M. S. A universidade pública sob nova perspectiva. 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n24/n24a02.pdf. Acesso em: 02 de fev. de 2009.

CISLAGUI, J. F. Hospitais Universitários: presente caótico, futuro incerto. Disponível em: http://www.apufpr.org.br/artigos/hus.pdf. Acesso em: 03 de jun. de 2012.

ETGES, N. J. Ciência, interdisciplinaridade e educação. In: JANTSCH, A. P. & BIANCHETTI, L. (orgs.) Interdisciplinaridade para além da filosofia do sujeito. Petrópolis: Vozes, p.51-84, 1995.

FERREIRA, S. R.; OLSCHOWSKY, A. Residência: uma modalidade de ensino. In: FAJARDO, A. P.; ROCHA, C. M. F.; PASINI, V. L. (Orgs). Grupo Hospitalar Conceição Residências em saúde: fazeres e saberes na formação em saúde Brasil. Ministério da Saúde. Porto Alegre: Hospital Nossa Senhora da Conceição, 2010, p. 23-34.

FOLLARI, R. A. Algumas considerações práticas sobre interdisciplinaridade. In: BIANCHETTI, L., JANTSCH, A. Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. Petrópolis: Vozes. 1995.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 24 ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

GIL, C. R. R. Formação de recursos humanos em saúde da família: paradoxos e perspectivas. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, n. 21, 2005, p.490-498.

JANTSCH, A. P. & BIANCHETTI, L. (Orgs.) Interdisciplinaridade para além da filosofia do sujeito. Petrópolis: Vozes, p.25-50, 1995.

MOSCON, N. et al. Plano de Trabalho do Serviço Social da Residência

Multiprofissional em Saúde da Família/2009. Florianópolis, 2009. mimeo. 48p.

MUELLER, R. R. Trabalho, produção da existência e do conhecimento: o fetichismo do conceito de interdisciplinaridade. 115f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

REMULTISF. Guia Acadêmico 2010. Florianópolis, 2010. 25 p.

PMF. Instrução Normativa nº 001/2010. Disponível em: www.pmf.sc.gov.br/.../17_05_2010_10.30.59..... Acesso em: 20 de jun. de 2012.

SANTOS, B. S. A Universidade do Século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. São Paulo: Cortez, 2005.

SILVA, A. L. Reflexões sobre perspectivas da pós-graduação. Acta

Cirúrgica Brasileira. São Paulo, v. 20, n. 6, 2005, p. 411-413.

VERDI, M. et al. Programa de Residência Integrada em Saúde da Família da Universidade Federal de Santa Catarina: o desafio de uma construção interdisciplinar coletiva. In: BRASIL. Residência multiprofissional em saúde: experiências, avanços e desafios. Brasília: Ministério da Saúde, 2006, p. 283-304.

A Serviço Social e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.