Serviço social e o cuidado em saúde

Alaide Maria Morita Fernandes da Silva, Maria Lucia Rodrigues

Resumo


Este artigo tem como objetivo refletir sobre a relação do serviço social com o cuidado em saúde tendo como pressuposto que sua atuação se vincula aos eixos teórico-práticos da política de saúde do SUS/Sistema Único de Saúde. A reflexão articula o trabalho do assistente social com o cuidado em saúde na perspectiva de elevar a qualidade do serviço prestado, assim como seu papel mediador diante dos fatores que produzem sofrimentos aos usuários.


Palavras-chave


Cuidado em saúde. Serviço social. Trabalho

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, M. E. B.; BARROS, R. B. A potência formativa do trabalho em equipe no campo da saúde. In: PINHEIRO, R.; MATTOS, R. A.; BARROS, M. E. B. (Org.). Trabalho em equipe sob o eixo da integralidade: valores, saberes e práticas. Rio de Janeiro: IMS/UERJ: CEPESC: ABRASCO, 2007. p.75-84.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990. Lei Orgânica da Saúde. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 30 ago. 2013.

CASTRO E CASTRO, M. M. Serviço Social e cuidado em saúde: uma articulação necessária. Libertas, Juiz de Fora, v.6, 7, n.1, 2, p. 128-148, jan-dez., 2007. Disponível em: . Acesso em: 5 maio 2013.

CECÍLIO, L. C. O. As necessidades de saúde como conceito estruturante na luta pela integralidade e equidade na atenção em saúde. In: PINHEIRO, R.; MATTOS, R. A. de (Org.). Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado em saúde. Rio de Janeiro: UERJ, IMS: ABRASCO, 2001. p.113-126.

CECÍLIO, L. C. O. A morte de Ivan Ilitch, de Leon Tolstói: elementos para se pensar as múltiplas dimensões da gestão do cuidado. Interface: Comunic. Saúde, Educ, Botucatu, v.13, supl.1, p. 545-55, 2009.

CECÍLIO, L. C. O. Apontamentos teórico-conceituais sobre processos avaliativos considerando as múltiplas dimensões da gestão do cuidado em saúde. Interface, Comunic. Saúde, Educ, Botucatu, v.15, n.37, p. 589-599, 2011. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2013.

CHUPEL, C. P.; MIOTO, R. C. T. Acolhimento e Serviço Social: contribuição para a discussão das ações profissionais no campo da saúde. Serviço Social & Saúde, Campinas, v. 9, n. 10, p. 37-59, 2010.

COSTA, M. D. H. O trabalho nos serviços de saúde e a inserção dos(as) assistentes sociais. In: MOTA, A. E. et al. (Org.). Serviço Social e Saúde: Formação e trabalho profissional. São Paulo: OPAS, OMS, 2006. Cap. 7, p. 304-351.

DESLANDES, S. F. O cuidado humanizado como valor e ethos da prática em saúde. In: PINHEIRO, R.; MATTOS, R. A. (Org.). Razões públicas para a integralidade em saúde: o cuidado como valor. Rio de Janeiro: IMS/UERJ, CEPESC: ABRASCO, 2007.p.385-395.

FRANCO, T. B. As Redes na Micropolítica do Processo de Trabalho em Saúde. In: PINHEIRO, R.; MATOS, R.A. Gestão em Redes. Rio de Janeiro: LAPPIS-IMS/UERJ-ABRASCO, 2006. p.459-473.

FRANCO, C. M.; FRANCO, T. B. Linhas do Cuidado Integral: uma proposta de organização da rede de saúde. Porto Alegre: Secretaria de Estado de Saúde do RS. Disponível em:. Acesso em: 9 nov. 2012.

LACERDA, A.; VALLA, V. V. As práticas terapêuticas de cuidado integral à saúde como proposta para aliviar o sofrimento. In: PINHEIRO, R.; MATTOS, R. A. (Org.). Cuidado: as fronteiras da integralidade. Rio de Janeiro: CEPESC/UERJ, ABRASCO, 2005. p.91-102.

LELOUP, J. Y. Uma arte de cuidar: estilo alexandrino. Petrópolis: Vozes, 2009.

MADEIRA, L. M. et al. Escuta com cuidado: é possível ensinar? In: PINHEIRO, R.; MATTS, R. A. (Org.). Razões públicas para a integralidade: o cuidado como valor. Rio de Janeiro: CEPESC/UERJ, ABRASCO, 2007, p. 249-262.

MERHY, E. E. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec, 2002. (Saúde em Debate).

MERHY, E. E.; FRANCO, T. B. Reestruturação produtiva e transição tecnológica na saúde (s/d). Disponível em: http://www.professores.uff.br/tuliofranco/textos/reestruturacao_produtiva_e_transicao_tecnologica_na_saude_emerson_merhy_tulio_franco.pdf Acesso em: 16 março 2015.

MINAYO, M. C. S.; GUTIERREZ, D. M. D. Produção de conhecimento sobre cuidados da saúde no âmbito da família. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v.15, supl.1, Jun, 2010. Disponível em:. Acesso em:14 out. 2012.

MIOTO, R. C. T.; ROSA, F. N. Processo de construção do espaço profissional do assistente social em contexto multiprofissional: um estudo sobre o Serviço Social na Estratégia Saúde da Família. Relatório. Florianópolis: UFSC, Centro Sócio Econômico Departamento de Serviço Social, 2007. mimeo

PINHEIROS, R. et al. Matriz analítica de experiências de ensino para integralidade: uma proposição observacional. In: PINHEIROS, R.; CECCIM, R. B.; MATTOS, R. A. DE. (Org.). Ensinar saúde: a integralidade e o SUS nos cursos de graduação na área da saúde. Rio de Janeiro: IMS/UERJ, CEPESQ, ABRASCO, 2005. p.37-54.

RODRIGUES, M. L. Prática profissional: reinventado o espaço da microatuação. In: Serviço Social & Realidade – 20 Anos, No. 06, Unesp/Franca, São Paulo,1998.

SILVA, A. M. M. F. Produção do cuidado em saúde e o Serviço Social. São Paulo, 2013. 251p. Tese (Doutorado em Serviço Social). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. 2013.

SILVA, S. F.; MAGALHÃES JUNIOR, H. M. Redes de atenção à saúde: importância e conceitos. In: SILVA, S. F.. (Org.). Redes de atenção à saúde: o pacto pela saúde e redes regionalizadas de ações e serviços de saúde. Campinas: IDISA: CONASEMS, 2008. p. 69-85.




DOI: https://doi.org/10.20396/sss.v14i1.8638901

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Serviço Social e Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Serv. Soc. & Saúde, Campinas (SP) - e-ISSN 2446-5992.